//
você está lendo...
ARTIGOS

Petronas torna-se principal patrocinadora da Mercedes GP

Ok, mordi a língua ao afirmar no post anterior que não haveria nenhuma novidade relevante nessa semana de Natal. Hoje, de forma surpreendente, a Petronas, e a novíssima Mercedes Grand Prix, anunciaram um longo acordo que torna a petrolífera malaia a patrocinadora oficial da nova equipe de Nico Rosberg e, provavelmente, Michael Schumacher.

Era largamente esperado que a Petronas — antiga patrocinadora da Saber e depois da BMW — firmasse acordo com a também malaia Lótus, ou mesmo permanecesse com a própria Sauber, parceira de longa data.

A equipe, que revelou um novo e duvidoso estudo de sua pintura já com o verde turquesa da Petronas, será nomeada agora Mercedes GP Petronas.

Discussão

15 comentários sobre “Petronas torna-se principal patrocinadora da Mercedes GP

  1. Com essa pintura, esse carro terá o título de mais feio do ano de 2010!

    Publicado por filho do vento | 21/12/2009, 1:05 pm
  2. Eis ai a única noticia que realmente nos surpreendeu neste ano.

    Publicado por Ron Groo | 21/12/2009, 1:18 pm
  3. ” filho do vento
    Com essa pintura, esse carro terá o título de mais feio do ano de 2010!”

    Discordo, a pintura será muito bonita, talvez não seja tão quanto a da Mclaren e o vermelho da Vodafone, mas será melhor que muitos carros que esatão no grid em 2010, olho na Lotus_Fake que poderá ser um carro alegórico.

    Sobre o anúncio só uma pergunta não foi respondida, onde fica a Exxon-Mobil nesse acordo, uma parceira de tantos anos foi tirada fora assim sem resposta ?

    E isso dá margem as especulações de que a Petrobrás também estaria negociando com a Mclaren para óleo e gasolina e o que relamente impedia era o acordo de longa data entre Mercedes e Mobil, sendo assim fica outra pergunta.

    A Mclaren e FI serão obrigadas a usar óleo e gasolina da Petronas aos moldes que a Renault faz com suas parceiras colocando a Elf-Total sempre como fornecedora ou vai dar a liberdade as duas citadas ?

    Publicado por Claudemir Freire | 21/12/2009, 2:16 pm
  4. Tb acho q não ficou tão feio assim esse protótipo, pelo contrário, ficou até elegante o prata com verde. Apesar de corinthiano, gosto de carros verdes hehehe. Achava a jaguar bonita, apesar de não andar nada.

    Publicado por Alex-Ctba | 21/12/2009, 2:29 pm
  5. @Claudemir Freire

    A McLaren continuará utilizando o combustível e lubrificantes Exxon Mobil, a petrolífera mantém-se como pa\trocinadora da equipe.
    Em relação à Force India, não saberei ser preciso no momento.

    Publicado por Thiago Leopoldo | 21/12/2009, 2:29 pm
  6. Thiago Leopoldo

    Em 2009 a Brawn e FI usaram Mobil, mas não colocaram logo de patrocínio da petroleira norte-americana em seus carros por força de contrato que a mesma tinha com a Mercedes.

    O que perguntei foi, onde ficou a Exxon-Mobil em relação a Mercedes GP, e se seus parceiros terão que seguir a mesma fornecedora dela, como ela já fizera esse ano com as três equipes que empurrou, ou abrirá espaço para que estar utilizem o óleos e gasolina que bem entenderem.

    E mais, onde você tirou a confirmação que a Mclaren irá de Mobil em 2010, porque essa informação será um pouco frustrante para mim que queria ver a Petrobrás fornecendo gasolina e óleos para equipe de Woking.

    Publicado por Claudemir Freire | 21/12/2009, 2:52 pm
  7. @Claudemir

    “O que perguntei foi, onde ficou a Exxon-Mobil em relação a Mercedes GP”
    Não ficou.
    A Mobil vai patrocinar e fornecer combustível e lubrificantes para a McLaren.

    Quanto a parceria técnica com a Mercedes, provavelmente deverá ser mantida, tendo em vista os times clientes, porém a prioridade técnica deve ser voltada para a Petronas, especialmente em relação aos lubrificantes, que são o motivo da petrolífera malaia estar patrocinando a equipe.

    Ao que me consta a Force India deve contuinuar utilizando os combustíveis e lubrificantes Mobil também.

    “onde você tirou a confirmação que a Mclaren irá de Mobil em 2010”
    O contrato de patrocínio corre para além deste ano, e segundo relatos durante a semana passada, a Mercedes GP não iria roubar nenhum dos parceiros do time de Woking.

    Pelo andar da carruagem, nada de Petrobras na F1 ano que vem. A forma mais fácil de estar associada à F1 seria através da equipe de Grove, trabalhando com os já conhecidos motores Cosworth.

    O Ico do blog-do-ico, mencionou conversas entre a petrolífera brasileira e a Red Bull, substituindo a Total, mas não ouvi novidades a respeito, então acredito que não se chegou a nenhum acordo.

    Publicado por Thiago Leopoldo | 21/12/2009, 3:21 pm
  8. Não entendi mais nada agora.

    Para mim os motores eram construídos com base nos dados da gasolina. Então determinado motor, funcionaria melhor com determinada gasolina.

    Em 2009 a Exxon-Mobil forneceu combustível se não me engano para:

    Mclaren, Brawn, FI estampando a bandeira – Mobil;
    Toyota, Williams, com a bandeira Esso.

    Agora a Mercedes Fecha com a Petronas para uma equipe, e fica com a Exxon-Mobil em outras duas.

    Este motor ainda assim terá o mesmo rendimento?

    Fernando

    Publicado por Ffigueiredo | 21/12/2009, 3:38 pm
  9. Talvez em tempos de ‘engine freeze’ a gasolina seja feita com base nos dados do motor.

    Publicado por Thiago Leopoldo | 21/12/2009, 3:47 pm
  10. “Mclaren, Brawn, FI estampando a bandeira – Mobil;
    Toyota, Williams, com a bandeira Esso.”

    Das cinco equipes que você citou apenas a Mclaren andou com patrocínio Mobil as demais andaram sem nada em sua carenagem que mostrasse a gasolina e óleo que usavam. Eu sei que a Toyota e Williams andavam com a Esso e as duas outras andavam com Mobil, mas não ganharam por esse envolvimento.

    A Petrobrás tem 10 milhões de dólares para colocar uma estampa em algum carro, ainda acredito que Williams e Campos irão pegar essa grana, mais as chances de Grove são maiores.

    Sobre os motores e seus combustíveis no fim década 80 e início da de 90 os carros andavam com motores V10 e V12 aspirados e não havia nenhuma restrição quanto a mistura da gasolina, ela só tinha que ser previamente analizada pela FISA/FIA e logo após sua liberação entravam tanque a dentro. Lembro que a Shell na época fornecedora da Mclaren sempre tinha misturas mais poderosas que as demais empresas e ganhava centésimos de segundo com essas pesquisas.

    Hoje com motores a combustíveis também congelados não se desenvolve mais o motor em volta do que a gasolina apresenta em sua octanagem e sim os motores se desenvolvem para gastar menos com o combustível padrão que opera na F1 de hoje.

    Videm as entrevistas de pessoas ligadas a Cosworth que constantemente vem a público dizer que tem que equalizar o consumo que ainda está acima das demais fornecedoras, ora como eles sabem disso se a gasolina para eles ainda não foi revelada, porque até onde sei cada equipe pode usar o seu fornecedor escolhido, tanto que já houve testes da Petrobrás com os Cosworth a algumas semanas atrás.

    E a gana de empresas como a Petronas e Petrobrás para fornecer óleos são visíveis, tanto que a Petrobrás abandonou a Williams onde não fornecia o óleo para ir para Honda onde seria fornecedora por completo. E hoje a Petronas assinou um contrato que a coloca também como fornecedora de óleo.

    Motivo:

    Ainda podem desenvolver produtos nessa área de óleo lubrificantes, coisa que na gasolina não podem mais.

    Então por isso a gasolina hoje é mero patrocínio de carenagem não tem mais o mesmo significado de anos atrás em razão das malditas padronizações.

    Publicado por Claudemir Freire | 21/12/2009, 4:43 pm
  11. Exato Claudemir. Lembro da F-1 dos anos 90 e de uma entrevista do Senna sobre a “guerra dos combustíveis”, ele dizia q a Shell estava conseguindo tirar 15 cv de seu combustível, q já não tinha nada haver com gasolina e q a grande disputa era contra a Elf. Lembro tb do Galvão dizendo q o cheiro nos boxes estava ficando insuportável em decorrência dessas misturas. Não lembro exatamente qdo foi q a FIA padronizou o combustível, mas era mais uma das “guerras” interessantes de se acompanhar.

    Publicado por Alex-Ctba | 21/12/2009, 5:30 pm
  12. Off Topic, Claudemir (e Alex)..

    Por essa questão da gasolina que a Texaco está se desfazendo de toda a operação de combustíveis para focar apenas na produção de óleo.

    Exemplo… Venda da operação brasileira para a Ipiranga.

    (Curtura inútil)

    Publicado por zezinho | 21/12/2009, 6:34 pm
  13. Zezinho.

    Isso não tem nada a ver com desenvolvimento de combustíveis, a Chevron dona da Texaco está passando por uma grave crise financeira e na América do Sul está vendendo seus ativos para saldar o buraco na América do Norte.

    O grupo Ipiranga comprou esses ativos no Brasil e está trocando a bandeira Texaco por Ipiranga na região sul do país mas manterá Texaco no nordeste, já o mesmo grupo Ipiranga teve parte de suas ações vendidas ao grupo Ultra da Ultragás, é uma zona.

    Já na F1 se minha memória na falhar eles só tiveram envolvimento na década de 70 depois disso nunca mais colocaram as caras por lá. Andaram patrocinando a Stock por um tempo e depois ficaram só na equipe Vogel e no ano passado com a venda possou a usar Ipiranga em seu lugar. Já na Nascar até o ano passado patrocinavam o Montoya mas saíram esse ano.

    A coisa anda feia para o Grupo Chevron.

    Publicado por Claudemir Freire | 21/12/2009, 6:56 pm
  14. Claudemir, Alex….

    Valeu pelos esclarecimentos. Cada dia que passa a gente aprende mais um pouquinho por aqui.

    Obrigado.

    Fernando

    Publicado por Ffigueiredo | 22/12/2009, 9:06 am
  15. Ao Zezinho e amigos do blog, quero informar que a Texaco deixou de existir desde a sua compra pela “Chevron” (Standard Oil of California)em 2001 onde a empresa passou a se chamar “Chevron-Texaco” e em 2005 apenas “Chevron”. Até os dias atuais existem vendas de postos de gasolina desta bandeiras em diversos cantos do mundo, além de fabricas de oleos e “projetos de exploração lucrativos”(ex.Brasil, Mar Cáspio e Africa Ocidental) e outros títulos e demandaria espaço aqui. Estou a fazer um trabalho sobre as petroleiras e venho descobrindo “coisas de outro mundo”, é feio, antiético, podre e se escondem sobre o manto da omissão da mídia, que se aproveita de suas campanhas publicitárias, …é o mundo das empresas corporativas a dominar….

    Publicado por Fernando Kesnault | 22/12/2009, 11:23 am

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: