//
você está lendo...
ARTIGOS

Jornal inglês também levanta suspeitas sobre conflito de interesses na escolha da Manor Grand Prix

FOTO: F1 Racing Magazinedonnelly (O CONTROVERSO ALLAN DONNELY [o 3º da esquerda para a direita] liderando os comissários)

Como fez este humilde blog há semas atrás, o The Guardian também levanta suspeitas sobre escolha da Manor Grand Prix para competir com equipe de F1 na próxima temporada. Clique AQUI e saiba mais sobre a matéria no jornal inglês.

__________________________________________________________________________

Como vocês aí do outro lado sabem muito bem, esse blog é um diminuto espaço dedicado a nós, fãs da Formula 1. Ele está encravado na periferia da comunidade da Formula1 e é editado por alguém como vocês, um simples fã da categoria sem ligações com a mídia ‘main stream’.

É sempre um prazer quando um insight desenvolvido dentro de um post se confirma na prática. E isso aconteceu mais uma vez com o post escrito imediatamente após o anúncio das novas equipes a competirem na F1 no ano que vem. Lá eu questionava se houve conflito de interesses na escolha da Manor Grand Prix. Em um trecho eu ilustro a relação próxima entre Nick Wirth— hoje Diretor Técnico da Manor — e Max Mosley, sócios na antiga Simtek:

Nick Wirth tem uma relação muitíssimo próxima de Max Mosley iniciada quando o engenheiro/designer trabalhou na antiga March, que tinha Max como um dos sócios. Quando a March foi vendida para Akira Akagi da Leiton House em 1989, Nick foi indicado a Max por Mark Herd, filho do dono da March. Naquela época, Max procurava um sócio com background técnico para investir em alta tecnologia para esportes a motor e encontrou em Wirth o parceiro ideal. Dessa união surgia em agosto de 1989 a Simtek Research Ltd (acrônimo de Simulation Technology) que depois também tornou-se equipe de F1 entre 1993 e 1995.

Ontem, o The Guardian, um desses tradicionais jornalões ingleses, tem uma matéria esportivo/investigativa assinada por Matt Scot e pelo já lendário Alan Henry, afirmando que “as equipes de Formula 1 estão preparando um protesto formal contra o chefe dos comissários Alan Donnelly” — braço direito de Max Mosley. O conteúdo do protesto carrega a acusação de que “a companhia de Donnelly está diretamente envolvida na preparação e ajuda da Manor Grand Prix a adentrar o campeonato de Formula 1 de 2010.“

Há alguns meses atrás eu já havia escrito sobre Donelly e sua controversa companhia, a Sovereign Strategy, que já fora fornecedora da Ferrari, mas que saiu da lista de clientes dias depois de Donnely assumir o posto de Chefe dos Comissários da FIA em substituição a Tony Scott Andrews.

Na matéria de hoje, o Guardian detalha que:

Sabe-se que Jane Nottage, sócio diretor de Donnely na Sovereign Strategy, está dirigindo as estratégias de relações públicas da Manor voluntariamente. Donnely também acompanhou pessoalmente um dos executivos seniores da Manor pelo paddock no GP da Europa do ano passado, o apresentado para representantes das equipes muito antes da inclusão da Manor nessa temporada.

Há dois dias atrás as equipes enviaram uma carta à FIA protestando pelo conflituoso duplo papel de Donnelly como Chefe dos Comissários e pelas suas constantes manobras políticas nos bastidores. Nesse momento, segundo o The Guardian, as equipes foram além e começam a questionar se realmente não houve conflito de interesses no reaparecimento de Nick Wirth, Diretor Técnico da Manor e sócio de Mosley durante 20 anos.

O mais grave é que James Allen já havia feito uma rápida e discreta menção em seu blog sobre a forma como os representantes da FIA lidaram com a proposta feita pela N.Technology para competir na F1 em 2010. Segundo James, representantes da companhia queixaram-se de que a FIA não “processou a proposta apropriadamente.”

Donnelly, obviamente, negou influência ou envolvimento na escolha da Manor, “apesar de estar consciente de suas responsabilidades como Chefe dos Comissários.”

O cerne da questão talvez não seja já nem o envolvimento direto da companhia de Donnelly com algumas equipes — pois isso parece fato consumado. Mas a completa falta de cerimônia de Max Mosley em não importar-se com as intrincadas e perigosas relações suspeitas de personagens próximos a ele que deveriam ser — supostamente — independentes e ilibados na hora de tomar decisões controversas — tanto em pista quanto fora dela.

Esta é a “Presidência forte” que Mosley deseja para a Formula 1. Não, Max, obrigado.

About these ads

Discussão

2 comentários sobre “Jornal inglês também levanta suspeitas sobre conflito de interesses na escolha da Manor Grand Prix

  1. Confesso que fiquei surpeendido não tanto com a escolha, mas com manutenção dela mesma após a paz desta quarta-feira. A Manor não tem tido um grande ano, e acho que é menos sólida que uma Epsilon Euskadi ou uma Prodrive. Se estas suspeitas se confirmam, então pode-se dizer que as equipas podem ter uma forte chance de protestar a inclusão da equipa no pelotão de 2010.

    Mas depois… o Tio Max sai em Outubro, essa questão pode deixar de ser colocada. Se retirarem de cena o Sr. Donnelly, nem essa parte se colocaria. Mas…

    Publicado por Speeder_76 | 27/06/2009, 8:08 pm
  2. é Becken, vc , eu, o speeder, e todos esses jornais sabem que as escolhas das equipes novas para 2010 não foram corretas e que Manor não era p/ estar entre elas, e só esteve por camaradagem a Mosley. E agora a notícia de que a Virgin comprará a Manor, como se especulou antes que faria com a brawn, só nos leva a crer que a FIA ainda tem cartas financeiras na manga, e ao que me parece, a melhor tática política no momento é deixar o Mosley quieto na dele, se mandando da FIA (pelo menos oficialmente) e cuidando da f.. vida pessoal que ele tem agora. É detestável isso, e muito, mas parece a melhor coisa a se fazer.
    Qualquer outra atitude resultará em impasse. No entanto, eu discordo de vc quanto à bem-aventurada FOTA e a Ferrari, de Montezemolo. Se vc puder aparecer lá no Histórias e Velocidade,verá o que a gente andou escrevendo sobre o Montezemolo e a atitude elitista da Ferrari. A FOTA tem em seu escopo de argumentos boas medidas. A FIA, olhando por certos ângulos, tinham as dela. Montezemolo e Mosley, aliás, o elitismo da Ferrari e a truculência de Mosley é que levaram a guerra a níveis baixos e perigosíssimos, pondo em risco muitos empregos, a categoria e a paciência do torcedor.
    Fica aí o link para quem não conhecia:
    http://historiasevelocidade.blogspot.com/

    Publicado por Ridson | 27/06/2009, 11:39 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 37 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: