//
você está lendo...
ARTIGOS

Schumacher faz 41 anos

O mais bem sucedido piloto da história da F1 está fazendo 41 anos hoje. Sim, o mais bem sucedido e, claro, o mais controverso em mesma proporção. Devo dizer também: o mais corajoso na atual conjuntura de sua carreira.

Eu sempre fui um grande admirador da tenacidade, dedicação e disciplina de Michael. Sua volta a F1 aos 41, então, só redobra essa admiração pessoal. No entanto, nunca fui um grande fã. Nem pelo estilo em pista nem pela personalidade dissimulada. O alemão sempre foi um grande mistério que, sem capacete, pareceu sempre esquivo e fora de sintonia com a ordem dos fatos: como quando chorou copiosamente depois de bater o recorde de vitórias de Senna:

Suas entrevistas sempre reforçaram essa impressão, sendo, quase sempre, um mar de obviedades e clichês como se ditadas por um habilidoso assessor de imprensa antes de sair da boca de Michael. Por isso tenho também grande admiração por sua legião de fãs, sempre siderada diante da esfinge que é o alemão.

A melhor definição

Li muita coisa sobre Schumacher e a sua volta nas últimas semanas, mas a melhor definição de seu caráter vem do jornalista Stuart Codling, feita em seu blog:

As pessoas muitas vezes me perguntam como Michael Schumacher realmente é. Eu digo que é difícil dizer. De muitas formas ele é perfetamente normal. Ele um extraordinário talento atrás do volante, mas também é um homem de família a adota cães de rua. Ele é também um vergonhoso trapaceiro.

Eu digo “vergonhoso” deliberadamente. Michael tem uma qualidade felina. Gatos não carregam culpa; um tigre irá devorar seu tratador e então, meia-hora depois, perguntar-se aonde ele terá ido. É o mesmo no mundo dos negócios. Robert Maxwell, Kenneth Lay e Bernard Madoff não vêm seu comportamento como fraudulento, mas simplesmente como um diferente modelo de negócios.

— Stuart Codling

Seu aniversário dá ainda mais relevo ao contraste que será vê-lo, corajosamente, entre uma jovem e competitiva geração de pilotos, mas certamente reforçará também talvez a sua maior e mais admirável obsessão, que é o amor incondicional que cultiva pela F1.

Discussão

6 comentários sobre “Schumacher faz 41 anos

  1. Sim, Schumacher é realmente um pouco enigmático no q tange seu comportamento. Como vc bem bem definiu, Becken, o choro ao bater o recorde de poles, revelou outra faceta do multicampeão; a obsessão!

    A mesma obsessão q o fez bater os principais recordes da F-1, e, qdo bateu o recorde de poles do mito Ayrton Senna, o ídolo do maior piloto da atualidade, um inglesinho de pele escura, o tal de Silva, conterrâneo do maior piloto brasileiro atual e eleito por muitos pilotos o mais completo de todos os tempos com suas 65 poles, feito q vaticinavam impossível ser quebrado, caiu em prantos, como uma missão cumprida, um peso de milhões de toneladas tiradas das costas labutas e ciente de ser definitivamente o maior de todos os tempos em números registrados, já q os q presenciaram os feitos do grande mito brasileiro, um dia se renderão aos registros da história e desaparecerão em memórias voláteis.

    Diante disso, ponderou se já não era tempo de realmente tocar a vida fora das pistas, o sonho humano de viver a vida, com uma miríade de possibilidades q só o dinheiro acumulado em uma ultra e bem sucedida carreira pode trazer.

    Três anos não foi o suficiente para esse guerreiro das pistas convencer-se e seu retorno já tem data e local marcado: 12, 13 e 14/03/2009 – Bahrein, no oriente médio, o palco do retorno desse mito indiscutível, porém, muitas vezes contestado qto a legitimidade dos seus atos, na sua busca incessante pela vitória.

    Qto ao “cão de rua” citado por Stuart Codling, foi aqui mesmo no Brasil, durante o GP de Interlagos de 2000 e alguma coisa, q o Schumi de bom coração, outra faceta desse mito, adotou e levou para criar com a aquiescência de sua esposa Corina

    É isso, o homem está de volta, feliz aniversário e te prepara para comer poeira da nova geração Schucrutão, pois moleza é o q vc não vai ter contra Hamilton, Alonso, Massa, Button, Vettel e teu velho escudeiro agora líder de equipe, nosso velho Barrica de guerra, contemporâneo e capacho dos seus dias de glória!

    Schumacher, saiba q eu nunca torci para vc,mas tb saiba q reconheço teu imenso ( e muita vezes entediante ) TALENTO. Bem vindo de volta a F-1 meu camarada!

    Abs

    Publicado por Alex-Ctba | 02/01/2010, 4:20 pm
  2. Um grande ator sem dúvida…

    Publicado por Fernando Kesnault | 02/01/2010, 5:58 pm
  3. Faço parte da turma que nunca foi fã dele mas, não tem como, admira sua capacidade e obsessão pela vitória. Aliás, é curioso como todos os gênios possuem personalidades controversas. Parece algo indissociável.

    Senna era e ainda é um mistério. Quem foi o realmente o homem por trás de toda aquela imagem criada pelo marketing? Piquet, que muitos de seus fãs afirmam de boca cheia ser um homem “autêntico”, sem nada a esconder, na verdade também criou um mito sobre si mesmo com sua “boca maldita”, só que sem acessorias de marketing. Alain Prost, uma das maiores raposas dentro e fora das pistas, também possui um caráter polêmico.

    Da atual geração, não é difícil apontar uma lista de atitudes controversas de Hamilton e Alonso. Mas agora soma-se a eles o retorno do Schumacão. Mais polêmicas virão, espero que com disputas acirradas na pista.

    Publicado por Vitor, o de Recife | 03/01/2010, 9:32 am
  4. “Robert Maxwell, Kenneth Lay e Bernard Madoff não vêm seu comportamento como fraudulento..”
    Só um alarve de um inglês, chauvinista e que nunca esteve sentado num F1 poderia escrever tal coisa ou sequer ousar tal comparação. E você Becken achar que isso é a melhor definição me faz ainda ficar mais apreensivo. Mas cada um calça o que quer.

    Publicado por Carlos Anselmo | 03/01/2010, 12:52 pm
  5. Tem que respeitar, afinal não é qualquer um que consegue passar tanto tempo ganhando. E ele não cansava de ganhar, que coisa…

    Cara, muito legal esse vídeo, eu mal me lembrava que o Hakkinen também não conseguiu falar. Quanta choradeira. Só faltou o Ralf chorar também, daí eles teriam que chamar o quarto colocado para a sala de entrevista heheh

    Só uma retificação, Becken, no lugar “bater o recorde de vitórias de Senna” está escrito “bater o recorde de poles de Senna”.

    Abs

    Publicado por Felipe Maciel | 04/01/2010, 1:05 am
  6. Carlos – Eu não acho que o Stuart seja “chauvinista” pela definição. Acho que vc foi duro com ele sem entender, de fato, a analogia.

    No fundo, ele foi sutil e não caiu na mesmice de acusar de Schumacher de trapaceiro barato, como muitos não se importam em fazê-lo. Sua comparação toca em outro ponto das mancadas do alemão: que é JAMAIS admitir suas trapaças publicamente — por isso do “temperamento felino”, que não sente culpa.

    Um ponto interessante é que sempre se tenta projetar um ideal de perfeição nos ídolos do esporte ou grandes artistas, mas o caso do Tiger Woods nos últimos dias, do próprio Hamilton na F1 e no passado do Schumacher, ilustram bem como é uma falácia tentar idealizar essa gente.

    Às vezes pode não parecer, mas eu gosto muito do Schumacher. O sujeito é so mais um ser humano que nasceu com um talento absurdo para uma profissão específica.

    Publicado por Becken Lima | 04/01/2010, 1:38 pm

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: