//
você está lendo...
ARTIGOS

Razões por trás da guerra…

OK, eu sei que vocês devem estar cansados da história dos difusores, mas eu gostaria de partilhar alguns míseros pensamentos a respeito do tema com vocês.

Os comentaristas aqui parecem inclinados a acreditar na Brawn GP e, principalmente, propensos a torcer pela equipe nesse final de semana, e a insistência de Renault, Red Bull, Ferrari e agora BMW, em levar a questão a foro superior, parece choradeira de mau perdedor. É e, ao mesmo tempo, não é.

As equipes reclamantes parecem pressionar a FIA para que ela seja cristalina na redação do seu regulamento, enquanto a própria FIA parece enrolada em seus pormenores burocráticos. A culpa maior, portanto, é da FIA, que não teve o cuidado e esmero em ser específica e detalhista em uma das áreas mais críticas e aerodinamicamente  importantes de um carro de F1, responsável por gerar quase 50% de downforce.

Hoje, descobriu-se que a solução adotada pela Brawn GP não é nova, mas herdada da Super Aguri, depois de a Honda absorver parte do staff da dissolvida equipe irmã. A solução do difusor da Toyota também carrega algum DNA da Super Aguri, levado para lá por um dos aerodinamicistas que ficaram sem emprego. A solução da Williams é a mais original de todas. Portanto, não é algo novo e a FIA deveria saber disso também.

Mas o que melhor revela o porquê das equipes estarem em pânico com o difusor da Brawn, é a entrevista de Mário Theissen hoje na Autosport. Segundo o dirigente da BMW, sua equipe tem consciência do quanto de benefícios um difusor como o da Brawn GP pode trazer, mas eles não poderiam adotá-lo já na Malásia. Seria preciso um bom tempo de preparação para isso e, mesmo que a equipe desenvolvesse o seu próprio, com certeza ela não chegaria ao mesmo nível de aperfeiçoamento que o da Brawn.

Em resumo, os adversários de Brawn GP, Williams e Toyota, estão em pânico, pois não tiveram a coragem de arriscar e adotar uma solução como a da Brawn. Um difusor é algo complexo, que se banido, poderia afetar toda a estrutura do carro, jogando fora todo um projeto. A Brawn deve ser recompensada pela esperteza em saber ler e interpretar as regras, encontrando uma brecha preciosa — e também pela coragem ao seguir adiante em seu projeto, algo que parece ter fascinado até a Charlie Whiting, responsável departamento técnico da FIA.

A culpa, portanto, mais uma vez, deve ser depositada somente na conta da FIA e de seus péssimos redatores.

Discussão

6 comentários sobre “Razões por trás da guerra…

  1. Caraca, Becken! Onde você arruma tempo para escrever tanto durante todo o dia? :-)

    Publicado por Alexandre Carvalho | 26/03/2009, 6:32 pm
  2. Becken,

    Se possível, poderia postar algum link para acompanharmos os treinos de hj!

    Um abraço.

    Publicado por Iomau | 26/03/2009, 6:36 pm
  3. Vídeo ainda não encontrei nada, mas vc pode acompanhar pelo live timing do site oficial da F1:

    http://www.formula1.com/services/live_timing/

    Pô, Alexandre, fiz a redação desse post em 15 minutos, meu amigo.

    Se eu tiver as informações, a coisa flui e aí é bem rápido ;)

    Publicado por Becken Lima | 26/03/2009, 6:45 pm
  4. Pô Becken, ta ficando até chato…Mas, mais uma vez, parabens pelo texto.
    Acho que, sem duvida alguma o seu blog foi o mais “didático” em toda essa história dos difusores e esse seu ultimo texto, tambem foi bem elucidativo.

    Abraços

    Publicado por Rafael Mello | 26/03/2009, 7:09 pm
  5. Didático? Vc não viu nada ainda..rsrsrsr

    Acabei de postar um gráfico com as diferenças entre os difusores, estou tentando dissecar o regulamento para TENTAR expor as diferenças:

    https://f1around.wordpress.com/2009/03/26/diferenca-entre-difusores/

    Publicado por Becken Lima | 26/03/2009, 7:12 pm
  6. Eu entendi, Becken. Escrever rápido é a parte mais fácil. O que eu pensei foi no tempo gasto para pesquisar tanta coisa assim durante o dia antes de produzir um post. Eu mal consigo dar conta das informações que chegam ao meu e-mail, incluindo os releases das equipes, imagine se ainda for pesquisar durante a correria do trabalho. Só me resta mesmo o curto tempo livre que me sobra quando chego em casa. :-)

    Publicado por Alexandre Carvalho | 27/03/2009, 1:11 am

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: