//
você está lendo...
ARTIGOS

O DESMAIO DE FERNANDO E A MALDIÇÃO DO KERS

(IMAGEM: gettyimage)alonso-desmaia(FERNANDO CAI: bicampeão sofreu sem água e com temperaturas de  65ºC em seu cockpit)

O bicampeão espanhol Fernando Alonso sofreu uma leve queda de pressão e perdeu os sentidos por alguns segundos logo após o final da corrida no Bahrein. A prova foi disputada no ar seco do deserto e sob temperaturas médias de 36º a 38ºC graus, com o cockpit de Alonso chegando a absurda temperatura de 65ºC. Um problema no seu reservatório de água o fez passar parte da corrida sem hidratar-se, o que pode ter causado o mal-súbito.

Não há como ter certeza, mas fica a suspeita de que Fernando talvez tenha sido vítima de sua intensa preparação feita na pré-temporada, que teve como objetivo perder peso e ajudar a equipe a ter mais flexibilidade para instalar no R29 o sistema de recuperação de energia, o KERS.

Quanto menor o peso do piloto, melhores as chances de cada equipe distribuí-lo equilibrada e eficientemente no carro através do lastro, que é mais flexível e eficiente e pode ser instalado em qualquer ponto do carro.

Este é o primeiro impacto, mesmo que não diretamente, do complexo sistema no desempenho de um dos pilotos e há grande preocupação quanto a segurança de mecânicos e comissários ao lidarem com os carros.

O KERS parece ser a grande maldição da F1 no momento e a sugestão de Flávio Briatore de que a FOTA procurará banir o sistema em 2010 encontra eco nas palavras do presidente da entidade, Luca di Montezemolo:

“KERS representa muito dinheiro. O sistema representa algo que foi introduzido para estabelecer uma ligação entre a Formula 1 e pesquisas avançadas para carros de rua em termos de energia, de tecnologia [ambientalmente ] limpa e em termos de inovação. Então, nós imediatamente desenvolvemos o KERS, mesmo que o KERS significasse muito dinheiro [gasto], problema com segurança e com confiabilidade; mesmo que significasse projetar um carro completamente diferente — como fez a McLaren e outras equipes.”

Não sou engenheiro, mas o que diz a minha confusa intuição em tudo o que leio sobre o tema, é que o KERS foi a principal causa na queda de performance de McLaren, BMW e Ferrari em 2009. Se você não sabe, as equipes são como escolas de engenharia, com filosofias e métodos próprios, o que significa que algumas tiveram que abandonar conceitos importantes para trás, como a mágica da relação de peso do chassi com os pneus para poder instalar o KERS em seus carros.

Há provas não muito consistentes, admito, de que o sistema tem prejudicado algumas equipes, como a Renault, por exemplo. Alonso andou sem o sistema na Malásia e teve um desempenho superior ao mostrado no Bahrein ontem, quando estava com o sistema. Toyota, Brawn GP, Williams e Red Bull, os melhores carros nesse momento, nenhum deles tem o sistema embarcado, o que dá mais uma pista de que talvez o KERS seja o grande equívoco da FIA em 2009.

Em Barcelona as equipes mostrarão grandes atualizações em seus carros, não será surpresa se uma delas anunciar que abandonará o sistema esse ano.

 

Discussão

16 comentários sobre “O DESMAIO DE FERNANDO E A MALDIÇÃO DO KERS

  1. Agora só falta ir fazer o molde do assento do carro.

    http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Formula_1/0,,MUL1099810-15011,00.html

    Publicado por O Polêmico | 27/04/2009, 7:30 pm
  2. saiu uma reposrtagem na autosport aqui, no comecinho da temporada sobre isso, comparava os pilotos, com fotos dos mesmos na ultima tempora e na atual, e, visivelmente, o que perderam mais peso foram Raikkonen (que era quase marombado, e ficou magrelo) Rosberg (que está esquelético) e Alonso (que está inegavelmente bem mais magro) as fotos são assustadores, e a desses tres são as que mais apavoram.

    Publicado por Ingryd Lamas | 27/04/2009, 7:39 pm
  3. Becken,

    Sei que vc eh um cara antenado que busca sempre as melhores fontes de informacao e talvez voce possa explicar oq ue raios aconteceu com a BMW.

    Essa equipe fez tudo que se propos em timming e planejamento e agora virou uma carroca…

    vc acha que eles perderam o rumo por conservadorismo e querer sempre fazer as coisas com mais tempo e tranquilos ?

    Sera que a BMW vai demorar outros 4 anos pra voltar a ter um carro competitivo?

    T pergunto isso por que a maioria das pessoas acreditavam que a BMW e o Kubika seriam candidatos ao titulo principalmente por terem abandonado o projeto 2008 em detrimento ao carro 2009.

    Um abraco,

    Fernando

    Publicado por Fernando Piccione | 27/04/2009, 7:50 pm
  4. A ideia do KERS, em si, é muito legal. Na prática, mostrou-se em alguns momentos bastante interessante. O problema é que talvez o desenvolvimento da peça dentro dos regulamentos estipulados pela FIA não seja proveitoso o suficiente para fazer com que o aparelho torne-se mais eficiente e indispensável para equipes e pilotos.

    Sendo assim, estou com Montezemolo e do Briatore. Até por que, se a intenção de Max Mosley é reduzir os custos e colocar até um teto limite no orçamento das equipes, o caríssimo desenvolvimento do KERS vai na contramão disso…

    Publicado por Hugo Becker | 27/04/2009, 8:52 pm
  5. Alonso não deve estar muito bem fisicamente.
    Vamos dizer que não foi tão desumano assim a corrida lá. o calor e tal, mas nenhum outro piloto sofreu tanto.
    Em todo caso é melhor abrir os olhos.

    Publicado por Ron Groo | 27/04/2009, 9:16 pm
  6. Se o KERS não for proibido para 2010, teremos uma bela contradição. Uma sinuquinha em que a própria FIA se meteu.

    Quem já o desenvolveu agora, já deve ter gastado sua pequena fortuna nele, caso em que, me corrijam se estiver errado por favor, não contabilizariam este prejuízo no orçamento de 2010.

    Por outro lado, quem está atrasado, ou preferiu deixar o desenvolvimento para 2010, não terá condições de, dentro de um orçamento bem enxuto, incluir tal dispositivo no projeto.

    E aí? Quem tem tem, quem não tem fica sem?

    Talvez o orçamento de 30 milhões de euros não subsistirá com o KERS e vice-versa. Um dos dois cai.
    Acho que os 2 caem.

    PS: O que já tem de equipe se assanhando para entrar em 2010 gastando o “orçamento mínimo” da FIA hein? Lola, Aston Martin, ISport da GP2. O Bernie vai pirar aquela cachopa branca dele pensando num grid com quase 30 carros.

    Publicado por Iomau | 27/04/2009, 10:24 pm
  7. Fernando, a explicação da BMW é simples. É a única equipe que não inclui nenhuma atualização no carro desde Melbourne. Foram competitivos nos dois primeiros finais de semana e progressivamente menos nas duas provas seguintes. Não deve der lhes ajudado que o traçado do Bahrain prejudicava menos os carros mais mal nascidos.
    Iomau, Kers ano que vem é previsto para ser padronizado (provavelmente ou o Kers da McLaren ou o da Williams que ainda não estreou mas tem a vantagem de ser mecanico e não elétrico), ou seja as equipes vão ter que pagar um valor para o fornecedor, mas ninguém vai gastar uma fortuna desenvolvendo. Mas o limite do orçamento dificilmente será de 30m, conhecendo os hábitos do Max ele jogou verde lá embaixo com a expectativa de obrigar a engolirem num valor mais realista. Acho que vamos terminar com um limite de uns 60m que exclui salarios de pilotos e algumas figuras-chave da equipe.

    Publicado por Filipe Furtado | 27/04/2009, 11:44 pm
  8. Fernando – o Filipe tem razão. Eu tenho um post planejado sobre a BMW, vamos ver se consigo escrevê-lo durante a semana.

    Mas já que vc citou o Kubica, ele ficou “P” da vida que a BMW desistiu da temporada depois da vitória no Canadá em 2008 para pensar em 2009. Acho que o mote do post é mais ou menos esse, sobre a frustração do Kubica…

    Abraços!

    Publicado por Becken Lima | 28/04/2009, 12:46 am
  9. Esse lance dos pilotos perderem muito peso para adaptar o KERS é uma insanidade. Os caras ficaram mais fracos fisicamente e isso acaba acontecendo. Tão brincando de administrar a F1. Fora KERS 2010!!!

    Publicado por Ylan Marcel | 28/04/2009, 10:20 am
  10. Olha ai mais uma pista para onde vai o Alonso ano que vem. Observem o que ele nao disse aqui.

    Mas é uma vergonha para fábricas como a Mercedes e a Renault, que gastam milhões por ano. Ambas desenvolvem e fornecem os motores à Brawn e à Red Bull e as duas, por sua vez, brigam pelo título. De qualquer de forma, é assim que as coisas são”, finalizou.

    QUem ficou de fora da critica ?????

    Publicado por Claudio Cardoso | 28/04/2009, 10:27 am
  11. Eu acho que a tradução está errada, Cláudio e isso comprometeu todo o sentido do comentário do ALonso.

    Em inglês ele disse: “it is a shame for Renault and Mercedes that they spent the money…”

    O inglês do Alonso é o britânico, e a frase deveria ser traduzida assim:

    “É uma pena para Renault e Mercedes que elas gastem dinheiro…”

    Esse é mais um caso de má tradução desses portais. Eles não entedem do jargão da F1 e pior, também não entendem de certas sutilezas do inglês. Quer vergonha…

    O Tazio, or exemplo, “traduziu” melhor:

    http://tazio.uol.com.br/f-1/textos/10000/

    Publicado por Becken Lima | 28/04/2009, 10:49 am
  12. realmente bem diferente.

    é foda ainda acreditar em algo la do FG PQP.

    ele se referia apenas as duas equipes lideres e seus fabricantes de motor.

    Por falar em FG, nao sei pq ainda perco tempo lendo o forum do cara, mas pelo que eu vejo que ele anda escrevendo nos comentarios do blog dele, rapaz o cara esta se achando o POP STAr.

    Publicado por Claudio Cardoso | 28/04/2009, 11:35 am
  13. Sinceramente acho que o grande equívoco foi tornar o KERS algo opcional. É para usar ou não ? Novamente vem uma resposta em cima do muro e dá nisto.

    Publicado por Arthur | 28/04/2009, 2:09 pm
  14. Que tal aumentar o peso minimo permitido? Isso teoricamente favoreceria os carros com KERS

    Publicado por filho do vento | 28/04/2009, 2:15 pm
  15. O peso mínimo está muito baixo. Há pouco tempo estava a casa dos 750kg se não me engano. Agora com a utilização do KERS só piora a situação. Um piloto ter que amagrecer(considerando que eles já têm boa forma física) 5kg, 10kg em alguns mêses é agressão à saúde. E pra quem ganha a vida a 300km/h, isso pode ser um tanto perigoso.
    Mais uma bola fora do tio Bernie e sua equipe.

    Publicado por KBK | 28/04/2009, 7:42 pm
  16. @Becken,

    “talvez o KERS seja o grande equívoco da FIA em 2009”

    O KERS para 2009 sempre foi opcional, e possui a potência que tem hoje devido a argumentos de Ferrari e McLaren que gostariam de vê-lo mais fraco para esta temporada.
    Ou seja, erro das equipes que avaliaram muito mal o impacto do dispositivo.

    _________

    @Fernando Piccione,

    A BMW não abondonou o desenvolvimento tão cedo assim, porém está pagando caro por decisões erradas. O carro não teve o melhor nascimento e não tem recebido tantos updates deste o shakedown. Além de dizer que parecer menos desenvolvido (falando em quantidade de horas) no pacote aerodinâmico em comparação aos demais competidodres já se tornou lugar comum.

    Em suma: erraram feio, não têm recursos para uma recuperação rápida e estão apostando as fichas no kit de modificações que farão do carro. Logo saberemos o resultado.

    _________

    @Hugo Becker,

    “Até por que, se a intenção de Max Mosley é reduzir os custos e colocar até um teto limite no orçamento das equipes, o caríssimo desenvolvimento do KERS vai na contramão disso…”

    O maior detrator do budget cap é justamente Luca de Montezemolo…
    Porém a opinião do presiente da Ferrari está ancorada no fato de que a instituição do teto orçamentário seria opcional, permitindo aos times dentro deste orçamento usufruir de uma maior liberdade técnica quanto à mecânica (especialmente) e aerodinâmica. O que criaria duas categorias dentro da F1, uma aberração para qual muitos torceram o nariz.

    Hoje, na mesma reunião do Conselho Mundial de Esporte a Motor onde o caso do “Lie-gate” foi julgado, Mosley reforçou o posicionamento da FIA sobre o teto, mas desta vez, os termos seriam os de que este valeria para todas as equipes. O posicionamento da FIA deve ser publicado nesta quinta 30/04 e a FOTA deve responder dentro em breve, digamos uma semana e meia.

    _________

    @Iomau,

    Se há algo que precisa de uma definição neste momento, é a obrigatoriedade do KERS para 2010. No momento, o dispositivo será obrigatório para todas as equipes e terá sua capacidade de armazenamento, de rajada e de potência ampliados. Fala-se muito em um único fornecedor. A próxima reunião da FOTA terá o KERS como uma das pautas principais, e as equipes devem apresentar uma proposta à FIA.

    Minha opinião é de que o dispositivo será mantido como opcional.

    Quanto à Lola, Aston Martin, iSport, USGPE e etc, tudo parece mais um golpe publicitário. Basta pensar que a fabricante dos chassis de competição da Aston Martin é justamente a Lola. As equipes entram se o o motor Cosworth vingar. Se vingar é a F1 quem não vinga…

    @Arthur, a graça é o KERS ser opcional. Quando todas as equipes o tiverem, não haverá diferença entre as mesmas.

    _________

    @Filipe Furtado

    Exatamente tudo o que você disse, porém o KERS da Williams dificilmente será empregado, tenho dúvidas se a própria equipe algum dia o utilizará.

    _________

    @Ylan Marcel & Ingryd Lamas & filho do vento

    A solução para isso pode ser bem simples: piloto + acento devem pesar X kg. Se o piloto pesar X-10 kg, 10 kg de tungstênio devem ser adicionados AO ACENTO. Aumenta-se um pouco o peso mínimo do carro e a questão está resolvida.

    Acredito que o caminho que deveria/venha a ser seguido seja este.

    Publicado por Thiago Leopoldo | 29/04/2009, 4:17 pm

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: