//
você está lendo...
ARTIGOS

No que Alonso anda trabalhando em Maranello…

IMAGEM: Ferrari/Divulgação (A linda 458 Itália)

Fernando Alonso anda trabalhando duro em Maranello pilotando uma… Ferrari 458 Itália? O que a Ferrari estaria pretendendo ao colocar o bicampeão em um carro esportivo poderoso, mas muito longe da capacidade de performance de um modelo de competição?

Sem a possibilidade de testar um F1 até Fevereiro de 2010, a Ferrari está nesse momento recolhendo dados principalmente do estilo de pilotagem de Alonso, algo que uma “458 Itália” com bons sensores deve fazer à perfeição.

Esses dados, que serão carregados no ultra-avançado simulador em Maranello, serão muito úteis para calibrar o novo modelo dentro do que o estilo agressivo de Fernando requer.

A medida é preventiva, já que nos último três anos a Ferrari teve problemas para adaptar o F2007 e F2008 ao estilo sobreesterçando de Kimi Raikkonen — que exige uma frente mais fixa para render o seu máximo. Os carros tinham uma tendência natural que beneficiava o estilo de Massa que, consequentemente, atingia o pico de performance dos pneus mais rápido que Raikkonen.

Fernando e Massa têm estilos de pilotagem semelhantes, um pouco mais neutros que o de Kimi, mas muito agressivos em curva, algo que ajudará a Ferrari a direcionar o desenvolvimento do F661 em uma mesma direção ao longo do ano.

Discussão

24 comentários sobre “No que Alonso anda trabalhando em Maranello…

  1. Becken e amigos,

    Certas coisas não dá para entender. Estilo é uma delas. Vemos pilotos excepcionais com características totalmente contrárias produzindo os mesmos resultados.

    Para mim não existe coisa pior que carro ou moto saindo de frente. Quem já andou de Kawazaki 1000 sabe o que é não virar nem frear. Credo. Nunca mais.

    Abs.

    Publicado por Anselmo Coyote | 29/11/2009, 10:35 am
  2. Baseado nos meus profundos conhecimentos de pilotagem, adquiridos após horas de Rfactor, GTLegends e GTR2, acredito que os pilotos que preferem um carro saindo de frente (argh, concordo com o Anselmo) freiam sempre com as rodas em linha reta tanto quanto possível até atingir o ponto de tangência ideal (para eles) e dar um coice na direção para retomar a curva já com as patas atoladas no acelerador.

    Quem dirige com a traseira solta chega na curva meio de lado, alcançando um ponto de tangência um pouco à frente do piloto acima e demorando um tiquinho mais para reacelerar, porque a traseira está sempre no limite do descontrole.

    Já o piloto neutro, com carro idem, é o que teoricamente faz a curva perfeita, com aproximação, frenagem e reaceleração em pontos ideais. Costumam não ser (ou não aparentar ser) muito agressivos, mas são eficientes com um carro equilibrado.

    Dita esta minha soberba análise, nem sei o que a Ferrari pretende, porque o modo de conduzir um carro de, digamos, turismo, é bem diferente de um fórmula. Acho que no máximo vão identificar uma ou duas características do Alonso.

    A Ferrari nunca se preocupou em “criar” um carro pro Felipe, não?! Ele vai ter que se adaptar, de novo.

    Publicado por luiz carlos | 29/11/2009, 1:41 pm
  3. “Já o piloto neutro, com carro idem, é o que teoricamente faz a curva perfeita, com aproximação, frenagem e reaceleração em pontos ideais. Costumam não ser (ou não aparentar ser) muito agressivos, mas são eficientes com um carro equilibrado.”.

    Concordo.

    Teorizo que a maioria dos pilotos são os ditos “neutros”, aqueles que fazem bem o arroz-com-feijão, dificilmente se envolvem em enroscos, andam no pelotão intermediário, terminam todas as provas se o carro não quebrar, pontuam de vez em quando e até ganham as corridas muito tumultuadas. Enfim, dão um show de regularidade.

    Para sair desse tédio, para o bem ou para o mal, é preciso fazer a diferença. É aí que aparecem os que andam no limite do sub ou sobresterçamento, de acordo com a preferência pessoal.

    É muito divertido e revelador observar essas nuances. O que diferencia o craque do mediano é essa capacidade de surpreender. Nos momentos críticos, quando todos aliviam o pé ou mesmo aceleram, eles fazem o contrário e pegam todo mundo no contra-pé.

    É verdade essas manobras se transformam em lambanças, o que é natural, pois feitas no fio da navalha. É preciso olhar acurado para aplaudir uma manobra dessas, mesmo quando não dão certo, sem cair na mesmice de dizer que o cara é um trapalhão. Falo de aplaudir a coragem, o reflexo, o oportunismo, o arrojamento porque, no final das contas, são esses riscos que alguns tem coragem de correr que os faz melhores que os medianos.

    Abs.

    Publicado por Anselmo Coyote | 29/11/2009, 2:25 pm
  4. “É verdade essas manobras se transformam em lambanças, o que é natural, pois feitas no fio da navalha.”. Errei…rs.

    Leia-se:

    É verdade ‘algumas dessas’ manobras se transformam em lambanças, o que é natural, pois feitas no fio da navalha. Agora sim.

    Abs.

    Publicado por Anselmo Coyote | 29/11/2009, 2:30 pm
  5. Show técnico de luiz carlos e show filosófico de Anselmo coyote heheh

    Publicado por Ridson | 29/11/2009, 2:37 pm
  6. Uma coisa fico me perguntando para esta questão da agressividade do piloto. Em geral se afirma que os pilotos que gostam de sair de traseira e ter a frente firme são ditos mais agressivos… Senna era o mais conhecido de todos eles, no passado.

    Aí tem os pilotos que são ruins na traseira e excelentes nas curvas (eu diria Mansell… se estiver errado me corrijam)

    Se agressividade é algo que não se mede, quem seria o mais agressivo, pelos históricos: o que ataca mais as zebras por vir com tudo na guinada ou os que aceleram com tudo nas curvas?

    Porque aí caímos numa armadilha meio louca, quando lembramos que esses pilotos nos surpreendem, nas pistas mais desafiadoras em curvas ou naquelas travadas em que arrojo é tudo, para ultrapassar…acho que o que define a agressividade do piloto não é o seu estilo, e sim o que pretende numa corrida, e o que fará dela. Entretanto, é um excelente exercício de reflexão, nos aquecendo sempre para a próxima temporada.

    Publicado por Ridson de Araújo | 29/11/2009, 2:47 pm
  7. Bem, eis a segunda parte da minha tese sobre estilos de pilotagem (haja baboseira!).

    Qual a diferença entre o piloto agressivo e o conservador?

    Diferentemente da maioria, não acho que essa diferença resida em fazer curvas “de lado”, fritar pneus, ou retomar a aceleração com tamanha brutalidade que faça as rodas patinarem, ainda que por um instante. Ou seja, nada tem a ver com ser neutro, dianteiro ou traseiro.

    O piloto agressivo é aquele que, dentro do seu estilo de pilotagem, vai até os limites do seu carro com freqüência volta após volta. O tempo todo ele corre no fio da navalha entre o controle magistral da máquina e a verde relva (hoje asfalto) que existe após as zebras.

    O único sinal externo que ele nos dá sobre seu modo de conduzir é uma ou outra balançada no carro nas freadas, uma passada por cima da zebra ou uma ultrapassagem fulminante.

    Senna é tido com um dos mais agressivos pilotos da história da F1, o homem que conduzia o seu carro como se cada volta fosse a última de sua vida. Já Prost, todos sabem, era o piloto conservador e inteligente de tocada “suave”.

    Agora eu pergunto: alguém tem na memória a imagem de Senna como aquele que tocava fritando pneus, andando de lado, patinando na reacelaração?

    1989, Suzuka. Alguém consegue notar, de fora, alguma diferença entre a pilotagem de um e de outro?

    Donnigton 1993. Haveria condução mais perfeita na chuva?

    Pois é. Senna era agressivo sim, mas era (ao meu ver) um piloto neutro. Dirigia buscando a perfeição em cada curva e perfeição não é uma coisa que combine com um piloto dianteiro (carro saindo de frente), nem com um traseiro (carro saindo de traseira).

    Entretanto, dentro dessa sua neutralidade, Senna ia ao limite do carro, testando continuamente os coeficientes de forças que atuam na máquina, tais como força G, aderência, giro de motor, capacidade de frenagem e retomada, tudo isso de forma incansável e contínua num ritmo alucinante e frenético.

    Hoje temos em Hamilton o exemplo de piloto agressivo e, podem observar, ele não anda de lado. O que ocorre é que sua (ainda) imaturidade o leva por vezes a ultrapassar os limites e se envolver em acidentes como o de Monza esse ano (como Senna também já fez em ocasiões diferentes).

    Aliás, para quem vê a F1 pela televisão, como eu, não dá para notar nenhuma diferença na tocada dos pilotos. Para mim, pelo menos, todos passam pelo mesmo lugar, freiam na mesma hora, aceleram no mesmo tempo, uma chatice.

    Só notamos o piloto que se destaca dos outros em condições adversas (chuva), quando os mais agressivos são mais rápidos por não terem medo dos limites do carro, ou quando são decididos para ultrapassar, etc.

    Enfim, em situações desfavoráveis, um Hamilton é mais emocionante do que um Kova, sem que, necessariamente, ele seja um piloto traseiro ou dianteiro, muito pelo contrário!

    Em termos de “show”, aí sim, os pilotos não neutros podem ser mais interessantes, sem necessariamente serem agressivos (Sato em algumas ocasiões).

    E o Schumacher, onde se encaixa?

    Publicado por luiz carlos | 29/11/2009, 5:14 pm
  8. Boas as reflexões desenvolvidas aqui. Senna era realmente muito agressivo, sobretudo nas ultrapassagens, mas o estilo que já era refinado e ele queria aperfeiçoar pilotando um carro perfeito e infelizmente não deu tempo, foi Schumacher quem imortalizou.

    A condução limpa, refinada, poupando pneus e equipamento e ser agressivo no bote e na ultrapassagem, na defesa de posição, ou nem precisando fazer a ultrapassagem em sua manobra clássica, mas sim andando forte o tempo todo e nas paradas sair na frente dos adversários. Esse era o estilo irretocável do alemão heptacampeão.

    Parece q a troca do Kimi por Alonso tem, mesmo q por um pequeno peso, no estilo de pilotagem, tb um componente nessa decisão da Ferrari.

    Que esses dois grandes pilotos possam levar ao topo o novo projeto da Scuderia e a McLaren q se vire com sua duplinha inglesa ( no bom sentido ) pq no fundo, o q todos nós queremos ver são pegas na pista em 2010. Com quantas equipes fortes forem possíveis dentro dessas novas regras.

    Abs

    Publicado por Alex-Ctba | 29/11/2009, 5:16 pm
  9. Realmente, ótimos comentários e reflexões por aqui. Parabéns, rapaziada!

    Publicado por Becken Lima | 29/11/2009, 5:21 pm
  10. Tenho quase certeza q Schummi e Alonso n se dão bem.
    Com a chegada do espanhol por lá, acho difícil o alemão querer continuar em Maranello.
    Talvez isso seja um dos motivos de se falar em Schummi na Mercedes.
    O grande problema são as parcerias Mercedes e Mobil; Schummi e Shell.
    Deve ser um dos pontos mais complicados para a ida do queixudo para as fechas de prata.

    Publicado por Leandro Magno | 29/11/2009, 8:02 pm
  11. Não concordo com essa de piloto “neutro”, pra mim não existe piloto de estilo de pilotagem neutro, também não existe carro totalmente neutro.

    Tem uma frase do Stirling Moss que diz algo assim: “se você está com tudo sob controle, então não está indo rápido o suficiente.” No automobilismo, essa verdade impera. Não importe de sobesterço ou sobresterço, os pilotos tem que lutar constantemente contra um, ou outro.

    Nunca, a classificação de estilo vai mostrar o talento do piloto, é uma questão de estilo e só, eu pessoalmente gosto de uma tocada mais limpa, de piloto que gosta de carro com a traseira leve, gosto do estilo do Raikkonen por isso.

    Portanto, não diferença em velocidade entre os dois estilos, quem pilota com a traseira solta ganha na entrada da curva, quem pilota com a frente mais solta ganha em saída, por ter um carro não tão delicado na mão. A velocidade é a mesma, o que muda é o momento em que ela aparece. No cronômetro é a mesma coisa, na disputa de posições, dependendo do layout do traçado, temperatura dos pneus, condições da pista e mais um galeão de outras condições, pode fazer diferença.

    Piloto bom não é quem dirige com o carro saindo de frente ou de traseira, piloto bom é aquele que eleva o seu estilo a enésima potência, extraindo de si mesmo e do equipamento cada gota de performance, cada milésimo.

    Agressividade é outra coisa, para mim, não tem nada a ver com o estilo, pois de um jeito ou de outro você pode destruir os pneus, danificar suspensão…Agressivo é aquele que anda no limite, que toma riscos. Senna era agressivo pelos riscos que tomava, e não por gostar de uma frente estável em detrimento de uma traseira mais desequilibrada. A mesma coisa pro Mansell, estilo diferente, agressividade equivalente.

    Uma pena que os F1 de hj parecem padronizar o estilo de pilotagem, tanto que esse ano eu tinha como esperança ver pilotos oldschool, como o Kimi, se sobressaindo, mas pelo jeito as equipes conseguiram superar o sobresterço do começo do ano através de setup dos veículos. Não fez muita diferença no final.

    Talvez seja culpa dos pneus, como um camarada aí em cima falou, estou no aguardo a 2011, pra ver o que serão dos pneus, pois acho que aí reside a grande revolução em termos de competição. A mudança de bridgestone para qualquer outra.

    Depois dessa imensa viagem (tem alguém lendo?), comentando o post agora, essa do Alonso de f458 é marketing e só. F1 não tem nada a ver com carro de rua, por mais esportivo que seja. A mercedes fez a mesma coisa com o espanhol em 2007, colocaram o cara pra andar de SLR. Algum reporter, visivelmente desinformado, perguntou se parecia um f1. Alonso repondeu: “não”.

    Publicado por The Stig | 30/11/2009, 1:00 am
  12. THE STIG ->>

    Meus parabensss, otimo comentário

    ——————————————

    Agora quanto ao que estao resumindo um carro de corrida a Sair de Frente, Sair de Traseira e ao carro neutro.

    Estao esquecendo de um detalhe importante. Um carro neutro andando de forma neutra nao é rapido. é igual a uma senhora de 60 anos dirigindo na serra.

    Um carro neutro para se andar rapido, é com um piloto que ande escorregando com as 4 rodas. o chamado “escorrega nas 4”.

    O Piloto rapido nesse estilo, ele freia no ultimo segundo, depois alivia um pouco o pe durante o deslizamento do carro para dentro da curva, ele na parte inicial do deslocameto para dentro da curva força um arrasto exagerado lateral das 4 rodas e com isso perde velocidade no caminho para o ponto de dentro de dentro da entrada da curva, e isso com o pe do freio muito aliviado), na curva como ainda esta um pouco rapido o carro escorrega para fora, e esse escorregao gera atrito que faz o carro perder a velocidade excessiva (Hamilton faz muito isso), por isso o carro tem de ser neutro, pq senao ele sai de traseira, ou se for no inicio da curva ele passa reto. Detalhe: Isso come pneu que é uma maravilha, nao da para andar o tempo inteiro assim.

    Agora 100 % neutro ninguem deixa o carro, sempre tem uma levissima tendencia a traseira ou dianteira. e Tem tambem os que querem mesmo saindo de dianteira e os de traseira. Os que gostam do carro saindo de dianteira, tem de freiar bem no limite do limite pq ele vai fazer essa manobra “esfregando” a roda dianteira no asfalto durante a entrada para a curva. Tem de ser agressivo pacas.

    outro Exemplo classico disso ? pilotos de raliii. Como eles andam em superficie com areia em geral é o modo mais rapido de se fazer curva é escorregando com as 4. To falando das curvas rapidas, nao daquelas curvas fechadas que eles fazem com o freio de mao (que por sinal no carro deles o freio de mao é um pedal) que dao uma traseirada linda como essa aqui).

    Publicado por Claudio Cardoso | 30/11/2009, 10:06 am
  13. Olha ai a confirmacao do que eu falei.

    O diretor-geral da equipe, Jonathan Neale, acrescentou mais uma questão ao dito por Lowe. Segundo ele, os três pilotos da equipe tem características parecidas. “Temos sorte que Lewis e Jenson têm estilos de condução bastante neutros — como o faz Pedro de la Rosa —, por isso é improvável que isso seja um problema para nós no próximo ano”, afirmou.

    Publicado por Claudio Cardoso | 30/11/2009, 1:01 pm
  14. “Aliás, para quem vê a F1 pela televisão, como eu, não dá para notar nenhuma diferença na tocada dos pilotos. Para mim, pelo menos, todos passam pelo mesmo lugar, freiam na mesma hora, aceleram no mesmo tempo, uma chatice.”

    Luiz Carlos, outro fator a considerar é a diferença brutal dos carros até o início da década de 1990 para os de hoje. Notem que hoje, mesmo sem o controle de tração é muito difícil ver alguém patinar as rodas na largada; imagine a dificuldade para notar a diferença de condução entre um piloto e outro?

    Publicado por Vitor, o de Recife | 30/11/2009, 1:22 pm
  15. Exemplo classico disso ? pilotos de raliii. Como eles andam em superficie com areia em geral é o modo mais rapido de se fazer curva é escorregando com as 4.

    Cláudio, estou com preguiça de procurar agora, mas o Kimi dizia, enquanto corria no Rally da Finlândia, que assim como na Fórmula 1, o jeito mais rápido de andar de rally é ficar o maior tempo possível em linha reta, e não derrapando com as quatro rodas. A manobra do vídeo é linda – estou babando por ela ainda – mas se ele tivese atacado a curva com o carro mais “reto”, poderia ter ido muito mais rápido, o problema é que não tem grip para isso.

    —-

    Becken, uma sugestão: você gosta desses snapshots previews? Até mesmo as fotos que você está colocando no início do post está aparecendo numa janelinha quando passamos o mouse por cima – janelinha essa que as vezes “buga” e teima em não sair. Selecionar um link na sua lista de blogs ao lado é meio complicado, já que as vezes um preview fica por cima do link que se quer e apesar de poder se selecionar, não dá pra ler o nome do link… Na minha opinião esses previews não adicionam muito (servem apenas para ver se o site em questão é bonitinho), então fica a minha sugestão de desativá-los… claro, a decisão é sua, e quem sabe podemos ter algumas opiniões dos colegas comentaristas =)

    Publicado por Guilherme Teixeira | 30/11/2009, 3:55 pm
  16. Pois é VITOR, o F1 moderno exige uma pilotagem sem variações visíveis a “olho nu”. Talvez um especialista, assistindo ao vivo e de um ponto privilegiado possa detectar essas diferenças que são imperceptíveis para pessoas como eu em frente à TV.

    CLÁUDIO, isso confirma minha opinião de que ser agressivo não tem a ver, necessariamente, com o piloto ser dianteiro, traseiro ou neutro (acho que teve gente que não me entendeu!). Eu disse que Senna era neutro e Lewis também (esse eu deixei menos explícito, lembrando que não posso ter certeza de um ou de outro).

    Outra coisa, voce disse que

    “Estao esquecendo de um detalhe importante. Um carro neutro andando de forma neutra nao é rapido. é igual a uma senhora de 60 anos dirigindo na serra.”

    Bem, eu realmente não posso discutir isso porque não sei. Tenho a mera impressão de que em corrida no asfalto quem escorrega de qualquer modo perde tempo.

    De mais a mais, penso que cada piloto, dentro de seu estilo, tenta percorrer o mais rápido possível a “curva ideal”.

    The STIG, vc disse que

    “Piloto bom não é quem dirige com o carro saindo de frente ou de traseira, piloto bom é aquele que eleva o seu estilo a enésima potência, extraindo de si mesmo e do equipamento cada gota de performance, cada milésimo”.

    E eu disse que

    “O piloto agressivo é aquele que, dentro do seu estilo de pilotagem, vai até os limites do seu carro com freqüência volta após volta. O tempo todo ele corre no fio da navalha entre o controle magistral da máquina e a verde relva (hoje asfalto) que existe após as zebras”.

    Ou seja, falamos a mesma coisa.

    Abraço a todos

    ;)

    Publicado por luiz carlos | 30/11/2009, 4:00 pm
  17. Guilherme, vc mesmo pode desativar essas janelinhas, basta dar uma fuçada nas configurações quando ela aparecer em sua tela, mas vc tem razão, vou tentar desativá-las nas configurações gerais do blog.

    Thanks!

    Publicado por Becken Lima | 30/11/2009, 4:45 pm
  18. Guilherme

    “Cláudio, estou com preguiça de procurar agora, mas o Kimi dizia, enquanto corria no Rally da Finlândia, que assim como na Fórmula 1, o jeito mais rápido de andar de rally é ficar o maior tempo possível em linha reta, e não derrapando com as quatro rodas. A manobra do vídeo é linda – estou babando por ela ainda – mas se ele tivese atacado a curva com o carro mais “reto”, poderia ter ido muito mais rápido, o problema é que não tem grip para isso.”

    Mas a manobra que eu coloquei como exemplo de video, nao é escorregando nas 4. Aquilo ali é traseirada das maiores possiveis :-) vou copiar acima o que tinha escrito rss

    4. To falando das curvas rapidas, nao daquelas curvas fechadas que eles fazem com o freio de mao (que por sinal no carro deles o freio de mao é um pedal) que dao uma traseirada linda como essa aqui).

    Observe que ainda friso bem, Falando de curvas rapidas …. que dao um TRASEIRADA linda. nao disse que aquilo é escorregar nas 4 e aquilo ali é longe de ser uma curva rapida.

    Justamente por nao ter grip que aquila forma é a mais rapida de se contornar aquele tipo de curva.

    Outra coisa que eu me refiro em sair com as 4 rodas, nao é aquilo que se ve em filme de perseguiçao americana que o carro vai quase la do lado de fora da pista, é uma coisa muuuiiitooo sutil…. è quando o carro começa a escorregar levemente, que inclusive nao requer nem alteracao da posicao do volante para corrigir a tragetoria, ai sim se anda rapido. Halmilton é o exemplo perfeito de se fazer isso.

    Exemplo de um curva escorregando nas 4 com o finalzinho dela ja levemente saindo de traseira.

    é a curva dos 10 segundos

    Obs; As cameras de hj em dia, dao a impressao que estamos vendo um video game e que os pilotos nao fazem nada, As cameras de antigamente que nao tinham estabelizadores de imagem é que dao dimensao do que é realmente pilotar um formula 1. Vendo a tv hoje em dia parece que é igual a dirigir um carro na rua.

    Aquela ali é uma curva absolutamente fechada longa e com areia.

    Publicado por Claudio CArdoso | 30/11/2009, 6:21 pm
  19. A seguencia 33 a 39segundos da para exemplificar melhor :-)

    Publicado por Claudio CArdoso | 30/11/2009, 6:24 pm
  20. No final do video na curva 1:16 tem um exemplo perfeito de no final da curva de uma traseirada. Alias esse video ai é uma aula de saida de frente de traseira com as 4 rodas.

    tem tudo ai !!!!

    Publicado por Claudio CArdoso | 30/11/2009, 6:27 pm
  21. O slide do ano na F1:

    Publicado por Becken Lima | 30/11/2009, 6:28 pm
  22. FANTÁSTICOS os dois vídeos.

    O de Sutil chama mais a atenção por ser algo que não se vê (ou as câmeras não captam) na F1 moderna.

    Não me lembro dessa imagem do Sutil!

    Publicado por luiz carlos | 30/11/2009, 7:21 pm
  23. Claudio:
    Ok, falei merda, admito, hahaha.
    Não prestei atenção no que você disse e no que você quis dizer com “sair com as 4”.

    Abração

    Publicado por Guilherme Teixeira | 30/11/2009, 7:48 pm
  24. Guilherme ->

    Que isso. EU sou o mestre de ler rapido e escrever besteira.

    Alias estava relendo os post PQP como tem erro de portugues… Eu vou escrevendo rapido e envio, nao tenho a capacidade do Becken e do Claudemir de escrever rapido e bonito :-) Eu preciso revisar o texto, e como nao da tempo para isso, sai cada perola. COmo a do post acima “estabelizadores”, “tragetoria,”

    me da ate um arrepio quando releio e nao posso corrigir :-)

    Publicado por Claudio CArdoso | 01/12/2009, 1:05 am

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: