//
você está lendo...
ARTIGOS

Petrobrás de volta à F1 pela Lotus?

O colunista da revista Veja Lauro Jardim está com mais uma notinha dando como fechado o acordo entre a nova equipe Lotus da F1 e a gigante petrolífera brasileira, a Petrobrás. Esta é a segunda ou terceira nota em que Jardim sugere a volta da Petrobrás à F1, portanto, encarem com certo ceticismo a notícia.

Teoricamente, o novo patrocínio consumiria 10 milhões de dólares do total de 138 milhões que a estatal destinará ao seu “budget” de marketing em 2010. O acordo anterior, com a Williams, especula-se, era de 7 milhões, mas há sempre aquela dúvida a respeito de qual centro de custos a Petrobrás lota esse verba, afinal as intervenções da companhia brasileira na F1 não são meros investimentos de marketing.

Geralmente, a estatal brasileira usa a Formula 1 não apenas como canal de divulgação corporativo, mas também como uma plataforma de pesquisa para o desenvolvimento de seus produtos de alta performance.

Além de estampar o carro com a marca Petrobrás, o colunista da Veja especula que está sendo desenvolvido pela Petrolífera “um tipo especial de gasolina” para meados desse ano.

Discussão

25 comentários sobre “Petrobrás de volta à F1 pela Lotus?

  1. Dias atrás o Lance postou essa notícia. Mais tarde veio o Anselmo Gois. Esse, aliás, foi enfático:

    A Petrobras já tinha até desistido de participar da Fórmula-1 este ano. Mas chegou uma proposta da inglesa Lotus que pode fazer a estatal voltar às pistas.
    A escuderia propõe até pintar os carros de verde e amarelo.

    http://oglobo.globo.com/rio/ancelmo/posts/2010/02/12/a-coluna-de-hoje-265748.asp

    Viu só, pessoal. Podem esperar que a Lotus vem de verde e amarelo esse ano! :-(

    Publicado por Willian | 26/02/2010, 4:56 pm
  2. Eles entendem de economia, mas de F1…

    O Lauro Jardim:

    A Petrobras está de volta à Fórmula-1. Desta vez, patrocinando a equipe da Lotus, que também está retornando às pistas, depois de oito anos fora das disputas dos GPs. Acaba de ser fechado contrato entre a estatal e a lendária escuderia, que já teve como pilotos Emerson Fitipaldi, Ayrton Senna e Nelson Piquet. A Petrobras pagará 10 milhões de dólares.

    Além de exibir sua marca nos carros da Lotus, está desenvolvendo um tipo especial de gasolina para Fórmula-1. Entretanto, somente em meados do ano, o novo combustível será usado.

    Os carros da Lotus serão integralmente pintados de verde e amarelo.

    Oito anos? Eu realmente não me lembro de ter visto a Lotus em 2002, mas…

    Desculpe pela fuga de tópico, mas esses caras não se dão ao trabalho nem de pesquisar sobre o que estão escrevendo!

    Publicado por Willian | 26/02/2010, 5:00 pm
  3. E a Lotus já não é verde amarela?

    Publicado por Thiago Leopoldo | 26/02/2010, 5:00 pm
  4. E a Lotus já não é verde amarela?

    Essa é a questão, Thiago. Essa é a questão…

    Publicado por Willian | 26/02/2010, 5:01 pm
  5. Thiago leopoldo – Por acaso vc é o “Highdownforce?”

    Publicado por Becken Lima | 26/02/2010, 5:29 pm
  6. Lauro Jardim,

    Por que não te calas?

    Publicado por Iomau | 26/02/2010, 5:49 pm
  7. Estranho… A Petrobrás voltaria ao circo pela Lotus e ignoraria Bruno Senna? Estranho.

    Publicado por Ron Groo | 26/02/2010, 6:19 pm
  8. digam uma coisa apenas:
    seria um bom negocio a lotus patrocinar uma equipe que vai andar no fundão??
    bom, de qualquer maneira são 10 milhões;..

    Tomás
    http://theformula1.wordpress.com/

    Publicado por tomasf1 | 26/02/2010, 6:25 pm
  9. Segundo o “colunista” do F1 Around, o Sirlan Pedrosa, compensa, sim, patroicnar uma equipe mesmo na rabeira do grid:

    A F1 não é cara não, pelo contrário é muito barata.

    Estima-se que a Petronas paga a Mercedes cerca de R$ 100 milhões por ano para ser o patrocinador master do time.

    Reflita que eles tem a marca Petronas exposta no mundo inteiro e associada ao time campeão do mundo, ao Shumacher e à propria “imagem de qualidade” dos produtos Mercedes.

    Usando os números do Claudemir a Batavo (Brasil Food´s = SADIA + PERGIGÃO) está pagando R$ 25 milhões para a cota master do Flamengo. Devemos considerar que o Flamengo tem alcance apenas no Brasil e com um grande enfoque no Rio de Janeiro.

    Analisando o público atingido a Petronas tem um custo de exposição MUITO MAIS BARATO.

    Obviamente para uma marca local como a Batavo estar no Flamengo é interessante, mas para uma marca global a F1 deve ser o esporte mais barato para se anunciar.

    Apenas para servir de parâmetro banco britânico RBS para a Williams cerca de R$ 30 milhões por ano num contrato de 3 anos.

    Publicado por Becken Lima | 26/02/2010, 6:32 pm
  10. O post do Sirlan é interessante. Principalmente se pensarmos que esse é ano eleitoral.

    Ter um empresa “verde-e-amarelo” patrocinando uma equipe de Fórmula 1 levanta o orgulho nacional.

    Anunciar na Globo, o ano inteiro, sai bem mais caro do que isso… Então, com certeza vale a pena o investimento.

    Publicado por Willian | 26/02/2010, 6:37 pm
  11. O texto do Michael Vlcek, do Lance!, sobre o assunto:

    A Petrobras está negociando, em segredo, seu retorno à Fórmula 1. A petrolífera, que por anos forneceu gasolina à Williams, recebeu ontem no Rio de Janeiro um negociador inglês que representa a nova equipe Lotus. Segundo apurou o LANCE! na Inglaterra, as conversas com o time estão em estágio avançado, mas a Petrobras também teria recebido ofertas de Red Bull, Virgin e até da Williams, com quem encerrou parceria em 2008.

    Uma fonte na Lotus contou ao L! que a expectativa de Tony Fernandes, chefe do time, era contar com o apoio da Petrobras já em 2010, mas a falta de tempo hábil para produzir um combustível e homologá-lo junto à FIA fez a petrolífera recuar neste primeiro momento. Segundo uma fonte da Petrobras contou ao L!, a Lotus teria usado como barganha até o fato de as cores do novo carro serem verde e amarelo.

    Ainda segundo o L! apurou, a reunião com Harry Nuttall, o negociador britânico que está no Rio para convencer os executivos brasileiros a fechar com a Lotus, não trouxe novidades. A Petrobras foi convidada a patrocinar a Lotus e estampar sua marca em 2010 nos carros mesmo sem fornecer combustível, oferta logo rechaçada pela companhia, que só volta fornecendo gasolina.

    Com o lançamento do carro previsto para hoje, a reunião era vista como uma última cartada da Lotus para contar com a Petrobras já neste ano. Sem sucesso, a tendência é o time anunciar que a BP-Castrol será sua fornecedora de combustível e lubrificantes em 2010. Mas não está claro se o time fará o anúncio hoje.

    A Petrobras também teria deixado a entender que gostaria de ver um piloto brasileiro ligado à Lotus em 2011, embora não seja um fator determinante para a parceria. A dupla de 2010 terá o italiano Jarno Trulli e o finlandês Heikki Kovalainen, ambos experientes, porém sem qualquer apelo comercial para a Petrobras.

    Publicado em 12/02/2010

    http://www.lancenet.com.br/formula-1/noticias/10-02-12/700184.stm?f-1-petrobras-pode-voltar-a-formula-1-com-a-lotus

    Publicado por Willian | 26/02/2010, 6:41 pm
  12. Estranho… A Petrobrás voltaria ao circo pela Lotus e ignoraria Bruno Senna? Estranho.

    A Petrobrás é uma empresa estatal e não pode, TEORICAMENTE, patrocinar indivíduos. Acho, sinceramente, louvável a forma criativa como a companhia gerencia essa grana de marketing direcionada a F1, pelo menos.

    Publicado por Becken Lima | 26/02/2010, 6:42 pm
  13. a lotus é um time que esta recomeçando na f1..
    tem historia e tudo mais…
    a petrobras pode ter agido de maneira inversa ao tradicionalismo automobilistico…
    patrocina a lotus porque é mais barato..
    e cria uma base para depois ter voos mais altos…

    Publicado por tomasf1 | 26/02/2010, 6:52 pm
  14. Algumas especulações não têm fim.

    Hoje mesmo já lí sobre esse assunto e a Petrobrás teria a sua mesa também uma proposta atraente da Red Bull.

    http://fabioseixas.folha.blog.uol.com.br/arch2010-02-01_2010-02-28.html#2010_02-24_15_40_29-11074102-0

    Não gosto do jornalismo de bunda na cadeira e google do Fábio Seixas, e acho que são meras especulações, por isso acho que barrigadas como essa do Lauro Jardim são mais que normais em se tratando pricipalmente da Veja.

    É mais fácil o jornalista estar querendo fazer um lob com a estatal, assim coloca uma notinha de graça e eles lhe dão uma passagem pra cobrir algum evento da empresa na Indonésia onde são fabricadas algumas embarcações da Petrobras.

    Publicado por Claudemir Freire | 26/02/2010, 6:55 pm
  15. “A Petrobras também teria deixado a entender que gostaria de ver um piloto brasileiro ligado à Lotus em 2011, embora não seja um fator determinante para a parceria.”

    Nunca foi nos tempos de Williams; embora Bruno Junqueira tenha sido piloto de testes, assim como o Pizzonia, que chegou a correr em algumas provas.

    O interessante é que a Petrobras teve uma equipe na F-3000, inclusive os dois pilotos de testes da Williams saíram de lá. Mas não foi nem de longe o que a Elf havia feito na época de ouro dos franceses na categoria, de onde derivou o Alain Prost (único que ganhou títulos).

    Publicado por Vitor, o de Recife | 26/02/2010, 7:12 pm
  16. Quando vi pela primeira vez o novo carro da Lotus, minha reação foi saber se a Petrobras iria patrocinar um carro pintado com suas cores.
    A Lotus, parecer ser uma equipe com um projeto sério, penso que a Petrobras está fazendo uma ótima opção.
    Nunca compreendi porque nenhuma empresa que fabricava refrigerantes sabor Guaraná, não patrocinaram o grande piloto brasileiro Alfredo Guaraná.

    Publicado por Luiz Sergio | 26/02/2010, 7:47 pm
  17. Becken,

    Eu leio diariamente a coluna do Lauro Jardim e posso afirmar que ele “acerta a maioria”.

    E olha que ele é um colunista “só de furos”, totalmente exposto a cometer muitos erros, que reintero pouco acontecem.

    Pode não acontecer o patrocínio da Petrobrás, mas acho que a chance é boa.

    Um abraço,

    Sirlan Pedrosa

    Publicado por Sirlan Pedrosa | 26/02/2010, 7:49 pm
  18. Para acabar com a idéias de que a Red Bull está querendo carregar o nome da Petrobras nos seus carro dêem uma olhada nisso.

    Acho que está escrito Total na asa dianteira !

    O cara não se dá o trabalho de olhar uma foto do carro e já sai falando bobagens.

    Becken, uma sugestão de post que seria tecnicamente muito interessante.

    Gasolina dos carros de F1.

    Porque ?

    A Mercedes está usando Petronas e a Mclaren usa Exxon, uma das duas terá melhor desempenho por conseguir melhor octanagem de deu produto.
    E isso pode acontecer também com os motores Ferrari e Cosworth a depender do fabricante da gasolina o carro pode render mais e também economizar mais.

    Li que o problema da Ferrari sobre o gasto de combustível tinha sido solucionado em conjunto com a Shell, isso me passa a idéia que a Mclaren pode ter sensível vantagem sobre a Mercedes pelo trabalho de longa data da Exxon.

    Publicado por Claudemir Freire | 26/02/2010, 9:26 pm
  19. Boa Claudemir,

    Até perguntei alguns posts atrás, quem alimentaria os Cosworth.
    Qual o combustível da Virgin?

    A tal da BP, petroleira inglesa nunca investiu na F1?

    Será que a Campos procurará soluções “caseiras”? Tipo procuar a Repsol?

    Um post sobre o combustível seria uma ótima mesmo.

    Ffigueiredo

    Publicado por Ffigueiredo | 26/02/2010, 10:13 pm
  20. Becken, a Petrobrás é uma sociedade de economia mista e como tal pode patrocinar sim atletas(Piloto de F1 é atleta? F1 é esporte?).
    Não existe exigência de licitação para tal espécie de contrato.
    Outra grande sociedade de economia mista q temos é o BB q, como sabemos, patrocina atletas(O Guga talvez tenha sido o mais famoso deles).
    No entanto, não faz parte da política da empresa(Petrobrás) o patrocínio a piloto de competição e atletas individualmente. http://www2.petrobras.com.br/Esporte/portugues/diretrizes/index.asp
    Abs

    Publicado por Leandro Magno | 26/02/2010, 10:36 pm
  21. Fernando,

    A BP é uma das maiores empresas do ramo no mundo e dona da marca de óleos Castrol.

    Talvez seja uma das companhias de petróleo com mais história de envolvimento com a F1. É muito comum em fotos de corridas da década de 60 vermos grandes painéis com o escudo verde que era a marca da empresa.

    Um abração,

    Sirlan Pedrosa

    Publicado por Sirlan Pedrosa | 26/02/2010, 11:06 pm
  22. Pois é Sirlan, não me recordava da Castrol na F1.

    Outra coisa, quem alimenta a Lotus e a Williams hoje?
    Eles já tem um fornecedor de combustível, por quê este fornecedor que eles já tem não os patrocina?
    No mercado das petroleiras existem poucas opções de fornecedores capazes de fornecer combustível à F1, então deve ser uma posição interessante para a imagem destas empresas.
    Estranho tanto a Lotus, como a Virgin, e até a Campos, não ter nenhum contrato com fornecedor de combustível, afinal são projetos novos, mas e a Williams? É uma equipe vencedora.

    Outra coisa, com quem a Cosworth trabalhou no desenvolvimento do motor? Imagino que o nível de octanagem de combustível é parecido entre os combustíveis, mas a Cosworth deve ter trabalhado a confiabilidade e precisão de consumo com base em uma gasolina específica, que deveria ser a gasolina que todas as três (quatro?) equipes utilizam.

    Fernando

    Publicado por Ffigueiredo | 26/02/2010, 11:45 pm
  23. Vindo da Veja, é suspeito. Pode ser mais uma artimanha para criticarem o tal “Lulismo”…

    Publicado por Ylan Marcel | 27/02/2010, 2:02 am
  24. Becken, Petrobras e Lotus pra este ano… é improvável demais. Impossível, eu acho!

    Vejamos.
    A Petrobras entrou na F1 em 1999 pela Williams, campeã do mundo de 1997 e quando ainda podia ser considerada uma das “Big Three”.
    Mesmo a Willimas estando em fase de transição, a petrolífera brasileira certamente pretendia vitórias e títulos num futuro próximo – talvez até, já contando com os motores BMW no ano seguinte. Não deu mas, até que vieram algumas vitórias…
    Em 2009, daria um grande passo, fornecendo combustíveis e finalmente óleos lubrificantes para a Honda, afinal uma montadora grande, com
    dinheiro para investir e ainda com Ross Brawn no comando.

    Somando tudo, a Petrobras acumulou dez anos de experiência na F1, 10 vitórias, sei lá quantos pódiuns e mais, hoje é a 8ª maior empresa do mundo em valor de mercado. Então, será que uma empresa com este perfil iria apostar – não apenas a sua imagem mas, o seu anseio de pesquisa e desenvolvimento em tecnologia de alta performance – numa equipe que está começando do nada, com dinheiro contado e cuja única ligação com competição automobilística é um nome, um “título” comprado? Com todo respeito ao esforço da nova Lotus mas, é muita areia pra um caminhãozinho que ninguém sabe se anda…

    Outro ponto, é possível produzir um combustível competitivo adaptado a essa nova realidae da F1, assim, de uma hora pra outra? Ah! -“Somente em meados do ano, o novo combustível será usado” – afirma o tal Lauro Jardim. Sei… vão testar quando? E o fornecedor do primeiro semestre – o que será chutado – vai ser quem? Um posto de gasolina?

    “Acaba de ser fechado contrato entre a estatal e a lendária escuderia…” Quando? Quem representou as partes?

    “Além de exibir sua marca nos carros da Lotus,…
    Os carros da Lotus serão integralmente pintados de verde e amarelo.”

    Danou-se! Isso é um jornalista ou é um atirador de facas?

    Sinceramente, do jeito que o homem da “Veja” contou o causo, eu posso supor que ele somente ouviu de longe que o verde e amarelo ia voltar pra Formula 1 e seguindo a prática editorial daquela revista, pitacou, jurando de pés juntos, sem checar os mínimos dados e sem se preocupar em delinear claramente fatos de impressões.

    É bem possível que a Petrobras queira voltar à F1 e a matéria do “Lance” até que tem nexo e argumento mas, eu penso que se a porta
    de entrada é a Cosworth, só a Willimas faz sentido. Pela importância – o currículo – e pelo histórico de trabalho conjunto da equipe e da
    petrolífera. E lógico, também porque a Williams ainda não pode prescindir de “passar o chapéu”.

    Publicado por Claudio Tavaresdemello | 27/02/2010, 4:30 am
  25. Ancelmo novamente… Oo

    De volta à pista [link]
    Agora é oficial. A Petrobras está de volta à Fórmula-1.
    A partir do GP de Barcelona, dia 9 de maio, os carros da Lotus, que este ano adotaram o verde e o amarelo como suas cores, vai trazer a marca da estatal brasileira. O patrocínio é de uns US$ 9 milhões.

    Publicado por Thiago Leopoldo | 16/03/2010, 2:04 pm

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: