//
você está lendo...
ARTIGOS, POLÍTICA NA F1

A Formula 1 seria a mesma sem a Ferrari?

Os fãs da Ferrari devem estar, nesse momento, ultrajados e sentido na pele o sabor amargo da verve ferina do presidente da FIA, Max Mosley. Max está levando a sua agenda orçamentária para a F1 às últimas conseqüências e sugeriu, candidamente, que se a Ferrari não concordar com os termos presentes em seu regulamento e deixar a categoria, a Formula 1 sobreviverá.

O super jornalista de F1, Joe Saward, tem a melhor síntese da importância da equipe para a F1 e da relação simbiótica que existe entre a Ferrari e a categoria através desses 60 anos de história:

“A FIA sabe que a Ferrari é uma marca muito mais poderosa que a F1. O Cavalo Rampante é muito mais evocativo que a pedestre logomarca da F1. A Ferrari é de longe a mais popular equipe na F1.

A McLaren atrai fãs com a sua ostentação tecnológica, a Williams consegue apoio por causa da paixão de seus donos, a Minardi foi popular por causa do seu status de azarão, mas a única equipe que leva os fãs à loucura é a Ferrari — e não importa quem esteja pilotando. Não são apenas os italianos de sangue rosso que seguem a Ferrari. O sentimento é o mesmo ao redor do mundo. Por quê? Porque a Ferrari tem uma grande herança em competições. Ela é uma equipe legendária.

[O valor da] marca Ferrari não baseia-se apenas no fato de que gente rica compra os seus carros — embora isso seja verdade para muitas companhias — mas no fato de que há uma mística sobre a Ferrari da qual as pessoas querem fazer parte. A Ferrari vem a muito tempo representado o orgulho e o estilo italiano, com os carros vermelhos sendo o símbolo do que os italianos fazem de melhor.

Mas a F1 é um elemento chave na marca Ferrari. E a Ferrari é um elemento chave na marca F1”.

Joe Saward no Grand Pix

Eu, particularmente, não compreendo nem nunca tive tal fascinação pela Ferrari a ponto de “desejar fazer parte de sua mística”, mas jamais seria estúpido de negar a importância da equipe e do valor de sua marca e herança competitiva para o universo da Formula 1.

Além da importância comercialmente estratégica, há outro forte elemento que a Ferrari invoca com a sua presença e que é de extrema importância para a F1: que é uma certa intensidade dramática em sua natureza e que ela empresta de forma natural à categoria — e isso é algo inestimável.

Mesmo em épocas não tão vitoriosas quando era motivo de piada pelo paddock, a Ferrari reteve parte desse seu prestígio e herança, mantendo-se como um dos atores principais no teatro da F1. Equipes nasceram, se estabeleceram e se foram, mas a Ferrari permaneceu impávida, representado ela mesma um dos patrimônios históricos da própria F1.

No fim de mais esse imbróglio político, todos nós sabemos que haverá uma acomodação de interesses, pois foi assim na década de 80, quando a Ferrari ameaçou abandonar a F1 pela primeira vez e ir de mala e cuia para a Formula Indy.

Sim, a Formula 1 fatalmente sobreviveria sem a Ferrari, mas perderia parte de seu encanto e graça.

Anúncios

Discussão

63 comentários sobre “A Formula 1 seria a mesma sem a Ferrari?

  1. A Ferrari é importante? Sim

    Mas parece que não sabe mais perder………

    Publicado por nasser | 03/05/2009, 9:29 am
  2. E ao seperder encanto e graçã, o Sr. Mosley e a sua “regrada” F1 perderiam logo de cara alguns milhões de euros, cujo teto orçamentário não compensariam. A marca do cavalo empinado é tão mítica quanto o logo da maçã foi para os Beatles e a fabricante genial de computadores. Diga-se, em tempo, as histórias da Ferrari e da Apple tem muita similaridades. O mundo sobrevive sem elas, mas sem o mesmo encanto.

    Publicado por Paulo Coruja | 03/05/2009, 9:50 am
  3. Realmente concordo que a F1 sobreviva sem a Ferrari. So que estamos esquecendo de algo importante. A Ferrari saindo provavelmente iria junto a McLaren, BMW, e nas Talvez teriamos Renault e Willians e Toyata.

    Agora a pergunta é outra, se tivermos dois campeonatos um chamado de F1, monomotor, afinal a unica fabricante será a coswworth, com um fornecedor unico de pneu, e um outro campeonato chamado de Campeonato X com Ferrari, Maclaren, Willians, Renault e Toyota

    e sem contar que no CAmpeonato X teremos, Raikkonen, Alonso, Hamilton, Massa

    qual campeonato voces iriam Acompanhar ? qual campeonato a Midia iria dar enfase ?

    E no principal que interessa para o proprio Bernie, Qual campeonato será mais rentavel $$$$$$$$$$$$$$$$$ ??

    Publicado por Claudio Cardoso | 03/05/2009, 11:41 am
  4. Boa pergunta Cláudio. As grandes marcas, Peugeot, MItsubishi, criaram um campeonato de Rali à parte ao da FIA e depois de alguns anos a entidade foi obrigada a homologá-lo como oficial.

    Se as grande fabricantes tiverem “balls”, como diria o Lewis, isso poderia acontecer e eu, não tenho dúvida, me debandaria para o lado deles…

    Publicado por Becken Lima | 03/05/2009, 11:46 am
  5. Becken, diante dessa guerra por poder e dinheiro entre FIA, FOM e FOTA, vou me arriscar a fazer uma pequena previsão ou adivinhação sobre o futuro!

    Se em 2012 houver o desligamento ou separação das montadoras com a F-1. E se as montadoras realmente realizarem o seu próprio campeonato o GPWC. A Fórmula 1 se tornaria um campeonato mais simples, barato, monomarca, com pilotos menos conhecidos e com custo-benefício atraente para equipes independentes, mas perderia muito em status. A Gran Prix World Championship teria status, seria mais moderna, multimarcas, teria vários pilotos conhecidos, mais premiações, desenvolvimento tecnológico e um custo altíssimo.
    Claro que haveriam outros fatores além destes que citei, pois é apenas um chute meu.
    Acho que as duas poderiam sobreviver por um tempo separadas, mas será que no futuro iria aconteceria a mesma coisa que aconteceu com a IRL e Champcar nos Estados Unidos?

    Publicado por Jobson | 03/05/2009, 1:33 pm
  6. Boa reflexão Jobson. Mas o que tenho admirado na FOTA é a capacidade da nova entidade de saber estabelecer metas que seja razoáveis e mais ponderadas que a própia FIA.

    O caso do novo sistema de pontuação é só um bom exemplo de como a FIA “pensa” saber o que é melhor para a F1, mas na verdade parece mais sujeita aos interesses particulares de Bernie ecclestone e do CVC, os donos da marca F1.

    O único poblema de termos uma liga depedente de grandes companhias é que companhias morrem, vão à falência e todo esporte necessita estar acima de interesses corporativos, por isso que a FIA seria importante.

    E é aí que percebemos que o “X” da questão não é a FIA, mas a maneira como ela é gerida e por quem ela é gerida.

    A intenção de Mosley em preservar a F1 da crise é louvável, mas nós sabemos que os seus métodos e o seu estilo não são os mais indicados para isso, há gente mais competente que ele, que teria feito um trabalho melhor ao longo da história.

    Se a F1está em crise, Max tem a sua aprcela de culpa.

    Um ponto sobre a Indy e Champ Car. A Indy tem um certo cartaz aqui no Brasil, mas é muito mais por ela ter semelhanças com a Formula 1, mas é uma categria sem a mesma expressão que a NASCAR nos States e mesmo na Europa hoje…

    Publicado por Becken Lima | 03/05/2009, 2:47 pm
  7. acho inviável dissociar… pq será maléfico p/ ambos..essas equipes precisam do prestígio da marca f1 e a f1 precisa do prestígio e dos dólares/ euros das equipes
    os autódromos iriam se dividir então?
    e não acho que maclaren ou bmw iriam junto com ferrari, se esta saísse…só ocorreria de iniciativa de todos, combinadas, e a fota ainda não tem essa força toda p/ tanto.
    acho mais fácil mosley e bernie ecclestone falecerem antes.

    Publicado por Ridson | 03/05/2009, 3:02 pm
  8. F-1 sem Ferrari não é F-1 e pronto, não adianta fãs da mclaren pretenderem, na teoria, comprovar o contrário, simplesmente porque isso não é possivel. O mito ainda é vivo e carrega a paixão por automobilismo consigo…se derem as costas para a fábrica italiana ou se esta resolver sair, acabou…

    Publicado por Edgard | 03/05/2009, 3:49 pm
  9. Olha eu acho que uma cisão nunca vai acontecer por mais que as equipes façam a ameaça. Logisticamente é muito complicado. Para começar não tem tantos circuitos do mundo que podem por questões de segurança receber estes carros e invariavelmente os circuitos do atual calendario estão presos por contrato ao Bernie por anos (sério eu duvido que alguem consiga um calendario com 16 provas para a primeira temporada e menos provas obviamente significa menos grana). Fora que seria uma operação muito complicada para empresas como a Mercedes, BMW ou Ferrari com os gastos que mantem com a F1. Uma serie não se monta do nada e mesmo se tivesse as principais equipes e pilotos da F1, a nova série teria que enfrentar uma série de dificuldades. Para sair precisaria ou das montadoras estarem dispostas a engolir algum prejuizo num primeiro momento ou alguém disposto a investir pesado para lucrar depois.

    Ah, e Max pode fazer as bravatas dele a vontade porque sabe que no fundo a Ferrari é tão dependente da F1 quanto a F1 dela (se não for mais).

    Publicado por Filipe Furtado | 03/05/2009, 4:22 pm
  10. Filipe sinceramente, autodromo com capacidade para um racha, nao vou te dizer que tem 16, porque na realidade sao muito mais que 16, se a gente pegar a lista dos que ja sairam da F1 nos ultimos tempos ja vai dar isso.

    Agora com certeza 2011 talvez esteja em cima, mas 2012, eles tem total capacidade de fazer um campeonato independente. Ate pq Estrutura e Knowhow eles possuem, e grana, imaginemos a FOM faz isso, e nao da prejuizo, muito pelo contrario tio Bernie é um dos mais ricos da INglaterra, entao nem precisariam por a mao no bolso para fazer, pq ela seria muito mais que sustentavel.

    Agora, o campeonato Monomarca do Tio Bernie, iria ser de pilotos aposentados ou desconhecidos, pq nao iria resistir 2 anos sem as grandes marcas e pilotos.

    o Becken que é da area pode falar melhor sobre isso, o que iria acontecer com a audiencia e principalmente com os patrocinadores.

    Uma coisa, que talvez ainda nao se tenha levantado questao, é que as Equipes ate agora nao assinaram o termo de compromisso de participacao para os proximos anos com o tio Bernie, e ele obviamente que ja esta preocupado, tanto é que ja falou que quem nao assinar, ele nao vai pagar as cotas, transporte e nao sei o que mais. Ai vem a pergunta, se nao assinaram até agora, é pq no minimo minimo, estao peitando e pagando para ver que eles querem condições melhores, ou mais que isso, fazendo ja um plano B, nem que seja apenas para mostrar para o tio Bernie que podem fazer sozinhos, e conseguir negociar em condicoes melhores.

    Publicado por Cláudio CArdoso | 03/05/2009, 5:22 pm
  11. Claudio vou te dar um exemplo: se rolar cisão não tem GP no Brasil até do dia em que o contrato de Interlagos com Bernie acabar ou se a prefeitura resolver abrir os bolsos e pagar pelos 2 GPs (o que é bem complicado) porque não tem outro autodromo onde uma série como a F1 poderia correr sem que alguém gastasse muito dinheiro em reformas. Da para correr em Jerez, Portimão, Imola, A1-Ring, Silverstone, Brands Hatch, Hockenheim, Montreal, Magny Cours ou Le Mans, Montreal, Indy, Fiji (por ser da Toyota) e talvez alguns circuitos de rua ou se algum promotor tiver disposto a pagar muito em reformas de alguns autodromos europeus antigos. Inclusive porque Max é obrigado a sancionar a série, mas se quiser a FIA torna a vida dela num inferno e pode colocar senões de segurança mesmo e3m algumas pistas que eu listei. Vale lembrar que quando a CART tentou entrar no mercado europeu pela primeira vez a FIA barrou e só foi liberar para os americanos correr num não-oval fora dos EUA quando a CART já estava decadente.

    Publicado por Filipe Furtado | 03/05/2009, 10:39 pm
  12. Já que não é mais a debandada da Ferrari a questão do post.

    Imaginemos a seguinte linha; Se houvesse um campeonato paralelo a F1, com as grandes, Ferrai, Mclaren, BMW, etc…

    Quanto essas equipes iriam faturar com um campeonato organizado, onde todo dinheiro seria gerido pelas equipes, sem o atravessador da FOM. E quanto poderiam usar esse dinheiro para o desenvolvimento de novas tecnologias de “verdade”.

    E Filipe não imagino que os autodromos tenham contrato de exclusividade com a FOM, então teriamos Spa, Interlagos, Silverstone, e poderiamos ter devolta, Imola, Brands Hatch e muitos outros cepados pela FOM.

    Seria um campeonato de verdade, não essa coisa que querem fazer.

    O Max tem medo das montadoras debandarem como fez a Honda, mas o maior medo dele é elas fazerem um campeonato melhor e largar ele sem nenhuma equipe, talvez por isso essa baboseira de teto e aceitar 1 equipe a mais do que antigo regulamento permitia.

    Publicado por Claudemir Freire | 04/05/2009, 9:37 am
  13. Penso que a categoria sobreviva sim, mas com apenas 1/5 do interesse mundial por ela.

    Publicado por Ron Groo | 04/05/2009, 9:53 am
  14. Filipe -> pode ate nao ter corrida no Brasil. Como sabemos existem outros autodromos na America do Sul que podem receber a corrida, e sem contar que poderiamos ter tambem a volta da F1.

    Quanto aos aspectos legais, Nao sei ate que ponto poderiam fazer sem a FIA, tendo em vista que para alguns dos autodromos que nao tem FIA, nao teriam nada a perder, se a FIA chegar ao extremo de descredenciar os autodromos.

    Tivemos exemplos disso ate mesmo no brasil, quando o pessoal do kart debandou e resolveu fazer ligas independentes e deram uma Banana para o que Achava a federação de automobilismo/FIA, a CBA/FIA, ameaçou descredenciar qualquer piloto que corresse nessas pistas. So como exemplo uma delas foi a Granja Vianna, se fosse ao pe da letra na ideia deles, nem as 500 milhas de Kart poderiam ter acontecido, e ai iam ter de excluir, Massa, Rubinho, Schumacher (na epoca, e mais um montao de pilotos.

    O Becken ai ja deu ate o exemplo do Campeonato de Rali que as montadoras bancaram e no fim acabou virando o oficial (valeu pela informaçao eu nao sabia disso).

    Nao existe a Menor Possibilidade de num Eventual Racha mesmo para valer, as Montadoras nao levarem a melhor. Qualquer CAmpeonato que a FIA faça sem os Grandes nomes do Automobilismo, sem AS grandes marcas, nao ia ser nada alem de uma GP2. Pergunta quem do publico acompanha GP2 ?

    a F1 ia ser a GP2 e o campeonato das montadoras ia ser a F1.

    Outro detalhe, nao tenho certeza se alguem tiver como confirmar melhor, as televisoes ao longo do mundo, fecham o contrato anualmente. Eu me lembro que do ano passado para esse, por pouco a Globo nao deixou de fechar, porque nao tinha conseguido a cota de patrocinio para bancar. Se realmente os COntratos forem anuais, eu faço mais uma pergunta.

    Tem dois campeonatos um a F1 e outro a Formula X, com ferrari, maclaren, BMW, ……, Hamilton, Massa, Haikkonen, ALonso, Kubica e outros.

    e temos a F1=Gp2.

    Voce como dono de televisao vai fechar com quem ???

    e mesmo quem fechar com a F1, nao vai quere nemmmm de longe pagar o que paga hoje para transmitir. logo o lucro do Tio Bernie, vai para as cucuias, e mais ainda, as cotas que vao para as equipes, vai cair assustadoramente.

    Publicado por Cláudio CArdoso | 04/05/2009, 11:11 am
  15. Corrigindo, quando a globo quase nao fechou foi no ano de 2007 para transmitir o de 2008 e nao de 2008 para 2009

    Publicado por Cláudio CArdoso | 04/05/2009, 11:14 am
  16. Eu, na verdade, nunca fui torcedor da Ferrari em si, só venho torcendo pela Ferrari porque a equipe tem dado oportunidades para pilotos brasileiros ganharem corridas (coisa que a McLaren não faz há muitos e muitos anos).

    Não torço por equipes, torço por pilotos, acho que são os pilotos os verdadeiros astros das corridas e não as equipes.

    Agora, independente de minha opinião, é indiscutível a importância da Ferrari para a F1, sendo ela a única equipe que tem torcida como se fosse um time de futebol.

    Mclaren e Willians, únicas equipes tradicionais remanescentes, são também equipes importantes, mas não chegam aos pés da Ferrari em termos de importância e popularidade. A F1 suportaria o desaparecimento das duas citadas (já sobreviveu por exemplo ao sumiço de Lotus, equipe à época, tão ou mais importante que as duas), mas acho que não sobreviveria ao sumiço da Ferrari.

    Nesse sentido, acho bom o Bernie e o Max Chicotinho pensarem bem no que estão aprontando.

    Publicado por Cassius Clay Regazzoni | 04/05/2009, 11:27 am
  17. Cassius – O Barnabé Ecclestone já tá botando panos quentes: http://autosport.aeiou.pt/gen.pl?p=stories&op=view&fokey=as.stories/70543

    Essa história toda parece mais um Chilique do chicotinho…

    Publicado por Thiago | 04/05/2009, 11:51 am
  18. (mudança das regras e campeão quem tiver mais vitórias)…sei que será objeto de um post próprio, mas vou me antecipando…acho que ano que vem, a F-1 não terá nem Ferrari, nem Mclaren, nem BMW, Williams, ou seja, nenhuma outra equipe, poir max chicotinho aprontou mais uma, empurrando goela abaixo o regulamento do ano que vem, em clara manifestação de que ‘aqui mando eu’, peitando a FOTA. Acho que a coisa vai ficar mais feia do que já está…

    Publicado por Edgard | 04/05/2009, 12:38 pm
  19. Eu me tornei torcedora da Ferrari por causa de Schumacher, e torceria por qualquer equipe na qual ele entrasse. Por curiosidade, fui aprendendo um pouco mais sobre a Scuderia e imagino que assim como Michael também fui me apaixonando pela equipe.

    O ponto mais positivo da equipe é que todos que estão lá sempre sonharam em fazer parte dela, principalmente os italianos. Existe uma paixão verdadeira em representar a Ferrari. Algo muito difícil de acontecer numa equipe inglesa pelas opções disponíveis no seu próprio país. E os relatos dos engenheiros estrangeiros são sempre positivos principalmente pelo ambiente ser mais familiar, mais amigável.

    Durante muito tempo essa paixão, esse ambiente familiar foram na verdade um empecilho à organização. Esse foi o maior trunfo de Brawn e Todt, eles conseguiram manter tudo isso dentro de uma estrutura racional.

    Publicado por Larissa Oliveira | 04/05/2009, 1:05 pm
  20. @Cláudio Cardoso & Filipe Furtado

    Os senhores precisam ter em mente algo importante: Quem garante que a FOTA estaria unida na ocasião de um racha com FOM e FIA?

    Dito isto, o que garante que os patrocinadores das equipes que decidiram sair da F1 para um FOTAGP da vida?

    Cotas de TV… as emissoras que possuem seus contratos com vencimentos posteriores a 2010 (2011, 2012…) estariam obrigadas a transmitir a F1, ou teriam de pagar multas.

    Quanto aos circuitos, não acredito que existam restrições de contrato para a realização de outras séries. Falho algum erro meu, nestes circuitos outras categorias de monopostos são disputadas (sem necessariamente haver qualquer vínculo com a FIA).

    De qualquer forma, Magny-Cours, Montreal, A1-Ring, Jerez, Ímola, Algarve, Istambul e Monza seriam apenas alguns dos circuitos a disposição.

    Outra coisa, quem disse que as equipes teriam dinheiro para organizar um campeonato mundial? Mesmo se todas juntas? Europeu creio que sim, porém as corridas em uma emirado distante ou no leste asiático seriam inviáveis. O que não chega a ser necessariamente algo ruim…

    ________

    Ainda assim, acredito que tudo isto seja um exercício de músculos de Mosley. Logo saberemos o resultado real disto.

    Publicado por Thiago Leopoldo | 04/05/2009, 1:29 pm
  21. Bom como os negócios e a F1, estão caminhando cada vez mais juntos, faço um enlace:

    A FIAT está se aproximando da Daimler. Me parece que assumirá as operações da montadora nos EUA.
    Imagino que esta proximidade se reflita também dentro das pistas, com a Ferrari e Mercedes.

    Imagina se uma compra a briga da outra, e a F1 perde suas duas principais equipes…
    Aí sim, a F1 não resistiria…

    Já não consigo imaginar a F1 sem Ferrari, sem a arqui-rival Mclaren então… vou começar a assistir Stock Car.

    Ffigueiredo

    Publicado por Ffigueiredo | 04/05/2009, 1:37 pm
  22. Thiago –>

    A Fota realmente nao esta unida, tanto que nos meus post nunca mencionei isso. Sempre Falei da Ferrari, BMW e Mclaren, que tem emitido comunicados sempre parecidos. e COloquei num eventual racha as equipes Renault, Toyota e Willians.

    QUanto as cotas de TVs, acontece que nao estao sendo fechadas por trienos, no maximo esta fechado ano que vem,mas isso no maximo, logo eles poderiam em 2011 ja estar com a nova categoria, que teria uma Apelo muiiito maior. E outra coisa, as TVS nao estao impediddas de transmitir tb as duas categorias.

    Patrocinadores. Os patrocinadores sao da Equipe Ferrari, Equipe Maclaren, e nao da FIA, logo se a Ferrari for correr de Kart, ela vai junto. Tanto é que basta vc ver que qualquer piloto, quando vai participar de uma corrida de brincadeira de Kart, ele vai com o Macacao Oficial, obviamente ele nao o faz por caridade.

    Sinceramente Thiago, voce acha que Ferrari, BMW e MacLaren, nao tem dinheiro para fazer um campeonato ??

    Voce acha que um CAmpeonato da Prejuizo é isso ??

    Queria muito eu ter dinheiro para montar um, logo estaria rico que nem o tio Bernie.

    Publicado por Claudio CArdoso | 04/05/2009, 2:09 pm
  23. Ffigueiredo,

    A FIAT está em negociações com a Chrysler que é controlada pelo Cerberus. A Daimler já encerrou ou está encerrando a participação que tinha na Chrysler.

    Publicado por Jobson | 04/05/2009, 2:14 pm
  24. E aí Becken,

    E por falar em Ferrari, não vai comentar a mais nova demonstração de inferioridade promovida pelo piloto Rubens Barrichello?

    A Rede Globo e Galvão Bueno deram meia hora de exposição para que aquele sujeito destilasse novamente todo o seu rancor contra Schumacher e a Ferrari. O pior foi o sujeitinho assumir que não iria falar mal da Ferrari no tal livro para que seu filho tivesse uma chance de um dia guiar para a scuderia. Mais mau caráter que isso eu estou pra ver.

    Essas tentativas de empurrar Barrichello garganta abaixo dos pobres telespectadores comuns são de dar dó (da pobre audiência).

    Publicado por Cassius Clay Regazzoni | 04/05/2009, 2:22 pm
  25. Becken e amigos,

    Conforme já comentado por aqui, e principalmente agora que Bernie vem a público colocar água na fervura entre FIA e Ferrari, fica cada vez mais claro que Mosley está fazendo esse terrorismo todo para ceder um pouco com relação ao teto orçamentário.

    Ele pede 40 milhões de libras, mas é bem provável que um valor superior a isso pode ser objeto de composição entre as equipes e a federação.

    As equipes aceitam o teto, Mosley aumenta o valor, Bernie faz um cafunezinho em Montezemolo, e tudo fica bem.

    P.S. Quem ainda não viu, no Blog do Groo, há um post sensacional sobre como seria “SE” Ayrton Senna tivesse sobrevivido ao acidente da Tamburello. Ficou demais.

    Abraço.

    Publicado por Iomau | 04/05/2009, 2:32 pm
  26. @Claudio CArdoso

    Entendo muito bem relações de marketing, direitos contratuais de imagem e exibição de marcas. Não preocupe-se em tentar explicar-me.

    Você parece ter entendido errado a relação patrocinadores/tv que mencionei. Está intimamente ligada à distribuição de sinal de vídeo da competição em emissoras de maior público e os acentos de cada piloto dentro das séries.

    Por exemplo: A Toyota opta por ser conservadora e manter vínculos com o campeonato organizado pela FIA. Automaticamente as emissoras japonesas terão mais interesse em transmitir a F1 da FIA; O que faz com que patrocinadores de empresas japonesas, ou que mirem o público japonês, busquem patrocinar a Toyota ou mesmo outras equipes dentro do campeonato da FIA.

    O mesmo vale para o oposto, supondo que Williams e McLaren (ou qualquer equipe com contrato assinado junto a Hamilton) debandassem para um FOTAGP, a mesma tornaria-se muito mais interessante para o público britânico, e receberia portanto maior carga de patrocinadores visando o Reino Unido investindo em equipes desta série. Certamente a BBC a esta altura já estaria com um contrato assinado junto a um representante da FOTA.

    No fim das contas, ambas as séries perdem! Pois a quantia final patrocinadores e parceiros é rachada no meio. Isso em um momento em que estabilidade financeira é um sonho de consumo para qualquer uma das equipes.

    “Sinceramente Thiago, voce acha que Ferrari, BMW e MacLaren, nao tem dinheiro para fazer um campeonato?”

    Não têm. para organizar um campeonato com as exigências de segurança impostas pela FIA hoje, certamente não têm.

    As equipes não possuem infra-estrutura, logística, pessoal qualificado e parceiros para organizar 16-18 provas. Não é questão de jogar dinheiro no problema e achar que ele se resolveria por si só. Seria preciso que já possuíssem uma instituição própria contatando TV, circuítos, seguranças, médicos, fornecedores, transportadoras, fiscalização e mil mundos mais para iniciar um campeonato organizado em 2011. Tal coisa não existe. O que existe é a CVC.

    “Voce acha que um CAmpeonato da Prejuizo é isso ??
    Queria muito eu ter dinheiro para montar um, logo estaria rico que nem o tio Bernie.”

    E você realmente acha que um campeonato estreante, após passar por toda uma reforma e desenvolvimento de infra-estrutura administrativa e de negócios (nem o modelo de negócios existe ainda) renderia lucro no primeiro ano? De verdade?

    Tenha em mente que o tio Bernie recebe 50% (CIQUENTA por cento) dos valores arrecadados pela realização de um campeonato. Não é a por menos que o mesmo está multi-milionário. Sem esta parcela, as equipes teriam um retorno muito maior mas não necessariamente extrairiam lucro do campeonato. Caso contrário não precisariam estampar patrocinadores.

    Publicado por Thiago Leopoldo | 04/05/2009, 3:10 pm
  27. Ah, Cassius… aquilo foi uma piada… e boa até! :)

    Publicado por Becken Lima | 04/05/2009, 3:16 pm
  28. A questão não são os contratos serem exclusivos. É que eles são longos e caros. Os autodromos estao presos ao Bernie por mais pelo menos uns 5 anos (com raras exceções, o de Spa salvo engano é curto) pagando uma fortuna e não tem condições de bancar dois eventos deste porte. Este é um problema, o outro é que a FIA certamente exigiria uma serie de reformas em quase qualquer circuito que não recebeu autorização recente para receber F1, por exemplo quando a CART tentou correr em Spa no fim dos anos 90, a FIA apontou uma série de reformas já que os carros seriam tão rápidos quanto os da F1 mas menos seguros e os belgas desistiram (anos mais tarde deram ok para Champ Car correr em Zolder que nem de longe tem a segurança de Spa), se a FOTA tentasse correr em certos autodromos antigos como Buenos Aires ou Kilayami o mesmo certamente aconteceria.

    Publicado por Filipe Furtado | 04/05/2009, 3:29 pm
  29. Thiago ->

    Voce falou da questao Japonesa, relacionando a Toyota, mas nao nos esqueçamos que o campeonato é maior que a Toyota, O Japao é um grande mercado para formula 1 muito antes da Toyota ter uma equipe propria. E sinceramente nao acredito de forma alguma que o interesse do Japao pela formula 1 se deva pela Toyota, ate pq se dependessem disso, eles estavam ferrados a anos…

    A Formula 1 no Japao, é um esporte consolidado, nao é do tipo de audiencia daquelas que dependem de um coadjovante local, como foi o tennis por exemplo no brasil. Ate mesmo pq tirando a McLaren Honda, eles nunca tiveram nenhum sucesso (que eu me lembre, pode ser que aparece ai alguem bom de historia que va me contrariar :-) )

    As equipes que constroem os carros sob os rigidos padroes da FIA, nao ter condicao de escrever o regulamento e fiscalizar, sinceramente, minha opiniao, ME recuso terminantemente a acreditar. Ate pq em ultimoooo caso, poderiam copiar o regulamento de segurança existente.

    Aqui na empresa, que é uma coisa minuscula comparando com a Formula 1, conseguimemos montar turnes de shows em 5 paises, turnes as vezes com publico de 40.000 pessoas por show,com 10 toneladas de equipamento viajando, e fazemos tudo somente por telefone, contactando e procurando as pessoas certas, nao acredito mesmo que uma coisa imensa como as empresas de formula 1 nao consigam fazer. Detalhe aqui somos apenas 5 pessoas.

    Sinceramente Thiago, eu continuo achando que tem estrutura sim.

    Afinal de contas seria somente contactar algumas das empresas que prestam serviços a FOM.

    O mundo, gira em copiar as experiencias dos outros, nao é nenhum misterio atentar como as coisas sao feitas hoje, e simplesmente copia-las de quem ja tem experiencia.

    A equipes de formula ja tem pessoal formado em Logistica com extrema intimidade de como é feito o transporte e desembaraço de tudo nessa parte.

    Equipe médica, isso é a coisa mais facil do mundooo de se arrumar, eu, e quase todas as empresas do brasil que trabalhamos com eventos de porte medio a grande, teriamos condiçoes de realizar isso pela internet e telefone. Se o Problema da FOTA for esse, podem me contratar que resolvo :-)

    e Mesma coisa para as outras coisas, da trabalho ? UM PUTTA trabalho. Mas da para fazer sim.

    Para voce ter uma ideia, as empresas na Europa que fazem turnes grandes tipo Metallica, Celine, Bon Jovi, Iron Maiden, sao equipes extremamente pequenas, em geral em torno de 6 a 10 pessoas. Hoje esta tudo muito terceirizado, muito fragmentado.e tambem cuidam da parte televisiva da turne.

    Por telefone, internet hj eu arrumo por exemplo Um amplificador de Guitarra para por no dia Tal na Suecia por exemplo.

    Publicado por Claudio CArdoso | 04/05/2009, 3:49 pm
  30. Thiago,

    Outro detalhe, nao é porque o campeonato seja novo que nao va atraiar atençao.

    Pergunto eu. Se criarem, Campeonato Mundial de futebol dos times nao iniciados com Vogal. ai teriamos

    Flamengo, Corintias, Real Madri, Arsenal, Barcelona, Milan.

    Voce acha que ia dar prejuizo o campeonato so pq é novo ?

    Publicado por Claudio CArdoso | 04/05/2009, 3:52 pm
  31. A é um vogal ;)

    Publicado por filho do vento | 04/05/2009, 4:19 pm
  32. A é uma vogal (Fui fazer piada e escrevi errado) :)

    Publicado por filho do vento | 04/05/2009, 4:20 pm
  33. Um dado sobre Futebol:

    A atual liga de futebol inglêsa, A Premier League, foi criada em 1992 depois de um racha das equipes com a Federação inglesa de futebol que tinha um campeonato estabelecido desde 1888.

    Os clubes ingleses romperam com a federeação justamnete pelo mesmo motivo que a FOTA sonha em romper com a FOM, com o intuito de lucrar mais com os milionários direitos de transmissão. Hoje eles têm o campeonato mais rentável do mundo.

    É apenas um exemplo análogo sem muito valor comparativo, acho, já que a estrutura administrativa e esportiva, além da infra estrutura e logística dos dois esportes serem bem diferentes…

    Publicado por Becken Lima | 04/05/2009, 4:36 pm
  34. Galera, escrevendo rapido é uma merda !!! quis dar um exemplo de um club ingles, pensei no Manchester e nem sei porque escrevi Arsenal…….

    Becken.

    Ja é o Segundo exemplo que voce da, de situacoes semelhantes que nego pagou para ver, e no fim acabou dando certo.

    A premier
    e o Mundial de Rally.

    Acho que ja ta mais que exemplificado que tendo peito da para fazer.

    Publicado por Claudio CArdoso | 04/05/2009, 4:55 pm
  35. @Filipe Furtado

    Está absolutamente correto quando menciona a dificuldade de um autódromo realizar dois eventos da magnitude e exigência que categorias como estas poderiam gerar. Este sim um motivo definitivo. Além é claro daqueles circuitos que possuem contratos com tempos pendentes ainda longos. Cheguei a mencionar alguns circuitos que deixaram a F1 recentemente, porém, como você certamente notou, os mesmos saíram do calendário por questões financeiras e falta de investimento em infra por conta da bancarrota dos mesmos.

    __________________

    @Claudio CArdoso

    “o campeonato é maior que a Toyota”

    Verdade irredutível e inquestionável.
    Porém, você ainda está amarrado à audiência japonesa da mesma forma. Não digo que os japoneses não estarão interessados em assistir Ferraris e McLarens. Mas uma série ter um ou mais pilotos e equipes japonesas significa um diferencial grande. Especialmente porque dificilmente (especulando) uma mesma cadeia televisiva viria a transmitir ambas as categorias. Ainda que duas redes de televisão viessem a transmitir cada categoria no japão, certamente uma seria mais popular que a outra. Acredito que aquela categoria que envolva mais mão-de-obra local seria a privilegiada. Logo, mais investimentos naquela categoria.

    Talvez o Japão não seja um bom exemplo, mas imagine o mesmo cenário envolvendo agora Fernando Alonso…

    “As equipes que constroem os carros sob os rigidos padroes da FIA, nao ter condicao de escrever o regulamento e fiscalizar, sinceramente, minha opiniao, ME recuso terminantemente a acreditar. Ate pq em ultimoooo caso, poderiam copiar o regulamento de segurança existente.”

    1) Escreveriam o regulamento melhor que a FIA, sem dúvidas.

    2) Fiscalizariam melhor que a FIA, acredito que sim.

    3) Possuem pessoal contratado para fazer tudo isso, garantindo a qualidade? Não.

    Quanto ao regulamento de segurança me recuso a comentar, não basta copiar o manual da FIA, o mesmo tem de ser colocado em prática. A própria FIA não consegue fazê-lo direito, até hoje, imagine uma estrutura organizacional recém criada.

    Poderiam as equipes conseguir montar tal esquema? Claro que sim.

    Em dois anos? Não.

    “coisa minuscula”

    Este é o problema, meu caro. A coisa grande é bem mais custosa, leva muito mais tempo e envolve algo chamado planejamento. Contratar todo tipo de serviço para um evento cultural é muito diferente de medir cada irregularidade no asfalto de um circuito de 3km e lidar com questões como o escoamento de pista. Basta olhar para a organização do GP de Interlagos (que recebe muitas críticas, a propósito) para perceber que trata-se algo bem distante do lugar comum, e que certamente não é organizado em cinco dias.

    Carros a 300km/h. Lembre-se disso.

    É querer comparar maças com bananas, você sabe bem que o diabo está nos detalhes.

    “A equipes de formula ja tem pessoal formado em Logistica com extrema intimidade de como é feito o transporte e desembaraço de tudo nessa parte.”

    As equipes têm. Têm para a logística da equipe. O que eles sabem sobre a organização de um GP? Não falo de colocar umas placas em um pacote e enviar via UPS.

    “UM PUTTA trabalho”

    Que duvido que possa ser feito com os recursos disponíveis no prazo de tempo com a qualidade desejada.

    A F1 não se tornou o que é hoje do dia para a noite. Não seria FOTA quem conseguiria fazer tal feito. Podem montar uma série? Podem. Será como a F1? Tão cedo não.

    “Metallica, Celine, Bon Jovi, Iron Maiden, sao equipes extremamente pequenas, em geral em torno de 6 a 10 pessoas”

    O que uma apresentação do Iron Maidem requer por parte da organização de diferente em relação a uma apresentação da Celine Dion? Cuidados especial com o volume de fãs maior e possivelmente mais exaltados, pirotecnia, e por aí vai. Você liga para a empresa terceirizada pede: conseguem mais X seguranças?

    Agora, o que diferencia o GP de Interlagos da etapa da Stock Car? Acha que terá a mesma facilidade do caso acima.

    “Pergunto eu. Se criarem, Campeonato Mundial de futebol dos times nao iniciados com Vogal[…]Voce acha que ia dar prejuizo o campeonato so pq é novo ?”

    Novamente, não há comparação. Corro o risco de ficar me repetindo aqui.

    Além do fato de que você ignora a possibilidade de o campeonato ser um total fiasco. Simplesmente por que muitos torcedores podem achar que o campeonato não vale de nada e não passa de um torneio caça-niqueis. Ou ainda, o torneio é mal estudado, mal planejado e mal elaborado de tal forma que seja horrível de assistir.

    ____

    Se eu fosse um prestador de serviço ou fornecedor, e ouvisse um possível cliente com uma postura de organização como esta que está me apresentando, eu preferiria recusar o negócio a ter o nome de minha empresa envolvido.

    Publicado por Thiago Leopoldo | 04/05/2009, 5:09 pm
  36. @Becken

    “É apenas um exemplo análogo sem muito valor comparativo”

    Tal qual a NBA, acredito que este seria sim um bom caminho. Não acredito que este seja o momento porém. Em ambas as ocasiões os clubes possuíam a vantagem na negociação. Não me parece ser o caso da F1 agora.

    De qualquer forma, como contra-exemplo temos a Taça João Havelange.

    Publicado por Thiago Leopoldo | 04/05/2009, 5:13 pm
  37. @Claudio CArdoso

    “tendo peito da para fazer”

    A questão não é ter peito ou “balls”, mas sim ter garantias. Ou alguém acha que dez equipes entregam 50% do bolo com um sorriso estampado no rosto.

    Publicado por Thiago Leopoldo | 04/05/2009, 5:17 pm
  38. Thiago Leopoldo – To com o Claudio, é possivel fazer um campeonato independente sim…

    Não digo que terá 18 provas e renderá o mesmo que a F1 logo na estreia… Mas em medio prazo já estaria batendo de frente com a mesma…

    Gerenciamento de projetos é ciência exata, muito bem desenvolvida e com vários profissionais a disposição… e com certeza planejamento não ia ser o calcanhar de aquiles dessa empreitada…

    A questão central é, pra quer fazer isso se o Mosley chicotinho pode largar a presidência da FIA esse ano e o Tio Barnabé Eccletone já fala em negociação? Ou seja, pelo menos no curto prazo isso não aconteceria, mas com o andar da carroagem, no médio prazo nada impede a cisão…

    Publicado por Thiago | 04/05/2009, 5:36 pm
  39. Ciência exata?eu disse isso?

    Ave maria!!! hahaha

    Esquece essa parte, fica só com “ciência”…

    Publicado por Thiago | 04/05/2009, 5:42 pm
  40. O que parece estar no pano de fundo disso tudo é a velha questão “financeira do dinheiro” hehehe…

    As equipes querem mais dinheiro, Barnabé não quer dar, aí
    Barnabé Ecclestone diz: – Chicote(MAX), inventa umas loucuras aí na regra(nada de sado!, por favor) com um teto de gasto bem baixo, que quando reclamarem eu dou uma de bonzinho e negocio pra aumentar bastante esse teto, mas mesmo assim vai ser muito, mas muito menos do que gastam hoje. Aí não vão mais poder reclamar para aumentar o repasse deles… –

    Chicote – Mas que desculpa eu uso pra criar esse teto?

    Tio Barbabé – A CRISE rapaz, qualquer coisa é a crise, a gripe suína é culpa da crise, tudo é culpa da crise!!! Mas se encherem o saco, fala que… Ah, fala que é para poder entrar mais times… melhorar a disputa, enfim, essas lorotas, o pessoal gosta de ouvir isso…

    Publicado por Thiago | 04/05/2009, 5:57 pm
  41. Thiago –>

    È porque voce nao trabalha com a area globalizada talvez. Mas quase todas as grandes empresas que eu trabalho realizam da mesma forma. Inclusive todas na europa fazem isso, se nao fizessem assim, todas elas teriam de sair de um custo de 10 funcionarios para mais de 1000 funcionarios, e com certeza fechariam as portas.

    A segmentacao de mercado esta ai, e sinceramente duvido muito que alguem hj resista a isso.

    Vamos pegar a parte aerea entao, que como voce diz, a parte cultural vc acredita que seja mais simples, entao vamos la.

    Serviços de Catering, NENHUMMMMMAAA empresa area produz a comida que os passageiros irao comer. Pense bem que risco, afinal se alguem comer e passar mal a responsabilidade é da Compahia Area.

    Manutencao. Bem no Brasil temos uma empresa Chamada VEM que era do Grupo Varig, ela faz a Manutencao dos Boings, da Varig, Gol, Empresas Arabes, Empresas Europeias. Olha outro risco, os caras mandam os avioes para ca, para um pais de terceiro mundo, brasileiro desmontar e montar, mais uma vez um risco.

    Vamos aumentar o risco a VEM que faz a manutencao para as empresas areas europeias, retira a turbina do aviao, ponhe numa carreta, e ja envia para outra empresa que fica situada bem longe do aeroporto, na regiao serrana do rio, para desmontarem a turbina inteira, revisar, montar e enviar de volta para a Vem.

    A Airbus e a Boeing tambem fazem isso.

    Por exemplo eles querem um determinado sistema que possa ser interligado ao FMC ao GPWS e outras coisas, simplesmente eles mandam e-mails, solicitam a Raytheon, Honeywell, e varias outras, e ai a que ofecerecer o melhor custo beneficio mandam as minutas dos contratos e pronto.

    Acho melhor entao voce nao pegar mais aviao, pois do autocad, manutencao e comida, tudo é extremamente terceirizado. Com certeza a Boeing com mais de 5.000 fornecedores nao vai mandar la o executivo pessoalmente visitar cada instalacao, em varias partes do mundo, inclusive tem um programa que passou na discovery, que recomendo ao pessoal assistir que tratou bem esse assunto, eles falam que na construcao do Jato 777 estao envolvidas empresas de mais de 40 paises.

    QUando o Homem foi a Lua, nao existia tecnologia e o presidente Kennedy colocou o pais em um esforço para conseguirem chegar na frente dos russos,

    Para encerrar a frase

    Frase do Kennedy
    We choose to go to the moon. We choose to go to the moon in this decade and do the other things, not because they are easy, but because they are hard (“Nós decidimos ir a Lua. Nós decidimos ir à Lua nesta década e fazer as outras coisas, não porque elas são fáceis, mas porque elas são difíceis”).

    8 anos depois estavam na LUA !!!

    Alguns colocaram dificuldades em tudo e outros resolvem as dificuldades.

    Publicado por Claudio CArdoso | 04/05/2009, 5:57 pm
  42. Realmente a Taça Joao Havelange não foi o exemplo de sucesso.

    Acredito que o exemplo de insucesso da divisão nos EUA ( Indy, ChampCar) seria o mais próximo do que ocorreria na divisão da F1, se o racha fosse igualitário. Mas SE TODAS as grandes equipes da F1 montarem uma nova liga, acho que F1 em si perderia rapidamente o interesse. Exemplo, aqui na França, a Renault é o grande atrativo e patrocinador das transmissões. Se eles se mudam para nova categoria … ( Sem contar que o GP da França poderia voltar)
    ____________________

    Mudando de assunto, vendo velhos videos no Youtube (http://www.youtube.com/watch?v=rBOo5Ine7zw). Encontrei esse do barrica ultrapassando o Coulthard e não é que ele fez a mesma reclamação com mão. Seria um tique-nervoso do futuro não campeão de 2009?

    Publicado por filho do vento | 04/05/2009, 6:07 pm
  43. Publicado por filho do vento | 04/05/2009, 6:09 pm
  44. Thiago –>

    Tambem acho que a questao é o dinheiro.

    Toda crise, leva a racionar custos, e mais que isso, leva a racionalização de toda cadeia produtiva.

    A Alguns anos todos estavam faturando milhoes, ninguem estava nem se importando que Tio Bernie ganhava à epoca mais de 50%.

    Agora que esta todo mundo Apertado, logicamente que cada um começa a pensar de onde arrumar mais, e param para ver PQ ELE GANHA 50 % ???

    Publicado por Claudio CArdoso | 04/05/2009, 6:13 pm
  45. @Thiago Xará

    E o gerente de projetos nas horas vagas concorda contigo na parte do “exatas”.

    É possível montar um campeonato paralelo com certeza. A questão é o “bem sucedido”. Exatamente como você pode verificar, a melhor solução é a negociação da situação. Pois se o campeonato não for bem sucedido por um motivo qualquer, caminhões de dinheiro teriam sido jogados fora, a imagem dos envolvidos estaria arranhada, um esforço enorme teria sido gasto em vão e aqueles que não quebrassem estariam menos ricos.

    Uma temporada da hipotética série sem sucesso absoluto, e veríamos garageiros quebrando e montadoras pulando fora do barco. Só o prospecto desta mudança já propiciaria uma fuga de investimentos. Assim como neste exato momento alguns shareholders estão repensando seus envolvimentos.

    Sobre os jogos de Entre MrE e MrM a figura é próxima a esta mesmo.

    Publicado por Thiago Leopoldo | 04/05/2009, 6:14 pm
  46. Qual campeonato seria mais prejudicado se existir essa cisão ?

    Um que existe a decadas que é mal gerido ?

    Ou um novo que pode vir a ser bem gerido por exemplo por Ron Dennis ?

    Claro nem tudo nos primeiros anos para ambos serão flores, mas como foi a porcaria da IRL no início, uma merda(como é até hoje), mas o caras engoliram a CART.

    Por outro lado a F1_FIA_FOM perderiam mais, com saídas de pilotos renomados e equipes. Como já disse, Max Mosley tem mais medo dessa debandada das equipes do que uma crise que tiraria elas de qualquer categoria, por isso essa palhaçada de 26 carros, orçamento ridiculo, vencedor por vitória e etc…

    Imaginem como tudo que conhecemos daria uma reviravolta tremenda, dois campeonatos, um pobretão com equipes da GP2 e outro com BMW, McLaren, Ferrari, Williams, Toyota, Renault, Red Bull´s e Brawn.

    Alguém comentou do possivel ficar de uma Toyota por exemplo, mas pensem se os anunciantes japoneses iriam querer ficar do lado mediocre da coisa ?

    Publicado por Claudemir Freire | 04/05/2009, 6:25 pm
  47. Claudemir –>

    È o que eu tenho dito aqui, e brigado com unhas e dentes.

    O Meu ponto de vista, nao é que teremos dois campeonatos para brigar.

    Será um COM Pilotos Gp2, e equipes pequenas.

    E outro com todas as estrelas de pilotos e equipes. È mais que obvio que os anunciantes vao ter uma debandada geral. E digo mais, aposto aqui com qualquer um, que se rachar a Willians ainda vai pro lado das grandes, o Frank é um cara inteligente.

    Thiago Leopoldo —> escrevi um post aqui,mostrando aqui os riscos que voce corre ao pegar aviao, porem ficou preso no SPAM.

    Publicado por Claudio CArdoso | 04/05/2009, 6:45 pm
  48. Claudio Cardoso,

    Não a menor possibilidade de haver um campeonato de F1 sem Mclaren, Ferrari e Williams.

    Se houver um campeonato com qualquer que seja o nome, com Mclaren, Ferrari e Williams o mundo inteiro vai assistir, porque lá vão estar Massa, Hamilton, Alonso e Button.

    A minha concepção a marca F1 só existe por causa das equipes, sem essas equipes a marca F1 é uma logo mal desenhada.

    Aos que defendem um acordo entre ambos por achar que nessa cisão o lado mais fraco é o das equipes, esta totalmente enganado.

    Choveria patrocinadores sérios para logistica, infraestrura de transmissão de TV (o que acho uma bobagem, deviam deixar a cargo do país do evento), name-Sponsor para todas as provas do calendario, autodromos lendarios seriam trazidos de volta e os patrocinadores que correram da F1 nos ultimos anos graças as merdas da FIA voltariam sorrindo para um campeonato com regras e sério.

    Lembrem-se a FOA não coloca 1 real no mundial, só arrecada, arrecada dos circuitos, tv´s, sponsor de cada corrida e das placas estaticas.

    Não precisariam de uma montanha de dinheiro para gerir um campeonato, precisariam de trabalho sério e competente, a quem eu daria a Ron Dennis (apesar de não gostar dele, mas não quero que ele case com minha filha, quero que ele arrume tudo com a competência que lhe é dada)

    Então não adianta, seria melhor para nós um campeonato novo, com tudo novo, sem Mosley´s, Bernie´s e Withning.

    Imaginem…

    Publicado por Claudemir Freire | 04/05/2009, 7:14 pm
  49. Becken,

    Você poderia remover meu ultimo post ? Eu quiz mandar o link correto do youtube e aparentemente um “embbeded” aconteceu.

    Publicado por filho do vento | 04/05/2009, 7:25 pm
  50. Alguns amigos comentaram sobre o programa da globo com o Galvão e o Rubinho.

    Eu acho que o Rubinho fala demais. Na verdade eu acho que o Rubinho não virou Rubens, o que num esporte como o automibilismo, na sua categoria máxima, faz muita diferença.

    Acho o Rubinho um grande piloto. Mais no país do Senna, do Piquet e do Emerson, ele não fica bem na comparação. O Shumacher também não é o melhor companheiro de equipe para ninguém, ainda mais por 5 anos.

    O Galvão é um cara muito inteligente. Não é um especialista em automobilismo (embora não seja bobo no assunto), mais é uma fera em manter milhões de telespectadores “normais” acordados durante uma madrugada, ou presos diante de uma TV numa manhã de domingo.

    Rubinho não foi campeão do mundo. Não venceu tanto quanto nós gostaríamos, não tem o carisma dos nossos grandes campeões, fala umas bobagens que não esperamos de um ídolo, mais ele tem uma FAMÍLIA.

    O programa foi todo em cima da família Barrichello.

    Marido, esposa e filhos. Seguramente não é uma família perfeita, como aliás todas as famílias não o são, mais é verdadeiamente uma família.

    Barrichello talvez nem se dê conta, mais conseguiu algo muito mais valioso que títulos, e que a maioria que consegue os títulos, para consegui-los, paga um preço caro na área pessoal.

    Seguramente ele não tem o carisma e a força mental dos nossos campeões, que parafraseando sua análise sobre o Shumacher, faziam tudo para ganhar. O Rubens reconhece que não é capaz de fazer tudo, apenas quase tudo.

    Ele pode não ser o mais bem sucedido nas pistas, nem seus números ficarão para a história, mais no programa de TV da globo, entrevistado pelo Galvão, Barrichello deixou transparecer que talvez seja o mais feliz.

    O Rubinho me conquistou. Talvez seja nosso Don Quixote das pistas.

    Publicado por Sirlan Pedrosa | 05/05/2009, 12:21 am
  51. Becken, vou pedir licença para falar de outro assunto.

    Alguns amigos comentaram em post´s anteriores sobre o programa da globo com o Galvão e o Rubinho.

    Eu acho que o Rubinho fala demais. Na verdade eu acho que o Rubinho não virou Rubens, o que num esporte como o automibilismo, na sua categoria máxima, faz muita diferença.

    Acho o Rubinho um grande piloto. Mais no país do Senna, do Piquet e do Emerson, ele não fica bem na comparação. O Shumacher também não é o melhor companheiro de equipe para ninguém, ainda mais por 5 anos.

    O Galvão é um cara muito inteligente. Não é um especialista em automobilismo (embora não seja bobo no assunto), mais é uma fera em manter milhões de telespectadores “normais” acordados durante uma madrugada, ou presos diante de uma TV numa manhã de domingo.

    Rubinho não foi campeão do mundo. Não venceu tanto quanto nós gostaríamos, não tem o carisma dos nossos grandes campeões, fala umas bobagens que não esperamos de um ídolo, mais ele tem uma FAMÍLIA.

    O programa foi todo em cima da família Barrichello.

    Marido, esposa e filhos. Seguramente não é uma família perfeita, como aliás todas as famílias não o são, mais é verdadeiamente uma família.

    Barrichello talvez nem se dê conta, mais conseguiu algo muito mais valioso que títulos, e que a maioria que consegue os títulos, para consegui-los, paga um preço caro na área pessoal.

    Seguramente ele não tem o carisma e a força mental dos nossos campeões, que parafraseando sua análise sobre o Shumacher, faziam tudo para ganhar. O Rubens reconhece que não é capaz de fazer tudo, apenas quase tudo.

    Ele pode não ser o mais bem sucedido nas pistas, nem seus números ficarão para a história, mais no programa de TV da globo, entrevistado pelo Galvão, Barrichello deixou transparecer que talvez seja o mais feliz.

    O Rubinho me conquistou. Talvez seja nosso Don Quixote das pistas.

    Publicado por Sirlan Pedrosa | 05/05/2009, 12:26 am
  52. Olha nem eu, nem o Thiago estamos dizendo que não daria certo, mas que é logistica e financeiramente complicado demais para correr riscos. Nós estamos falando de montadores que salvo por Ferrari, e de certa forma Mercedes e BMW, sequer tem um compromisso real com a categoria (quero ver o Briatore convencer o Carlos Goshn em ajudar a co-financiar uma seria onde a Renault gastaria uns 250 milhões por ano para não participar de uma serie com teto orçamentário de 50m por melhores que sejam as planilhas de lucro a medio prazo). Alem de que vocês estão partindo de um cenário perfeito onde tudo der certo (duvido mesmo que todas as equipes debandem com a FOTA e com a poerspectiva de fanaticos por automobilismo.

    O Becken deu dois exemplos que são bem interessantes cada um a sua maneira: O WRC e a Liga de futebol inglesa. Rally é naturalmente uma competição para afeccionados, para os independentes terem sucesso precisam convencer caras como nós, a F1 depende de um público mais ampla. Em futebol existem torcedores do Arsenal e do Machester United, na F1 a torcida é fluida, salvo os tifosi na Itália e os alonsistas na Espanha, o grosso do público se adapta. Claro que quem tiver as atuais estrelas vai se beneficiar a curto prazo, mas se a FOTA não ganhar a queda de braço em pouco tempo, esta vantagem se dissipa. Para a grande maioria das pessoas categorias de monopostos são muito intercambiaveis (tenho certeza que para grande maioria do público de Long Beach não fez nenhuma diferença quando o GP local migrou da F1 para a Cart). Desde que exista um Barrichelo, um Nakajima, etc. para ajudar na transição, a grande maioria do público se adaptaria muito rápido a categoria.

    Publicado por Filipe Furtado | 05/05/2009, 1:11 am
  53. Filipe e Thiago.

    A logistica da F1 é feita pela DHL em contrato de patrocinio, ou seja quase que de graça.

    O financeiro a FOA cobra milhões de cada circuito para haver corrida lá, cobra milhões para a empresa que queira dar o nome a prova, tipo Grande Premio Brasken do Brasil, cobra milhões para a propaganda estatica e por fim bilhões das TV´s no mundo que queiram transmitir, fora isso ainda temos os licenciamentos de marcas em que eles cobram…… milhões.

    Ou seja, se a FOTA fizer um campeonato próprio não sairá um centavo do bolso das “equipes” que vocês comentaram.

    Tudo seria questões de patrocinios e contratos, esqueçam essa retórica de ser perigoso, quem esta lutando com todas as forças pra que isso não aconteça é o Mosley e Bernie, porque sabem que vão perder muita grana e rapidamente, porque não ha milagres no que esses dois velhotes fazem, eles só pegaram o que estava aí e colocaram em evidência.

    Nada a ver com o post, mas o Flavio Gomes disse semana passada no bate-bola da ESPN que no site do GP eles não podem usar a logomaraca da F1 em sua tabela de programação do fim de semana, porque se não tem pagar para FOA, isso é o ridiculo que estou falando pra vocês, aquela logomarca mal feita não pode ser usada em nada, se você usar tem que pagar, outra das mais babacas idéias elitistas dos dois ingleses mais sebosos do mundo.

    Publicado por Claudemir Freire | 05/05/2009, 8:30 am
  54. @Claudemir Freire & Claudio Cardoso

    Duas palavras: GPWC Holdings.

    As equipes tinham a faca e o queijo em suas mãos.
    Planejaram uma estrutura organizacional para fazer frente ao Formula One Group. Ainda assim, venceu a negociação junto à subsidiária FOM.

    Pergunto se a sequipes gostam tanto assim de MrE ou se há ponderações maiores em relação a organizar um campeonato?

    Pelo que a Ferrari deu a entender em 2005, não vale a pena.

    Publicado por Thiago Leopoldo | 05/05/2009, 11:59 am
  55. Thiago –>

    Tem um detalhe, que modificou toda a historia.

    Naquela Epoca a Ferrari era aliada deles, tanto que sao beneficiados com uma fatia maior do minusculo bolo que dao as equipes.

    SO que hoje em dia essa fatia do bolo ficou pequena, ou digamos as empresas perceberam que elas que gastam e ele que ganha mais que todo mundo.

    Voces conseguem imaginar isso no trabalho de voces ?

    Exemplo: Voces tem uma empresa que realizam todo o serviço e uma empresa Terceirizada vende o serviço de voces, e a empresa que vende o seu serviço ganha 50% do total ?

    Sinceramente se tiver algum empresario ai que aceitasse uma loucura dessas, ele ja teria falido, ou simplesmente aceitaria para ver como funcionasse, e na sequencia montaria uma revenda propria ou renegociaria os percentuais.

    E esta parecendo que é isso que esta acontecendo.

    Publicado por Claudio CArdoso | 05/05/2009, 12:41 pm
  56. Outra coisa que esqueci.

    Na epoca cada equipe estava olhando o seu lado, ate porque o dinheiro jorrava mais que suficiente. e Realmente algumas equipes isoladas nao podem fazem isso, ALias nem a Ferrari sozinha poderia fazer isso.

    Agora MacLaren, Ferrari, e BMW podem fazer.

    e tem outra coisa ai o pessoal que fala que o grid seria pequeno, nao se esqueçam que nada impede que no regulamento deles eles podem por 3 carros para correr e pronto. E obviamente iriam outras equipes na hora que vissem o que ia acontecer.

    Publicado por Claudio CArdoso | 05/05/2009, 12:43 pm
  57. @Claudio CArdoso

    Na época, tanto quanto agora, cada equipe está olhando para o seu próprio lado.
    Veja os comentários de Briatore a respeito do dinheiro dos direitos de TV da Honda.

    Não vejo unidade na FOTA para este tipo de reviravolta.

    Na verdade, cá entre nós, não vejo vontade alguma por parte de nenhuma das equipes de seguirem este caminho. Tanto que quem cogita uma série paralela somos nós que acompanhamos o esporte, mas não as partes envolvidas.

    Agora, três carros é bobagem. A Renault mal tem dois carros. Melhor vender motores para um garageiro. E faz uma diferença enorme sim o número de participantes, se houver muita discrepância.

    Especialmente porque há fatores complicadores. Com um grid menor ocorrem menos ultrapassagens, uma equipe pode imperar mais facilmente e a prova torna-se menos movimentada. Grandes chances de se tornar uma chatice.

    Muitos telespectadores podem preferir um grid com 26 carros de equipes da GP2 com pilotos novos, imaginem o Bruno Senna por exemplo, e por um motivo qualquer ser muito disputado, com muita movimentação e troca de posições; uma verdadeira corrida maluca. Não me parece algo tão ruim assim de se assistir.

    Lembre-se que muitos dizem que a F1 esá perdendo a graça e que desejam acompanhar a NASCAR (loucos, eu sei) por estes motivos.

    Publicado por Thiago Leopoldo | 05/05/2009, 1:11 pm
  58. Mudando de assunto…

    Na ocasião do release das regulamentações para a F1 2010 fiz uma leitura rápida sobre o que mudará.

    Porém deixei passar completamente batido, por não estar detalhado em rosa, que para 2010 a pontuação proposta para este ano de decisão do campeonato através do número de vitórias e contagem de pontos para os demais irá vigorar. Segundo o artigo 6.1 do Regulamento Esportivo.

    Publicado por Thiago Leopoldo | 05/05/2009, 1:22 pm
  59. Thiago –>

    eu Nao tinha colocado a Renault no racha :-)

    fora que iriam outras tb para o lado de la, caso venha a existir.

    Sei que é totalmente offtopic. Mas nao vejo a hora do Bruno Senna entrar na Formula 1. Vai ser na melhor das hipoteses um Barrichello 2.

    Gostaria de saber de onde o pessoal esta tirando que o Bruno Senna é um fantastico piloto. Na realidade só o sobrenome mesmo. È so o pessoal pegar a historia dele e comparar com a dos grandes pilotos, que vamos ver que ele nao chega nem perto de nenhum deles da era modernda.

    Publicado por Claudio CArdoso | 05/05/2009, 3:08 pm
  60. Bruno Senna corre o risco de virar um novo Ricardo Zonta.
    Seria muita ironia do destino, porém, se ele mostrasse-se equiparável ao Piquet Jr.

    Publicado por Thiago Leopoldo | 05/05/2009, 3:44 pm
  61. Thiago –>

    Eu acho que ele tem tudo para ser pior que o Ricardo Zonta, ao menos nas categorias de base o Zonta ainda foi melhor que ele

    :-)

    Gente, a gente ta enraizado nesse post heim !!!!

    Vamos mudar la para o da Ferrari 1 ano :-)

    Afinal, eu e o Claudemir nao vamos convencer voces mesmo. e Nem voces a gente :-)

    Publicado por claudio cardoso | 05/05/2009, 3:57 pm
  62. Tá na hora de aposentar o velhinho e liberá-lo para os seus fetiches e parar de sadismo na F1. O que ele quer fazer? tornar a categoria de maior glamour no mundo em um showzinho de baratinhas. Não só pela Ferrari, que abro parenteses para dizer que alavancou a F1 nos últimos anos trazendo milhões de apaixonados no mundo inteiro, transformando as cores, as torcidas, os pilotos, os circuitos em algo que só pra quem já esteve lá e as viu roncar e passar pode dizer, fecha parenteses, mas pela qualidade do esporte: carro, paixão e tecnologia estão associados, não adianta querer parar isso, porque certamente isso vai continuar em outro lugar diferente do circo de baratinhas do Mr. Moxley.
    E digo com certeza que ela vai levar as melhores equipes atrás, os melhores pilotos, alguém duvida ?
    Chega de palhaçada !!!!
    A F1 não pode perder seu F maiúsculo nem viver a mercê de um doidivanas que quer brincar de autorama.
    e pra termina não resisti:

    “Amor sem beijinho,
    Buchecha sem Claudinho,
    Sou eu assim sem você
    Circo sem palhaço,
    Namoro sem abraço,
    F1 sem Ferrari,
    Sou eu assim sem você…

    É isso !!!

    Publicado por F1-without Ferrari is f1 | 11/05/2009, 8:10 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: