//
você está lendo...
ARTIGOS

SOBRE KERS, SEGURANÇA E O PREÇO DA SUPERLICENSA

(IMAGEM: DIVULGAÇÃO/BMW)bmw-kers

(ALTA VOLTAGEM: você teria coragem de tocar em um carro de Formula 1 hoje?

A recente declaração pública dos pilotos, criticando “o abusivo” aumento de suas super licenças tem sido objeto de análise e crítica em sites especializados. O ponto central da contra argumentação da GPDA (Associação dos Pilotos) é a justificativa da FIA para tal aumento — o financiamento das medidas gerais de segurança na F1.

Duncan Stephen, em seu blog, Doctorvee, assina um inteligente artigo questionando as reais intenções da FIA na aquisição de mais e mais dinheiro nos últimos meses, explorando não apenas os pilotos, mas também as equipes, aumentando a licença para que elas corram em 2009. Assim como para os pilotos, a justificativa para tal aumento recai sobre medidas de segurança.

O problema é que a única real culpada pelo aumento do perigo na Formula 1 em 2009 é a própria FIA, não pilotos ou equipes. A adoção do que seria o revolucionário sistema de recuperação de energia, o KERS, tem se provado a cada dia um grande equívoco, aumentando os riscos de pilotos, mecânicos e fiscais de pista ser eletrocutados.

Leia a recente entrevista de Max na Autosport e você entenderá que Max sabe dos riscos inerentes à adoção do KERS na F1, apesar de não parecer tocado pelo perigo. Max faz alusão ao fato de as baterias do sistema serem montadas por algumas equipes dentro dos seus tanques de combustível. Se as baterias do sistema entrarem em um processo em conhecido como “sobrecarga térmica” o calor tende a aumentar e não é preciso ser gênio para perceber que o arranjo é receita para um iminente desastre.

Os novos modelos para 2009, com suas asas dianteiras excedendo a largura frontal dos pneus, são muito mais suscetíveis a toques em momentos de ultrapassagem ou largadas.

Nem Bernie Ecclestone escapa de pôr a vida dos pilotos em risco. A adoção dos Grandes Prêmios de Cingapura, realizado à noite sob o risco de um blecaute, ou o da Europa em Valência, com pontos de velocidade a 315km/h com muros a milímetros dos carros, são atentados contra a vida de pilotos, dos profissionais que dão apoio ao espetáculo e também do público que assiste às corridas nas arquibancadas.

Quando os interesses de Max Mosley ou Bernie Ecclestone se chocam com a segurança dos pilotos os dois não pensam duas vezes para pô-los em risco, por que então Lewis Hamilton ou Kimi Raikkonen deveriam pagar a mais pelos riscos que FIA e FOM lhes impõe?

Discussão

Um comentário sobre “SOBRE KERS, SEGURANÇA E O PREÇO DA SUPERLICENSA

  1. Também achei a pista de Valência totalmente desnecessária. O circuito é ruim do ponto de vista das disputas, a velocidade é muito alta para muros tão próximos dos carros e, o pior, a Espanha tem outros circuitos muito bons para ceder uma segunda corrida como “GP da Europa”: Jerez (que bem que poderia entrar no lugar daquela pista de testes – só serve pra isso mesmo – de Barcelona) e uma pista na própria cidade de… Valência!!

    E ainda querem fazer um GP em Roma…

    Sobre o KERS, só prova a hipocrisia do “consciente” Mosley.

    Publicado por Vitor, o de Recife | 12/02/2009, 9:08 am

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: