//
você está lendo...
ARTIGOS

À frente da malaia Lótus, Tony Fernandes mostra ambição e motivação

Para quem teve a petulância de entitular a nova Lótus de “Paraguaia” — ou “fake,” como foi o meu caso — está agora engolindo as palavras ao ver a equipe tornar-se a mais séria das novas entrantes para o campeonato de 2010.

Heikki Kovalainen e Jarno Trulli, apresentados hoje, são, nas palavras do próprio Fernandes, “um testamento da qualidade e da ambição da equipe.” Em termos práticos, Filipe Furtado observa muito bem que será uma “dupla de pilotos que tenderá a classificar os carros muito bem, o que é bem interessante para uma equipe que iria brigar para ir ao Q2.”

Mas a verdadeira estrela da Lotus no momento é o próprio Tony Fernandes. Nos últimos dias Tony esteve em evidência com sua visão particular de empresário bem sucedido e antenado com o mundo digital, algo que foi bem aceito no Fórum Comercial realizado em Mônaco, destinado a discutir os aspectos comerciais da F1. Tony deixou a indústria musical — a Virgin — quando ela se recusou a abraçar a internet e as rede sociais, algo que a Formula 1 não deveria ignorar, segundo ele. Para o novo dono da Lótus “esses novos canais são um meio fantástico para alcançar uma audiência e mantê-la excitada dia-a-dia.”

Houve muita gente entusiasmada com Tony no Fórum, já o projetando como o tipo de investidor com a mente aberta que a F1 precisa.

Sinteticamente, Tony pode ser considerado um Vijay Malia menos festivo e mais intelectualizado, sendo os dois a síntese da metamorfose pela qual passa a F1 no momento, que fareja e vai atrás cada vez mais do dinheiro novo das economias emergentes orientais.

Tony é, como Malya, esperto, a ponto de deixar a montagem de sua equipe nas mãos do mesmo Mike Gascoyne que orientou o reposicionamento da ex-Spyker como Force India. Mike foi rápido e recrutou até Norfolk, sede da nova Lótus, parte do staff dispensado pela Toyota ao fim desse ano.

A expectativa é que a Lótus absorva mais profissionais da Toyota em 2010 e para isso contará com a antiga patrocinadora da Sauber, a petrolífera também malaia Petronas, que aportará 90 milhões de dólares na equipe de Tony em 2010.

Há ainda alguma subvenção prometida pelo governo malaio, o que poderá posicionar a equipe de Mike Gascoyne e Tony Fernandes como a mais competitiva das novas entrantes.

Discussão

9 comentários sobre “À frente da malaia Lótus, Tony Fernandes mostra ambição e motivação

  1. Mais um atrativo para “a melhor temporada de todos os tempos”, mas pelo visto a briga da Lotus vai ser mesmo com Virgin, Campos, UsF1 e Williams, todas empurradas pelos Cosworth…

    Publicado por Alex-Ctba | 14/12/2009, 3:06 pm
  2. oi tudo bem?
    estou criando um blog relacionado à F1, e comecei hoje.
    Minha ideia é colocar todas as novidades, enquetes e muito mais.
    Já te linquei, se vc pudesse me linkar e seguir seria uma grande ajuda
    valeu!!

    Publicado por Tomas | 14/12/2009, 3:28 pm
  3. Estou me simpatizando com a nova Lotus, com certeza está mostrando potencial para ser a maior entre as menores.
    Sonhando alto, mas com os pés no chão…
    Vou torcer bastante para eles ano que vem, assim como sempre torci para a Force India.
    Gostei também da dupla de pilotos escolhida. Só espero que o Kobayashi belisque uma vaguinha destas que estão sobrando, de preferência na Sauber.

    Publicado por Gustavo Perim | 14/12/2009, 3:58 pm
  4. A pergunta que não quer calar:

    Dragster tem diferencial?

    Publicado por São Cosmo | 14/12/2009, 8:55 pm
  5. “a mais séria das novas entrantes para o campeonato de 2010″… já ouvi (e li) Bruno Senna dizendo isso da Campos, Di Grassi falando da Manor e agora nesse texto sobre a Lotus.

    Pelo jeito vai ser uma temporada muito séria! :-)

    Abraços

    Publicado por Beatle Ed | 14/12/2009, 10:48 pm
  6. A Lotus Cars pertence a um grupo malaio já a muitos anos (Proton), que parece ter participado do arranjo para que a equipe malaia usasse a marca Lotus.

    O orçamento parece que é decente. O projetista é bom. O motor Cosworth deve ser bom.

    Contratou dois pilotos que não são pagantes e possuem vitória na categoria (apenas Ferrari e McLaren tem dois pilotos com vitórias), e embora não sejam grandes gênios, formam claramente uma dupla forte, que reúne boa velocidade e experiência para desenvolver o carro e a equipe.

    Então a sensação que passa é que a nova Lotus aparece com boas perspectivas de fazer um papel decente na temporada 2010.

    Acredito que andarão na frente da Virgin-Manor (aquela que faz o carro sem usar túnel de vento) e da Campos-Dalara.

    A USF1 parece que tem mais chances de nem correr…

    Publicado por Sirlan Pedrosa | 15/12/2009, 1:56 am
  7. “Contratou dois pilotos que não são pagantes e possuem vitória na categoria (apenas Ferrari e McLaren tem dois pilotos com vitórias)”

    Não se esqueça da Red Bull com Vettel e Webber…

    Publicado por Alex-Ctba | 15/12/2009, 7:05 am
  8. Só me desagrada usar o nome da Lotus. Posso até ser acusado de excesso de purismo, mas se a equipe tem competência para andar com as próprias pernas por que usar um nome com glórias que não lhe percentencem?

    Publicado por Vitor, o de Recife | 15/12/2009, 9:31 am
  9. Verdade Alex. Boa correção.

    A Red Bull também tem dois pilotos vencedores.

    Publicado por Sirlan Pedrosa | 15/12/2009, 2:55 pm

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: