//
você está lendo...
ARTIGOS

Marca Ferrari mais valiosa que Formula 1 e o envolvimento de Ron Dennis na nova categoria

FOTO: McLaren/Divulgação rondennis(RON DE VOLTA? Sem Max Mosley a azucriná-lo, Ron estaria de volta para dar uma mão na nova categoria)

Estará Ron Dennis envolvido na estruturação da nova categoria? Pelo menos é uma interessante conjectura feita hoje por James Allen em seu blog. Segundo James, “um dos diretores da Ferrari lamentou o afastamento de Dennis da FOTA pela contribuição do ex-chefe da McLaren na causa da entidade”. Segundo muitos “insiders”, Dennis era a real força estratégica por trás dos passos da FOTA. O movimento de Max, então, em pressionar por um afastamento definitivo de Ron da F1, objetivava também enfraquecer as operações da FOTA.

Se essa cisão tiver potencial para realmente cristalizar-se, é muito provável o ressurgimento da figura de Dennis nesse novo cenário. Ninguém conhece mais o negócio F1 entre os dirigentes de equipes que lideram essa recente revolução que Dennis, e sua ajuda seria vital para formatar essa nova categoria.

A situação nesse momento é de expectativa quanto ao que decidirá a reunião do Conselho Mundial de Automobilismo na próxima quarta-feira. Um dia depois, já ciente do que decidiu a FIA, a FOTA se reunirá com o planejamento da nova categoria pré-agendado como pauta principal. Se confirmados os rumores de que Max desistiu de acionar as equipes legalmente, é provável um forte recuo da entidade na mesa de negociações, mesmo que isso não seja o suficiente para fazer a FOTA recuar do seu intento em pular do barco da FIA.

Marca Ferrari mais valiosa que marca F1

Para quem ainda duvida do poder da FOTA e da Ferrari — o seu principal membro — o Lucas postou um link muito interessante que ilustra o real prestígio e valor das duas marcas no universo comercial esportivo mundial. Segundo a revista inglesa SportsPro — especializada em Marketing Esportivo — a Ferrari ocupa a 7ª posição como a marca mais valiosa no mundo em termos esportivos, valendo US$1.55 bilhão. A Formula 1 sequer aparece entre as dez primeiras colocadas.

A equipe italiana, óbvio, já fez alarde da matéria da SportsPro em seu site. Mosley, afinal, precisa saber disso…

Anúncios

Discussão

29 comentários sobre “Marca Ferrari mais valiosa que Formula 1 e o envolvimento de Ron Dennis na nova categoria

  1. O Keith colocou agora no F1 Fanatic o seguinte calendario da FOTA GP que esta circulando na imprensa inglesa:

    3 March – Buenos Aires, Argentina (last F1 race: 1998)
    21 March – Mexico City, Mexico (last F1 race: 1992)
    11 April – Jerez, Spain (last F1 race: 1997)
    25 April – Portimao, Portugal
    2 May – Imola, Italy (last F1 race: 2006)
    23 May – Monte Carlo, Monaco
    6 June – Montreal, Canada (last F1 race: 2008)
    13 June – Indianapolis, United States (last F1 race: 2007)
    1 July – Silverstone, United Kingdom
    25 July – Magny-Cours, France (last F1 race: 2008)
    15 August – Laustizring, Germany
    29 August – Helsinki, Finland
    12 September – Monza, Italy
    26 September – Abu Dhabi, United Arab Emirates
    10 October – Marina Bay, Singapore
    24 October – Suzuka, Japan
    8 November – Adelaide (last F1 race: 1995) or Surfers’ Paradise, Australia

    Com as seguintes informações Spa esta presa por contrato ao Bernie até 2012 e Interlagos até 2015 (maldito contrato assinado ano passado!).

    Publicado por Filipe Furtado | 22/06/2009, 7:43 pm
  2. Com as seguintes informações Spa esta presa por contrato ao Bernie até 2012 e Interlagos até 2015 (maldito contrato assinado ano passado!)

    Eu faria uma prova de rua no Rio de Janeiro… Tem idéia do que seria uma corrida naquela cidade com aquele visual?

    23 May – Monte Carlo, Monaco

    Mônaco está free e isso é o mais importante. Adorei es pistas, mas é uma pena que não tenha A1 Ring…

    Cara, essa coisa tá ficando séria, hein?

    Publicado por Becken Lima | 22/06/2009, 7:48 pm
  3. Faltou um ‘r’ em sequer ali no fim, Becken.

    Ferrari agora tem base para dizer que é mais importante que a F1. Mas nem tanto…afinal, dinheiro é importante, mas não é importância. Parece que a F1 vai continuar F1 e Mosley vai embora.

    Muito interessante a lista.
    Copa do Mundo > Olimpíadas
    4x Champions League >> Copa do Mundo

    NFL, MLB e NBA no topo e NASCAR bem acima de qualquer outra competição automoblística. EUA pode estar em decadência em muitas áreas, mas ainda continuam mestres em marketing.

    Publicado por KBK | 22/06/2009, 7:49 pm
  4. Faltou um ‘r’ em sequer ali no fim, Becken.

    Valeu, corrigi antes de vc apontar…

    NFL, MLB e NBA no topo e NASCAR bem acima de qualquer outra competição automoblística. EUA pode estar em decadência em muitas áreas, mas ainda continuam mestres em marketing.

    É interessante que sempre se diga que a “Formula 1 é o que é hoje graças ao Bernie” — frasezinha que já está se tornando um clichê gasto — mas quando se avalia para onde ele levou a F1, China, Turquia, Cingapura, percebe-se o quanto foi fácil vender o produto para governos ao invés de levá-lo para arenas como os USA…

    Publicado por Becken Lima | 22/06/2009, 7:55 pm
  5. Outras coisas o contrato de Monza vence este ano e a renovação apesar de certa não foi feita (ufa). Agora as ultimas 4 etapas deste calendário são estranhas Abu Dhabi e Marina Bay certamente estão presas por contrato ao Bernie, apesar de os governos milionarios que construiram elas podem topar engolir a multa para ter a verdadeira F1, Suzuka não está no calendario do ano que vem da F1 (que teria Fiji), mas é presa por contrato, como Fiji pertence a Toyota imagino que é mais provavel que a FOTA fique com Fiji e a FIA com Suzuka e Adelaide pertence literalmente a V8 Supercars e acho dificil a stock australiana querer dividir a pista, faz mais sentido ser Surfers (e A1GP provavelmente soltaria fogos pela ideia de ser rebaixada a abertura da F1).

    Publicado por Filipe Furtado | 22/06/2009, 7:58 pm
  6. A ausencia de A1 Ring é surpreendente, vale lembrar que A1-Ring pertence (ou pertencia) ao milionario da Red Bull, então não correr lá é surpresa. Assim como é uma grande zebra Finlandia, apesar de ser uma boa opção política bem interessante.

    Publicado por Filipe Furtado | 22/06/2009, 8:09 pm
  7. Este calendario tem muito coisa boa, mas tem umas decisões bwem questionaveis:
    Buenos Aires é triste e aquele autodromo argentino em que a FIA GT correu ano passado.
    Jerez é ruim, mas claro que qualquer coisa é melhor que Barcelona.
    Seria melhor voltar a Paul Ricard do que Magny Cours.
    Laustizring é meio sinistro também (acredite era melhor correr na versão deformada de Hockeinheim).

    Publicado por Filipe Furtado | 22/06/2009, 8:31 pm
  8. A ausencia de A1 Ring é surpreendente, vale lembrar que A1-Ring pertence (ou pertencia) ao milionario da Red Bull

    Muito bem lembrado Filipe…

    Assim como é uma grande zebra Finlandia, apesar de ser uma boa opção política bem interessante.

    É verdade… Um certo piloto de Rally encaixaria bem como presidente da FIA e isso pode ser uma pista de quem a FOTA planeja pôr no poder!

    Espertos…

    Publicado por Becken Lima | 22/06/2009, 8:33 pm
  9. “Buenos Aires é triste e tem”

    Publicado por Filipe Furtado | 22/06/2009, 8:34 pm
  10. Por mais que caso a separação ocorra seja meio inevitavel mais uma reeleição do Max, o finlandês deve seguir o melhor candidato de oposição e certamente ganharia força se a F1 sem FOTA não for muito bem a curto prazo. Alem disso passa uma imagem boa, né? O Bernie arrasta F1 para paises sem nenhuma tradição ou garantia de público interessado, a FOTA não hora de acrescentar um mercado novo escolhe um país com 3 campeões do mundo (um deles em atividade) e uma torcida interessada o suficiente que ela tradicionalmente é a maior no GP da Hungria (que é o mais pratico para eles comparecerem).

    Publicado por Filipe Furtado | 22/06/2009, 8:49 pm
  11. Muito bonito, muito legal, mas eu quero ver é qual vai ser a definição dos parâmetros técnicos da categoria.

    Vamos ter equilíbrio, ultrapassagens e maior importância do piloto?

    Se for para ficar como na F1 atual, com essas corridas horríveis dominadas por apenas uma equipe e em circuitos onde o que prevalece são as eternas filas indianas, vou acabar preferindo assistir à GP2.

    Dennis, Montezemolo, Mosley e Bernie, bem medidos e bem pesados, cada um vale menos do que o outro.

    Mas continuo achando que esse papo todo é para baratear as ações da F1 e as montadoras comprarem a parte da CVC no negócio e depois chutar Bernie e Max da F1. Depois veremos qual será o resultado disso.

    Publicado por Cassius Clay Regazzoni | 22/06/2009, 9:40 pm
  12. Cassius, a CVC não tem como especialmente baratear o preço de venda da F1 eles devem uma fortuna em emprestimos que fizeram para comprar a categoria. A não ser que FOTA assuma a divida (o que não faz sentido), eles não tem como vender. Agora é óbvio que o produto na pista não vai mudar muito com o contriole na mão dos constrtutores, para as corridas mudarem a seria teria que ser mais spec, que é o contrario do que as equipes querem.

    Publicado por Filipe Furtado | 22/06/2009, 11:15 pm
  13. Estou torcendo pra essa nova categoria vingar. Que fique a Ruillians e a Non-Force India brigando pela F1.

    Publicado por fernando-ric | 23/06/2009, 8:04 am
  14. Sobre o Dennis ainda acho que ele retorna à F1 (se não rachar) quando Max cascar fora.

    Ultimamente tenho notado uma verdadeira revolta dos torcedores sobre a ausência de ultrapassagens na F1. Mas há que se dizer que a categoria nunca foi palco de ultrapassagens aos montes. Quem quiser arrume vídeos de corridas antigas e assista ele inteiro. É bem diferente de ver uma reportagem com trechos só de ultrapassagens.

    Por sinal, assintindo algumas corridas no anos 80 (84, 86, 88) eu tive a impressão que as ultrapassagens se deviam aos seguintes fatores (sem prejuízo de outros que não identifiquei):

    a) ausência de pit stop para troca de pneus, o que resultava em carros bem escorregadios na segunda parte da corrida e servia para juntar a turma e começar o arrisca daqui arrisca dali;

    b) carros menos eficientes e bastante volúveis. os carros mudavam muito de comportamento ao longo da corrida para melhor e para pior, permitindo as aproximações de quem já parecia fora da briga. A eficiência e constância dos carros atuais é terrível.

    c) maior liberdade aos pilotos. Não se viam tantas punições como hoje em dia por qualquer coisinha e aí a galera ia pra cima mesmo (que o diga o doido do Senna).

    d) menor aderência aerodinâmica e mais ênfase na aderência mecânica. Carros com pneus estupidamente largos e a milímetros do chão (lembram como saia faísca pra todo lado?) conseguiram andar mais perto do carro da frente.

    Não sei se alguém tem algo mais a acrescentar, mas é isso que acho. E acho também que na F1 atual jamais acontecerá as tais ultrapassagens devido, principalmente, à eficiência e constância dos carros, que não permitem mudanças significativas de ritmo de corrida durante a prova.

    Também penso que deve haver um limite nessa busca de soluções para ultrapassagens, sob pena de completa artificialização da categoria.

    Ah, essa é mais uma análise de um “especialista de sofá”! rsrsrs

    Publicado por Luiz Carlos Silva | 23/06/2009, 8:44 am
  15. Ah, essa é mais uma análise de um “especialista de sofá”! rsrsrs

    Na verdade uma ótima análise quando começamos a “realizar” que pouco a pouco a aerodinâmica criada pelas equipes sob demanda da FIA não trouxe os resultados desejados, vamos encarar a realidade…

    Publicado por Becken Lima | 23/06/2009, 9:24 am
  16. Becken, desculpe o off topic, mas estava assistindo novamente ao GP da Inglaterra e achei que esse último GP reforçou minha observação sobre Button:
    Até então ele havia ganho 6 corridas sem precisar brigar com niguém (nas disputas que teve, Hamilton não ofereceu resistência, Webber na China saiu da pista, assim como Vettel na Turquia). As vitórias foram conquistadas nas estratégias e nos ótimos desempenhos com pista livre.
    Eu estava ansioso para finalmente poder ver o desempenho do inglês quando submetido a situações que o forçassem a ser agressivo e confesso que fiquei decepcionado.
    Cada vez mais vejo minha opinião se reforçar: a de que Button é um excelente piloto, mas de Rallyes de Regularidade.
    Acredito que, se houver uma batalha direta entre Button e Vettel ou mesmo Barrichello pelo título e o mesmo tenha de ser decidido nas pistas e ultrapassagens, o inglês perde feio. Aliás, acho até que em uma briga com Nelsinho Piquet, Jenson perde. (Nelsinho que já mostrou se sair muito bem em disputas por posições. Ele pode até perder, mas que as brigas são bonitas, isso são…)
    Parênteses 2: (O problema do Nelson é justamente o contrário do de Button: ele se perde quando corre sozinho).
    Por favor, me corrija se estiver errado e perdão novamente pelo off topic.

    Publicado por Gustavo Perim | 23/06/2009, 9:51 am
  17. Até então ele havia ganho 6 corridas sem precisar brigar com niguém (nas disputas que teve, Hamilton não ofereceu resistência, Webber na China saiu da pista, assim como Vettel na Turquia). As vitórias foram conquistadas nas estratégias e nos ótimos desempenhos com pista livre.

    Eu estava ansioso para finalmente poder ver o desempenho do inglês quando submetido a situações que o forçassem a ser agressivo e confesso que fiquei decepcionado.

    O seu comentário me dá oportunidade de me dsculpar pelo “report” pós-corrida feito no domingo que ficou incompleto. Tive uma urgência logo após a corrida e acabei tendo de sair de casa e não acabei o texto final.

    Nesse texto eu observava que:

    “Para quem esperava grande desempenho de Jenson Button em Silverstone, se frustrou com uma corrida conservadora do inglês. Com uma largada terrível, ele foi vítima do já famoso “Trulli train”, permanecendo atrás do italiano por toda a primeira perna de corrida. Nem a estratégia diferente de pneus (macios/duros/macios) foi o suficiente para lhe garantir um posição. O resultado final não teve significativo impacto em sua liderança, mas deu a impressão de que ele já começa a administrar o campeonato.”

    Essa é a grande diferença de Button para Hamilton. Lewis é o que os ingleses chamam de “Racer” um homem que quando está dentro do carro precisa ser controlado para não ser excessivamente agressivo por que é isso o que ele sabe fazer, ATACAR… Se ele estivesse naquela Brawn e em Silverstone diante de sua torcida, ele certamente iria para cima, correndo riscos, mas iria para o ataque, mesmo tendo a liderança folgada que tem o Jenson… Ele fez isso em Spa e teve de ser controlado em Cingapura.

    Jenson é frio e cerebral e viu o quanto seria arriscado nesse estágio do campeonato perder mais pontos.

    Eu tão fique decepcionado quanto você, mas vendo a sua liderança folgada, eu entendo que e ele quem pode perder o campeonato agora…

    Publicado por Becken Lima | 23/06/2009, 10:19 am
  18. Luiz, a sua analise é ótima. Vale lembrar que uns 50% das ultrapassagens nas primeiras provas do ano vieram por conta da diferença de artificial da performance de pneus, a Bridgestone suavizou ela e as ultrapassagens dminuiram. 2005 teve mais ultrapassagens que a média justamente por conta da não troca de pneus. neste sentido, a proibição do reabastecimento pode ser util para melhorar as ultrapssagens já que vai tornar a estrategia de troca de pneus muito mais flexivel, vamos inevitavelmente ver brigas entre carros cujos poneus estão em estados muito variados e isto pode ser interessante. Isto dito Silverstone nos ofereceu o espetaculo do Heidfeld com um carro 2 segundos mais lento segurar o Alonso.

    Publicado por Filipe Furtado | 23/06/2009, 10:26 am
  19. Becken, vc foi muito gentil…hahaha

    Filipe, vc me lembrou de um ponto que esqueci. A ausência de abastecimento era outro fator muito importante, pois influia de forma profunda no comportamento dos carros durante a corrida.

    Hoje, isso pode resultar em carros estáveis no começo da prova e ariscos no final, ou vice-versa, permitindo, com tal diferença de desempenho, as aproximações necessárias.

    Agora, é preciso ousadia dos pilotos e menos punições por não ter ligado a seta.

    Publicado por Luiz Carlos Silva | 23/06/2009, 10:46 am
  20. Ultrapassagens na F1 foram e serão raras e não adianta mexer no pacote mecânico e aerodinâmico que não vão surtir efeito.

    Minha opinião sempre foi a de que a unica forma de melhorar as ultrapassagens é a de reduzir o poder de frenagem dos carros, antigamente começavasse a freiar na placa dos 50m, hoje se freia dentro da curva.
    Conseguindo reduzir em 40% o poder de frenagem e trazendo de volta o ABS, para garantir a segurança dos pilotos, poderiamos ter pilotos mais ousados ganhando posições na “marra”.

    Alonso tentou fazer por varias vezes ante ao Heidfeld na reta oposta, mas o alemão tomava a linha de dentro e freiava dentro da curva e sem fazer o ponto de tangência ideal, assim nem o Vettel com aquele avião passava ele.

    Publicado por Claudemir Freire | 23/06/2009, 11:04 am
  21. É isso aí pessoal,

    Pneus mais largos, carros mais baixos, faíscas p tudo q é lado.
    Aerodinâmica simples e proporcional.
    Pit-stops não obrigatórios.
    Fazer os caras freiarem nos 50m de novo.
    Motores turbo.

    Isso poderia ser o parâmetro para a *nova categoria.

    *Fórmula FOTA ou F1 sem Max.

    Publicado por Iomau | 23/06/2009, 12:03 pm
  22. Observação sobre o calendario de corridas da FOTA divulgado acima. A coisa é tão fajuta que têm corrida durante a semana! 8/11 é uma segunda-feira por exemplo. Os caras ficaram loucos?

    Publicado por Filho do vento | 23/06/2009, 12:29 pm
  23. Observação sobre o calendario de corridas da FOTA divulgado acima. A coisa é tão fajuta que têm corrida durante a semana! 8/11 é uma segunda-feira por exemplo. Os caras ficaram loucos?

    Bom, ao menos a FOTA tem a JUSTIFICATIVA, muito boa aliás :) , de que eles não publicaram abolutamente nada ainda e que isso foi obra do The Guardian que SUPOSTAMENTE, tem um lista que vazou…

    Publicado por Becken Lima | 23/06/2009, 12:35 pm
  24. Pois é, Becken, só o Mosley não viu que o papo da nova categoria é sério e que ele depende mais das equipes do que o contrário.
    Abraço!

    Publicado por Will | 23/06/2009, 2:17 pm
  25. Eu torço para que aconteça o campeonato da FOTA, mas sejamos razoáveis em uma análize, se a FIA não divulgar as equipes participantes do mundial de 2010 até meados de julho, sejam elas FOTA ou da baciada, não haverá campeonato de F1-FIA, ou se houver será monobloco, monomotor e mono-torcedores.

    Porque, de acordo com o Max Mosley, isso poderia se embrulhar até dezembro ou janeiro de 2010, isso é impossivel, porque ele pode ficar sem nada nessa data.

    Que é um balão de ensaio o campeonato da FOTA isso é, mas eles aos poucos vão colocando notinhas nos meios de comunicação para marcar o terreno, como essa de quem poderá adminsitar a categoria, o que de certa forma me surpreendeu npor ser uma empresa e não um nome, como a IMG, mas, não essa de calendário, isso é surreal, até mesmo porque, como o amigo Filho do Vento apontou há corrida na segunda-feira.
    E deixar de lado o Brasil, e voltar a Mexico e Argentina é coisa de jornalista inglês, porque não deve ter visto o acidente que aconteceu no México, ou a situação dos autodromos hermanos.

    Sobre contratos FOM-Autodromos, isso não deve existir, a exclusividade de alguns autodromos se deve mais ao fato de não ter corridas internacionais de nível do que de haver um contrato inibindo a realização de tal categoria, mas isso pode ser perguntado ao Chico Rosa, que creio que por sua competência já deva estar de olhos bem abertos para essa possiblidade, e não queira deixar Interlagos e nem o Brasil de fora.

    Mas pensem, se não houver equipes da FOTA confirmadas até o fim julho, o que será o campeonato de F1-FIA ?

    Publicado por Claudemir Freire | 23/06/2009, 2:43 pm
  26. Muito legal isso aí.
    Desculpe, Becken, se já postaram em outro lugar no seu blog.

    Publicado por Leandro Magno | 23/06/2009, 7:51 pm
  27. Publicado por Leandro Magno | 23/06/2009, 7:53 pm
  28. Claudemir, os ingleses preferem a corrida no Brasil a na Argentina ou Mexico (o que fica bem claro nos comentários do tópico do F1Fanatic onde “E o Brasil?” se repete muitas vezes). Tanto Buenos Aires quanto Hermanos Rodriguez são presenças estranhas na medida que são dois circuitos muito defesados (A1GP correu com chicane feitas com pneus em Hermanos não muito tempo atrás), mas a ausencia do Brasil no minimo é um paplite muito bem informado, Interlagos renovou contrato com Bernie ano passado e não tem um outro autodromo capaz de receber a prova, portanto ou a prefeitura de SP banca dois contratos ou fazem um circuito de rua em algum lugar ou prova por aqui só em 2016.

    Publicado por Filipe Furtado | 23/06/2009, 8:20 pm
  29. Filipe não citei o publico inglês que é tão fanatico quanto nós, e sim os jornais sensacionalistas da terra da rainha, que fazem tudo para ter uma notícia.

    Publicado por Claudemir Freire | 23/06/2009, 9:30 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: