//
você está lendo...
ARTIGOS, PERFIS e BIOGRAFIAS

Uma breve biografia do mais poderoso carro da história da Formula 1

IMAGEM: F1 Racing.ukMP4-4 F (O MP4/4: inerte na entrada do Centro Tecnológico da McLaren em Woking)

No próximo final de semana, no tradicional Festival de Velocidade em Goodwood, na Inglaterra, Lewis Hamilton pilotará a McLaren de Ayrton Senna, dividindo-a com Bruno Senna, que a pilotará na sexta-feira e no sábado.

Ao contrário do ordinário MP4/24 desse ano, o seu parente distante dominou por completo a F1 há 21 anos atrás. Para se ter uma perspectiva histórica do domínio do MP4/4, os dois pilotos da McLaren — Senna e Prost — venceram 15 das 16 corridas daquela temporada, sendo dez dessas vitórias dobradinhas. Enquanto Ayrton e Alain lideraram 1.003 voltas, apenas dois outros pilotos foram capazes de ficar a 28 ínfimas voltas frente dos homens da McLaren. 15 das 16 provas tiveram um MP4/4 largando na pole-position. Somados, os dois pilotos marcaram 199 pontos contra 201 de todo o resto do grid. Até a confiabilidade foi superior, chegando a níveis modernos com apenas um abandono de Prost no GP da Itália por problemas de motor.

São números esmagadores e não deixam muita margem para dúvida.

A gestação do MP4/4

A única coincidência na biografia do carro desse ano e do MP4/4 de duas décadas atrás é que os dois nasceram em uma época de grande transição na Formula 1.

Se 2009 marca o inicio de uma total remodelação aerodinâmica, 1988 era o fim dos poderosos motores Turbos na categoria. A McLaren era uma das equipes que não havia ainda dado o passo final para os novos motores aspirados e a solução da FIA para equalizar performance entre carros com motores foi reduzir a potência do velho turbo de 900 para 700bhp, incluindo aí a redução da capacidade do tanque de combustível de 200 para 150 litros.

A teoria da FIA era que ao reduzir potência e a capacidade do tanque de combustível, haveria maior equilíbrio competitivo entre os velhos turbos e os recém adotados aspirados. Alguém, no entanto, esqueceu de avisar à Honda, a nova fornecedora de motores da McLaren.

Além de sensivelmente mais potente que o velho motor Porsche que empurrou os McLarens nos quatro anos anteriores, a sua configuração mais compacta do Honda foi um perfeito encaixe em um carro que era muito mais que um redesign das temporadas anteriores.

Steve Nichols — chefe do projeto — relembra que “além de os projetistas se concentrarem em refinar o ‘efeito solo’ — principal conceito aerodinâmico da época — algumas regulamentações de segurança da FIA, como a obrigação de posicionar as pernas dos pilotos atrás da suspensão, beneficiaram a performance do carro.”

Em comparação com o seu antecessor desenhado por John Barnard, o MP4/4 de Nichols era mais baixo, mais largo (40 mm) e tinha a frente encurtada. A posição dos pilotos mais reclinada por medida de segurança deu ao carro um perfil mais baixo.

Segundo o grande Alain Prost, “uma das grandes vantagens do MP4/4 era a suspensão traseira, que dava mais tração e estabilidade aos pilotos sob frenagem, o que era vital na era turbo.”

O segredo para ser ‘fodidamente rápido’

Mesmo com um projeto vencedor nas mãos da McLaren, é preciso dizer que o carro foi confeccionado às pressas. Mesmo assim, no primeiro teste em Ímola, logo depois de dar poucas voltas com o carro, Ayrton sentou nos fundos da garagem e sentenciou entusiasmado para Nichols: “Esse carro vai ser fodidamente rápido.” Alain teve o mesmo sentimento ao reportar a performance do carro para Ron Dennis: “nós seremos campeões esse ano.”

Mas qual o segredo do MP4/4? O senso comum histórico sempre apontou o motor Honda como o grande segredo do MP4/4, mas assim como o BGP 001 da Brawn GP esse ano, o conjunto foi o segredo do sucesso. A grande prova dessa tese era a Lotus daquele ano, que era empurrada pelos mesmos Hondas com a produção comum e vinda da mesma série.

Fornecendo motores para as duas equipes, a Honda foi obrigada a dissipar desconfianças e repassar os motores de classificação da McLaren como prova de que não havia qualquer trapaça ou benefício em prol do MP4/4. Para não restar dúvidas, o carro foi completamente desmontado depois do GP do Canadá pela FIA e nada encontrado.

Uma derrota, mas com estilo

Mesmo a única derrota do dominante MP4/4 tem um lugar especial na história. Sua única falha — nas mãos de Senna — foi no GP da Itália. Temendo a perda de mais um motor naquele final de semana, a McLaren havia diminuído a potência para evitar uma quebra no exigente circuito italiano. No limite e pressionado pela Ferrari de Gehard Berger, Senna errou e deu à Ferrari uma vitória histórica em Monza — o que ajudou a equipe italiana a abrandar a dor pela perda de Enzo Ferrari, falecido uma semana antes da corrida.

À sombra de Alain e Ayrton, mas na memória sentimental do Brasil e de Hamilton.

O mérito da McLaren e da Honda em gestacionar o MP4/4 só ficou mesmo à sombra da maior rivalidade jamais vista na Formula 1. Senna e Prost eram os dois a mais perfeita personificação do que de melhor havia como piloto naqueles anos. Alain era um frio e calculista bicampeão enquanto Senna um intenso e jovem talento no limiar de justificar sua jornada com um título.

O confronto de titãs deixou o MP4/4 à sombra, mas pode-se dizer também que nenhum carro na F1 foi capaz de ser o mais perfeito recipiente para explorar o potencial de tanto talento acumulado em um mesmo Box.

O outro grande mérito do MP4/4 é que ele ajudou a cristalizar na memória coletiva do torcedor brasileiro a imagem de Senna como o eterno piloto da McLaren, vestindo macacão vermelho e pilotando com um carro logotipado pela marca da Marlboro. A trágica morte do brasileiro no carro da Williams fez a torcida esquecer o breve tempo que Senna pilotou um carro de Frank Williams, enquanto sua imagem na Lotus negra é apenas um breve ensaio para o que viria a ser a sua definitiva impressão na retina da torcida.

Como todos os carros vencedores na história da McLaren, o MP4/4 jaz impassível à entrada do Centro Tecnológico em Woking, exercendo forte fascínio no imaginário de Lewis Hamilton, que não esconde a sua idolatria por Ayrton Senna.

O Festival de Goodwood será o palco para que Lewis realize um sonho, mas também uma bela chance para que a equipe reviva parte de seu glorioso passado e volte a criar carros poderosos.

Galeria de Fotos do MP4/4 em Woking

Vídeos com a preparação do MP4/4 para o Festival de Goodwood

____________________________________________________________________________

Fontes:

— Mclaren.com

— F1 Racing Magazine

— Site do Speed Channel

— Wikipedia

— Biografia de Ayrton Senna escrita por Ernesto Rodrigues

— Biografia de Ayrton Senna escrita por Nigel Roebuck

Discussão

27 comentários sobre “Uma breve biografia do mais poderoso carro da história da Formula 1

  1. Becken,

    Excelente post sobre o mais bem sucedido carro da história da F1. Parabéns !

    Li em algum lugar que o Bruno Senna também vai andar o carro em Goodwood.

    Ver aquele carro conduzido por um piloto de capacete amarelo vai ser uma viagem no tempo. Parece que foi ontem, e já se vão 21 anos…

    Foi um carro que sobrou totalmente, e como você bem demonstrou a Lotus com o mesmo motor e Piquet ao volante não chegava nem perto.

    Uma coisa que também contribuiu para aquele projeto fantástico foi a ida, em 1987, de Gordon Murray para a Mclarem em substituição ao John Barnard.

    O carro foi projetado por Steve Nichols, sob a direção técnica de Murray, que incorporou muitos conceitos do Brabham BT 55 de 1986, que era um carro bem mais baixo que os F1 da época, mais que de tão inovador não andou nada.

    Depois o Murray foi fazer o carro da rua da Mclarem e nunca mais voltou a categoria.

    Belo post. Uma grande viagem no tempo.

    Como sugestão, você poderia fazer umas matérias sobre o que está acontecendo em Goodwood….

    Um grande abraço

    Publicado por Sirlan Pedrosa | 02/07/2009, 10:42 pm
  2. Oks, o MP4/4 foi um grande carro com grandes pilotos, mas nenhum carro da F1 teve mais tecnologia que a Williams FW 15.

    Publicado por I.David | 03/07/2009, 1:30 am
  3. Simplesmente um carro mítico.

    Tava reparando a foto de dentro do cockipit. Quanta difereça em relação às “naves” atuais… só dois botões no volante, câmbio de alavanca… as tecnologia de ponta da época. :)

    Sobre o artigo, padrão de qualidade F1 Around. Não precisa dizer mais..

    Publicado por Vitor, o de Recife | 03/07/2009, 9:00 am
  4. Uma pergunta por curiosidade.

    O que acontece se derem um porradao com esse carro na corrida ?

    tem peça de reposicao ?

    a 2a pergunta, e se o motor quebrar ? tem peça.

    3a pergunta, e os Pneus ??

    Publicado por claudio cardoso | 03/07/2009, 9:13 am
  5. Grande post, bom tempos aqueles…

    Será que esse estreitamento de relações entre Brunno Senna e McLaren se dá apenas por seu parentesco?
    Será que há alguma negociação entre McLaren e Bruno Senna na F-1?

    Especulações surgirão…

    Publicado por Thiago | 03/07/2009, 9:17 am
  6. Becken,

    Nem com Deus (perdão, Senhor) ao volante aquele Lotus ganharia. Nem se Ele resolvesse ficar no lugar do propulsor e ao volante ao mesmo tempo, o Lotus ganharia.

    Basta comparar a Mc Laren/Mercedes de hoje, pilotada pelo Hamilton, com a Brawn GP/Mercedes pilotada pelo Rubinho.

    Na mosca!
    O grande lance é o conjunto. Ali havia carro, pilotos e equipe. Todavia, num projeto daqueles (chassis-motor-cambio-pneus), mesmo que o motor fosse “meia-boca” o carro seria vencedor. Mas Ele foi caprichoso e uniu num só projeto chassis-motor-cambio-pneus e pilotos. Foi a perfeição.

    Belo post. Parabéns.

    Abs.

    Publicado por A. Coyote | 03/07/2009, 9:29 am
  7. Becken, rsrsrs.
    Hoje, com o predomínio da Brawn, todos estão dizendo que o campeonato está uma m**da (inclusive eu). O mesmo aconteceu quando a Williams fez aquele carro que “…estava andando em outro planeta.” (frase do Senna).
    Naquele tempo de predomínio da Mc Laren, quantos diriam que o campeonato estava uma m**da?
    Abs.

    Publicado por A. Coyote | 03/07/2009, 9:37 am
  8. Coyote,

    Seria mesmo uma m**** se não houvesse uma disputa interna. Assim como 1992, 2002, 2004 e este ano seriam bons campeonatos se houvesse uma disputa ferrenha entre os companheiros de equipe.

    Abraço.

    Publicado por Vitor, o de Recife | 03/07/2009, 9:39 am
  9. Só disputa interna salva um campeonato de ser uma mer**. Foi o que aconteceu em 1988, se fosse só Senna ou só Prost ganhando todas, ia ser um saco. Mas naquele ano podia arrancar todo mundo do grid que o povo ia pagar pra ver uma corrida só de Prost X Senna.

    Os últimos sacos foram: Schumacher X Rubinho (kkkk), e agora Button X Rubinho (incrível, passam os anos mas o companheiro facilmente batido é sempre ele!)

    Publicado por fernando-ric | 03/07/2009, 12:26 pm
  10. cockpit de macho!

    Publicado por Luiz Carlos Silva | 03/07/2009, 1:11 pm
  11. É isso aí, Vitor e Fernando-ric.
    As disputas internas salvaram o campeonato.
    Podemos xingar o Rubens pela chatice do campeonato 2009..rs.
    Muitos queriam que Senna ganhasse todas, sozinho na pista. Mas esses não contam. Não gostam de F1, mas do próprio umbigo (ou do umbigo do Airton).
    Abs.

    Publicado por A. Coyote | 03/07/2009, 1:37 pm
  12. Amigo. Esse carro realmente era um carro de sonhos. E é difícil de se imaginar o quanto ele foi criticado por membros da própria equipe antes do início da temporada… se pudessem prever o futuro e saber que ele seria vencedor talvez não tivesse sido tão bom!!!

    Tomei a liberdade de citar seu blog em um post meu!!!

    Forte abraço

    Carlos Garcia

    Publicado por Carlos Garcia | 03/07/2009, 1:48 pm
  13. Tomei a liberdade de citar seu blog em um post meu!!!

    Acabei de ler o seu post, Carlos. É muito bom que essa informação sobre Nick Wirth, Manor Donnelly e Mosley comece a circular pelos blogs para debate por que ainda não é tema dos blogs dos jornalistas especializados.

    By the way, belo blog o seu, hein…

    Sirlan – Essencial a sua informação sobre o Murray, vou editar e considerá-la como parte integrante do post.

    Eu tinha ciência da participação do Murray, mas fique inseguro em citá-lo pois eu não lembrava exatemente do seu papel e a fonte que eu tinha — grandprix.com —, indicava uma função mais executiva no projeto.

    Sobre a disputa interna – Concordo com vcs.

    É por isso que a F1 precisa urgente de Hamilton e Alonso no topo. Só eles para trazer essa intensidade emocional de volta. Por isso eu torço muito para ver o Alonso em uma Ferrari. Seria um confronto de titãs: dois pilotos absolutamente rivais sentados em equipes absolutamente rivais…

    A disputa entre Button e Vettel é até interessante, mas prescinde dessa carga emocional e eletricidade que há em uma rivalidade verdadeira.

    Publicado por Becken Lima | 03/07/2009, 2:23 pm
  14. A melhor rivalidade que já vi na F1 foi Villeneuve x Schumacher em 97.
    Era dentro e fora das pistas, os caras se pegavam mesmo. Curiosamente foi o campeonato mais legal que já assisti. Do alto dos meus 10 anos sonhava em ser como Villeneuve, rebelde, cabelo pintado, andando pela Williams, falando e fazendo o que queria.
    Schumacher é muito mais piloto. E daí, Villeneuve se divertiu muito mais.

    Acho que as rivalidades dos ultimos anos foram bem mornas. Os últimos a serem rivais mesmo antes da dupla da McLaren foram Montoya x Schumacher e nem era uma rivalidade tão grande assim.
    Raikkonen, outro piloto que foi centro da F1 nos ultimos anos não é rival de ninguém. Massa ninguém respeita como rival, coitado.
    Button é muito molenga pra ser rival de alguem é Vettel é muito inteligente pra amealhar rivais logo no começo de sua carreira.
    Tem que ter Hamilton na McLaren e Alonso na Ferrari, ambos como primeiros pilotos. Aí quem sabe teremos alguma rivalidade de novo.
    Porque ano passado Alonso foi aos boxes da McLaren parabenizar Hamilton pelo título. Que rivalidade é essa?!?!

    Publicado por Lucas | 03/07/2009, 3:34 pm
  15. Becken , vc viu que o Super Reporter mais bem informado do Automobilismo mundial Victor Martins publicou no blog dele e jah esta no Grande Premio ?

    Que a escolha da Manor foi pura sacanalva…. cara eh incrivel como esses caras sao fraquinhos… vc vem cantando essa bola desde o anuncio das 3 novas equipes, o ICO igual…. mas beleza o que vale para eles na falta de materias eh pageviews para os anunciantes nao….

    Abraco

    Fernando

    Publicado por Fernando Piccione | 03/07/2009, 4:10 pm
  16. Becken,

    Comentário que fiz agora no blig do Gomes:

    “Flávio,

    Não foi obra do Victor Martins nem do The Guardian levantar esse problema. Aliás, o Victor está bastante atrasado na apuração do assunto (o que não é novidade, pois o cara adora pagar mico prevendo as datas em que o Piquet será demitido e não acerta uma).

    A primeira pessoa que tocou no assunto há semanas atrás foi o Becken Lima do F1 Around.

    Em 12/06/09:
    https://f1around.wordpress.com/2009/06/12/sera-que-houve-conflito-de-interesses-na-escolha-da-manor-grand-prix/

    Em 14/06/09:
    https://f1around.wordpress.com/2009/06/14/suspeitas-sobre-lisura-no-processo-de-selecao-da-fia-pode-crescer/

    Em 27/06/09:
    https://f1around.wordpress.com/2009/06/27/o-jornal-ingles-the-guardian-confirma-suspeitas-sobre-conflito-de-interesses-na-escolha-da-manor-grand-prix/

    Dê a César o que é de César, principalmente por se tratar de um cara que não fica se gabando e se dizendo jornalista (diferente de muitos pavões da imprensa), seria muito chato não dar o crédito à pessoa certa.

    Abraço.”

    Não deixe barato não, o Flávio está dando crédito para o mané do Victor Martins.

    Publicado por Cassius Clay Regazzoni | 03/07/2009, 4:11 pm
  17. Não deixe barato não, o Flávio está dando crédito para o mané do Victor Martins.

    Muito obrigado, Cassius, mas eu duvido que o seu comentário passe no anti-spam…

    Publicado por Becken Lima | 03/07/2009, 5:28 pm
  18. Fernando – Talvez o mérito meu — se é que há algum — foi no mesmo dia do anúncio das equipes publicar um post para que nós, dessa comunidade de fãs em particular, ficássemos atentos com o tal conflito de interesses e com o desenrrolar dos acontecimentos…

    Mérito pelo insight, mas nem tanto pela informação que estava à disposição, era só pesquisar.

    Jornalísticamente, foi o pessoal do “The Gurdian” que ralou o traseiro para encontrar as informações e agora está juntando as peças do quebra-cabeças.

    Aliás, essa série de matérias talvez seja o próximo passo na destituição de Mosley do poder!

    Publicado por Becken Lima | 03/07/2009, 5:39 pm
  19. Uma pergunta, como será que esse e-mail foi parar na imprensa heim ?

    Será que foi a mesma empresa de espionagem que divulgou as fotos do MAX chicotinho ?

    Publicado por claudio cardoso | 03/07/2009, 7:03 pm
  20. Uma pergunta, como será que esse e-mail foi parar na imprensa heim ? Será que foi a mesma empresa de espionagem que divulgou as fotos do MAX chicotinho ?

    Empresa de espionagem… Qual?

    A história é que uma senhora, a ‘Woman E’, planejou a armadilha para Mosley. O objetivo era arrancar uma grana para pagar dívidas pessoais…

    O marido dela é que era um ex-agente do MI5, serviço de contra-espionagem do governo inglês:

    http://www.dailymail.co.uk/femail/article-1040975/My-MI5-husband-DID-set-Max-Mosley-admits-whip-wielding-dominatrix.html

    Agora sobre o e-mail, é bem provável que tenha sido vazado por quem recebeu ou por uma terceira parte…

    A Ferrari tem parte de suas ações em mãos de um Reino Árabe — Abu Dhabi, sim, aonde será a corrida no fim do ano — que pode muito bem ter sido o destino do e-mail, algo que não fica claro na matéria do The Guardia, o que deve ser uma proteção à fonte.

    Se considerarmos que a empresa de Donnelly, a Sovereign tinha a Ferrari como cliente até o fim de 2007, é bem provável que Donelly também tenha contatos em Abu Dhabi por intermédio da Ferrari, o que o ajudaria a fechar negócios em nome da Manor com os árabes.

    A matéria do Guardian revela que o negócio entre a Virgin e a Manor foi acordado antes dela ser indicada pela FIA, quando a briga entre a Ferrari e Max não havia chegado ao ápice.

    Com a guerra deflagrada, os árabes, que tem estreita relação com a Ferrari, não devem ter pensado duas vezes para jogar no ventilador e entregar tudo para a Ferrari…

    Se Montezemolo tivesse esse e-mail nas mãos ele entregaria a um jornal inglês, o que afastaria suspeitas se ele entregasse à imprensa italiana…

    Ok, tudo isso acima é uma bela teoria conspiratória, mas não deixa de ser interessante…

    Publicado por Becken Lima | 03/07/2009, 7:50 pm
  21. Oi Becken .

    MAs indo para o lado da conspiracao, tambem poderia ser:

    A tal velhinha nada mais é que testa de ferro de Montezemolo e CIA. E o mesmo espiao que ficava na cola do Mosley, é o mesmo que descobriu a conspiracao.

    Olha que coisa curiosa:

    1o Pinta o escandalo Max chicotinho.

    2o A Fota bate de frente com o Max.

    3o Agora aparece o tal e-mail.

    Td que esta aparecendo é no fim o mesmo objetivo. Derrubar o Max chichotinho, por isso que para mim ainda soa possivel ser as mesmas pessoas por tras de tudo.

    Claro que isso nada invalidade da informacao ter sido passada pelos arabes, e o pessoal correu atras para arrumar a materialidade do caso com a espionagem.

    Publicado por Claudio CArdoso | 03/07/2009, 11:48 pm
  22. eu considero a Williams pilotada pelo Prost a máquina mais poderosa da F1 que eu já vi.

    Publicado por andre | 04/07/2009, 11:38 am
  23. eu considero a Williams pilotada pelo Prost a máquina mais poderosa da F1 que eu já vi.

    Realmente o FW15C foi um grande carro.

    Apesar de o Senna ter vencido cinco corridas naquela temporada pilotando um bom carro da McLaren mas com um recém adquirido motor Ford, muitíssimo inferior ao Renault da Williams e ainda por cima inferior ao mesmo motor FORD que a Benetton de SCHUMACHER (que ainda assim ficou atrás de Senna no campeonato…)

    A McLaren lutou com todas as forças naquele ano para ter um motor no mesmo o nível, mas por obrigações contratuais, a Benetton ficou com a versão MAIS POTENTE da Ford.

    A situação foi até interessante e a McLaren, ela mesma, tentou criar uma versão mais potente daquele propulsor usando a TAG Eletronics.

    O Prost marcou 99 pontos em toda a temporada e o Ayrton, em segundo no campeonato, ficou com 73…

    Interessante é que foi nessa temporada com um carro de outro planeta que Senna adquiriu o status de maior piloto da história da F1, com as pilotagens no Brasil e em Donnington — ambas sob chuva — que na verdade é o mais espetacular desempenho de um piloto em corridas que eu testemunhei…

    Publicado por Becken Lima | 04/07/2009, 12:49 pm
    • Talvez o FW15 não tenha uma historia mais extensa, por que ele começou a ser desmontado pela FIA e suas mudanças de regulamento, foi a Primeira porrada no Tio Frank, depois a BMW veio com pinta para levantar a Williams e capou o gato hoje a Williams junta os cacos, o FW15 é o mais completo em tecnologia uqe ja existiu, mais glamour e historias não.

      Publicado por Claudio | 29/06/2010, 2:14 am
  24. Cada um tem seu carro favorito.

    Eu tenho dois na minha memória :

    O meu favorito é o Brabham BT53 utilizado pelo Piquet em 1984. Só ganhou duas corridas, mais tinha um motor BMW que ultrapassava 1200 hp´s nos treinos e levou o brasileiro a 9 poles naquele ano. Eu o acho um carro belíssimo.

    Mais o melhor projeto da história para mim foi o Lotus 72, que redefiniu a F1 estabelecendo padrões até hoje uilizados (frente em cunha, radiadores laterais, etc), além de ter sido o primiero carro que teve a aerodinâmica como quesito fundamental no projeto. Além de tudo era lindo nas cores preto e dourado.

    Era um carro tão bom que venceu corridas e foi competitivo de 1970 a 1975.

    Nenhum deles entretanto chega perto da eficiência e dos resultados do MP4/4. Sem sombras de dúvida o mais bem sucedido de todos os carros até hoje.

    Publicado por Sirlan Pedrosa | 04/07/2009, 1:47 pm
  25. Não tenho um carro favorito, costumo prestar mais atenção ao estilo de pilotagem que à máquina. Eu acho o FW15c o carro mais poderoso que já vi, mas não é meu favorito. E, quanto ao estilo, prefiro os de Prost (o melhor piloto que vi em ação) e Schumacher .

    Publicado por andre | 04/07/2009, 3:25 pm
  26. Realmente, ótimo post, uns dos melhores que já li.

    Publicado por Luiz | 30/06/2010, 2:04 pm

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: