//
você está lendo...
ARTIGOS

CORRIDA DESENVOLVIMENTISTA

grafico-desenvolvimentista2

Nessa manhã de ressaca, pós GP do Bahrein, a discussão entre os chefes de equipe concentra-se no nível de desenvolvimento de suas equipes e também das rivais.

John Howett, presidente da Toyota, parece nesse momento paranóico com o que McLaren e Ferrari poderão fazer na fase européia, que iniciará no próximo GP da Espanha. John tem razão. Mesmo longe de seu quartel-general, o que certamente afetou um pouco a sua logística, a McLaren foi quem mais demonstrou fôlego e capacidade de evoluir um carro concebido com sérios problemas aerodinâmicos.

Se você observou bem o nível de Ferrari, BMW e McLaren durante essas quatro corridas, talvez os resultados em pista falem por si, mas ao acessar os tempos do Q2, a segunda fase da classificação no sábado quando os carros atingem o pico de desempenho no final de semana, as diferenças revelam pequenas nuances.

A instalação do difusor provisório pareceu fundamental para a equipe de Lewis Hamilton recuperar terreno, mas o que impressiona é o dado fornecido por Martin Whitmarsh, de que a equipe fez 12 pequenas modificações técnicas do GP da China para o do Bahrein.

Ao invés de concentrar esforços em uma grande atualização para Barcelona, como Ferrari e BMW, o plano de desenvolvimento passo a passo pareceu o melhor enfoque até aqui. Depois do Bahrein a equipe encontra-se na quarta posição no mundial de construtores e a sétima no de pilotos, com Lewis a 22 pontos do líder, o que lhe dá esperanças de ainda lutar pelo campeonato.

O meu primitivo gráfico acima mostra que nas duas primeiras corridas da temporada, a McLaren tinha a monstruosa diferença que variava entre 0.9 décimos e 1 segundo separando-a da “Super Brawn”. Com o difusor provisório e mais outros pequenos “updates” ela descontou 4 décimos na China. Domingo, mais dois décimos foram limados em relação à Red Bull, a equipe mais rápida no Q2 do Bahrein.

A Ferrari, que parece mal das pernas esperando um carro praticamente novo para Barcelona, não parece tão mal das pernas assim quando se observa seu desempenho no Q2. Ela acompanha a curva de crescimento da McLaren de forma menos incisiva, mas mantém uma tendência, o que é encorajador para Felipe Massa.

A BMW talvez seja o grande exemplo de uma equipe estagnada, que afundou sob a agilidade de McLaren e, em menor extensão, de Ferrari. Toyota, Red Bull e Brawn devem ficar de olho e acelerar seus processos desenvolvimento, porque esse estado de coisas não permanecerá imutável por muito tempo.

Anúncios

Discussão

22 comentários sobre “CORRIDA DESENVOLVIMENTISTA

  1. Becken,
    Muito bom o InfoGráfico F1 Around.

    Agora fiquei curioso de ver os números da RENAULT, já que modificaram difusor/assoalho nas 2 últimas corridas …

    1abraço

    Publicado por Henry | 27/04/2009, 1:28 pm
  2. Talvez na Espanha seja o lugar ideal para se fazer uma leitura da Renault. Tenho a leve impressão de que Alonso renasce lá, muito pelas características do circuito…

    Publicado por Becken Lima | 27/04/2009, 1:37 pm
  3. Becken com o perdao da minha chatice , mas vc poderia fazer algo assim para todas as equipes ?

    Desculpe eh que imagina a Redbull como a equipe que mais cresceu e sim podemos ter uma ideia de onde esta o resto do pessoal…

    Concordo contigo que a partir de Barcelona poderemos ter uma melhor impressao do que vai rolar .

    Um abraco,

    Fernando

    Publicado por Fernando Piccione | 27/04/2009, 1:59 pm
  4. Legal esse gráfico analisando o Q2, um parâmetro interessante.

    Alguns contrapontos:

    “Ao invés de concentrar esforços em uma grande atualização para Barcelona, como Ferrari e BMW, o plano de desenvolvimento passo a passo pareceu o melhor enfoque até aqui.”

    Sem querer ser arrogante, mas na minha opinião você foi um tanto quanto incoerente aqui.

    Veja bem: Como que se pode comparar se é melhor uma grande mudança ou em doses homeopáticas se as equipes que preparam as grandes mudanças ainda não a fizeram?

    Unicamente sobre o prisma do desempenho dos carros, os 9 pontos do Hamilton se relativizam bastante. ( batida vettel-kubica, quebras da ferrari, FIA tirando os pontos do hamilton na australia, etc).

    Quanto ao gráfico apenas uma correção: No Bahrein o melhor tempo do Q2 da ferrari foi a 0.353 do primeiro, pois o Kimi Raikonen fez 1:32.827.

    Sugestão: usar os tempos de Q3 também é interessante, já que hoje possuímos dados das quantidades de combustível, confrontar Q2 e Q3 também e interessante para entender a sensibilidade dos carros em relação ao peso.

    Publicado por Thiago | 27/04/2009, 2:01 pm
  5. Becken,
    Já sentiu a demanda, né?

    Bom, a sugestão é que o InfoGráfico pós-Barcelona dê uma geral em todas as equipes (sem querer abusar do amigo blogueiro…)

    Com relação à sugestão do Thiago, penso que o Q3 mascararia os dados ou tende a tornar o gráfico menos legível.

    Tenho feito este tipo de acompanhamento para o KERS, mas utilizo as FASTEST LAPS em corrida, porém corro o risco de ter os dados mascarados se o piloto foi constantemente atrapalhado pelo tráfego.

    1abraço

    Publicado por Henry | 27/04/2009, 2:15 pm
  6. Thiago, obrigado pela correção do gráfico. Vou conferir e corrigir se errado… ;)

    “Ao invés de concentrar esforços em uma grande atualização para Barcelona, como Ferrari e BMW, o plano de desenvolvimento passo a passo pareceu o melhor enfoque até aqui.”

    Na verdade, todas as equipes atualizam os carros prova a prova… O que eu imagino é que algumas equipes tenham atualizações na agulha, mas devem ter um processo moroso de manufatura.

    A história do difusor da Ferrari, por exemplo, a equipe gastará uma pequena fortuna para desenvolvê-lo. Imagine a burocracia que deve ter isido para Stefano convencer a “board” do quanto era necessário para desenvolver o componente…

    Eu acho que isso está fazendo a diferença em favor da McLaren.

    O que imagino é que a BMW e a Ferrair estavam cofiantes e não se prepararm para o cenário que se apresenta nesse momento.

    Sobre o Lewis, eu realmente não foquei nos seus pontos como prova do desenvolvimento do carro, mas como produto dele, o que é diferente.

    Ainda sobre o Lewis, vc está sugerindo que ele está tirando mais do que o carro dele pode oferecer?

    Publicado por Becken Lima | 27/04/2009, 2:21 pm
  7. Henry,

    a curva da Renault (seguindo os critérios do gráfico) é melhor que a da Mclaren. Foi a equipe que mais evoluiu, segundo esses critérios. Não por acaso, Renault e Mclaren são os times que implementaram os novos difusores (ainda temporários). Ferrari está no mesmo ponto que no iníco do campeonato e BMW afundando de vez.

    Publicado por Anonymous | 27/04/2009, 2:25 pm
  8. “vc está sugerindo que ele está tirando mais do que o carro dele pode oferecer?”

    Pergunte ao Kovalainen …

    Publicado por Henry | 27/04/2009, 2:27 pm
  9. Interessante, Henry.

    Na verdade há muitas variáveis, tenho que admitir, mas para acessar a velocidade pura do carro, leves e com pneu bem macios, o Q2 é perfeito.

    Um problema que tenho que reconhecer e o qual o Thiago esteja fazendo referência, é que há carros que se comportam melhor com tanques vazios, mas cheios a coisa muda de figura, como é o caso da Brawn do Barrichello, que parece ser mais rápida que a do Button no Q2, mas quando põe combustível no Q3 parece abaixo e isso pode ser relativo ao estilo de pilotagem dos dois.

    Publicado por Becken Lima | 27/04/2009, 2:28 pm
  10. O Anonymous me deixou tentando a pôr a Renault no gráfico, mas eu desconfio que seja o caso mais complicado e enganoso.

    O Alonso em uma volta lançada é espetacular e tende a extrair do carro o que ele não tem principalmente na classificação, mas na corrida nem ele é capaz de manter um carro daqueles em um optimum contínuo durante tanto tempo…

    Publicado por Becken Lima | 27/04/2009, 2:32 pm
  11. Ferrari: Veja bem, há muita gente falando por aí a fora que o trabalho para trocar o difusor da ferrari seria bem grande em função de se mexer até em aspectos mecânicos para tal, redesenhar caixa de câmbio, etc. Eu já tinha comentado aqui, mas falei que a Mclaren provavelmente sairia na frente em relação a evolução do carro por saber desde de a pre-temporada que o carro era uma porcaria, ferrari e bmw descobriram depois.
    Então não se espante se a ferrari além do difusor trocar, bico, asa da frente, asa traseira, assoalho, e entre outros. Enfim, imagino uma mudança na proporção do tempo que demorará, não penso em morosidade (burocrática!?) nas mudanças, sim em complexidades técnicas…

    Lewis e McLaren: Você associou a melhora na McLaren e o desempenhos do Hamilton. O que eu quis dizer é que essa associação, sobretudo quando se está no meio do pelotão, é bastante relativisada por condições de corrida ( batidas, quebras,decisões de tribunal, etc), que não dependem unica e exclusivamente do desempenho do carro. Fato que pode aumentar ou diminuir a pontuação.

    Não, não acredito que Lewis Hamilton está tirando mais do que o carro dele pode oferecer… Sinceramente na minha opinião o Kovalainen não é parâmetro de comparação…

    Henry – É relativamente bem conhecida a perda de desempenho em função da quantidade de combustível, sendo assim, o Q3 é valido sim como parâmetro de comparação. Estipula-se que se perca algo em torno de 3,5 décimos de segundo por volta com o acréscimo de 10 kg no carro. Pode variar com o circuito, carro e piloto, claro.

    Publicado por Thiago | 27/04/2009, 2:43 pm
  12. Becken,
    Eu gostei da idéia do Q2 porque me parece o dado mais puro.

    Não que outros dados não venham a agregar, mas o gráfico está fotografando a tendência. Esta F1 é uma equação muito complexa. Você veja que a característica da pista do Bahrain foi favorável ao KERS. Já os próprios rumos futuros do KERS dependem da variável mais difícil de se calcular: a política.

    E, com relação ao Alonso, bem observado: ele por si só é uma variável a mais …

    Publicado por Henry | 27/04/2009, 2:50 pm
  13. Aposta pra espanha: BMW é a que mais vai evoluir.

    Será que a Brawn vai ter fôlego para se manter a frente?

    Dois aspectos: Dinheiro e potencial do carro.

    O carro é muito bom, mas será que ainda tem muito o que ser melhorado? E no que tem a ser melhorado, são mudanças relativamente simples?? Bom, cenas dos próximos capítulos, hehehe…

    Publicado por Thiago | 27/04/2009, 2:55 pm
  14. Thiago,
    O Q3 com certeza é válido, mas é que, como você mesmo falou, entra o fator combustível, então, no fim das contas, é uma variável ou dimensão a mais.
    Penso que fica mais difícil de se representar graficamente.

    Sobre o campeonato: Button com 31 pontos e poderia ser 36, se não fosse a interrupção do GP da Malasya. Para um piloto da Ferrari alcançar, por exemplo, já está difícil ..

    Publicado por Henry | 27/04/2009, 3:58 pm
  15. Henry – Dá pra fazer sim… não precisa colocar tudo no gráfico, é só “equalizar” os tempos de acordo com os pesos…

    Publicado por Thiago | 27/04/2009, 4:22 pm
  16. Parece que a BMW vai repetir a saga do ultimo ano, aquela que podia ser, mas nao foi.

    Publicado por Ingryd Lamas | 27/04/2009, 5:34 pm
  17. Becken,
    sobre a CORRIDA DESENVOLVIMENTISTA …

    Acabei de ler no Amigos da Velocidade
    “STR4 contará com novo difusor no GP da Espanha”
    http://www2.uol.com.br/teojose/noticias/ult794u63704.shl

    ‘A equipe Toro Rosso anunciou que seu carro – o STR4 – contará com uma nova versão do difusor…’, mas sendo tudo da Famiglia Red Bull, onde fica o Adrian Newey nessa história? Existe um desenvolvimento Toro Rosso separado da Red Bull?

    Publicado por Henry | 27/04/2009, 5:51 pm
  18. Becken, muito bom o gráfico !

    Sempre podemos melhorar (talvez a essência do autombilismo), como foi sugerido por muitos amigos nos post, mais acho que do jeito que está já é uma grande ferramenta.

    A única coisa que lhe pederia, era estender para as demais equipes e ir postando até o final do ano, sempre junto com a análise da classificação.

    O perigo é alguém das equipes descobrir, e lhe chamarem para trabalhar junto dos caras dos computadores que apareceram na TV e fizeram a festa para o Galvão Bueno.

    Quanto a evolução, ou “corrida desenvolvimentista” esse ano ela parece estar no cerne da definição do campeonato, o que aliado à proibição de testes na pista trazem um cenário muito interessante.

    Essa corrida armamentista vai mostrar quem tem melhor estrutura, quem melhor gerencia crises, quem sabe trabalhar sob pressão, quem tem sensibilidade para ajudar no desenvolvimento dos carros usando só a sexta-feira….enfim, um campeonato dentro do campeonato.

    O Ico fala inclusive que conversando com um engenheiro da Brawn, ele afirmou que Barrichello seria peça fundamental da equipe para o desenvolvimento do carro ao longo da temporada.

    Uma coisa que tem me chamado a atenção é a postura do Mario Thiessem da BMW. A equipe é claramente a grande decepção da temporada. Deixou de brigar pelo título no ano passado para se preparar para esse ano, e parece que escolheu um caminho de desenvolvimento errado.

    Foram os primeiros a testar com as noas configurações, e pareciam os mais entusiasmados com o Kers.

    Tem chamado a atenção a postura equilibrada da equipe na crise.Ninguém acusa ninguém.

    Espero muito deles.

    Publicado por Sirlan Pedrosa | 27/04/2009, 5:55 pm
  19. Excelente, Becken! Muito legal não apenas o gráfico como a observação como um todo. Só acho que deve haver um pouco de cuidado com relação à uma simples comparação com os tempos do Q2, já que o ritmo de corrida é determinante para se avaliar o real desempenho de um carro. Mas para isso, o trabalho de cálculo seria muito maior, embora não tão difícil.

    Observo a Toyota, por exemplo, que teve no Bahrein um ótimo ritmo de classificação e um péssimo ritmo de corrida – muito em conta de sua dupla de pilotos. Já a Brawn GP foi o contrário: Com o pior desempenho em classificação até aqui, a equipe sobrou em desempenho de corrida, com voltas consistentes e uma performance segura.

    Honestamente, acredito que a McLaren ainda entra nessa briga pelo título, sobretudo por que tem em Hamilton um grande trunfo que pode fazer a diferença. A Ferrari pode até ocupar uma posição de pontuação frequente e até uma ou outra vitória, mas não creio que entre na disputa pelo campeonato.

    A BMW, então… essa perdeu completamente a mão. Pode se recuperar, tem verba e suporte pra isso, mas a situação é muito grave na equipe alemã.

    Abraço!

    Publicado por Hugo Becker | 27/04/2009, 8:44 pm
  20. Becken,

    Não é sempre que tenho a “oportunidade” de comentar em um site wordpress. Gostaria de, apesar de fazer ponderações às muitas variáveis difíceis de rastrear em um gráfico linear, parabenizar pela elaboração do mesmo.

    Quebrar o marasmo dos períodos “entre provas” com análises dos dados obtidos no fim de semana is the way to go! Especialmente algo ainda mais original, como fez, do que apenas replicar os já ótimos gráficos do F1 Fanatic por exemplo.

    Enveredar por estas análises enriquecerá ainda mais o site.

    Publicado por Thiago Leopoldo | 29/04/2009, 3:27 pm
  21. Obrigado, Thiago ;)

    Estou tentando elaborar um que abranja o restante das equipes, está dando trabalho…

    Espero finalizá-lo antes do GP da Espanha!

    Abração

    Publicado por Becken Lima | 29/04/2009, 3:32 pm
  22. Disponha.

    Trabalhe nisso e colherá bons frutos, pode ter certeza.

    Publicado por Thiago Leopoldo | 29/04/2009, 4:39 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: