//
você está lendo...
CIRCUITOS

Branson responde à Ferrari

IMAGEM: Virgin Racing/Divulgação

Enquanto o clima gradativamente melhora em Barcelona, Richard Branson, CEO da equipe Virgin [ou será “Manor”?] e de mais todo um império homônimo à equipe, responde sensatamente ao inflamado comunicado publicado pela Ferrari no início dessa semana:

Acho um pouco triste ler estas palavras da Ferrari. A F1 precisa de novas equipes, e a Ferrari venceu a batalha ao certificar-se de que as novas equipes ficassem de mãos atadas [referência a liberdade orçamento das grandes equipes].

Para os testes, construímos um carro novo e teremos exatamente o mesmo tempo de treinos que Brawn [Mercedes] e Ferrari e outros, que tiveram anos e anos e anos para levar o seus carro a um certo estágio [de desenvolvimento]. Não estamos reclamando a respeito, e estamos felizes assim, mas a Ferrari deveria dar boas-vindas às novas equipes porque elas tornarão o esporte mais emocionante.

No fim, acho que as novas equipes não darão moleza para a Ferrari, o que acho tornará o esporte mais excitante — particularmente a medida que os orçamentos tornem-se mais realistas.

— Richard Branson, CEO da Virgin Racing

Muito sensatas as palavras de Branson, um homem que pode encarar de frente e na mesma altura a bem sucedida Ferrari, mas eu fiquei surpreso de ver como o comunicado vindo de Maranello foi mal interpretado de forma geral.Há muito mais sutileza nas entrelinhas do que o feroz ataque a Max Mosley e às novas equipes deixou transparecer.

Há gente, por exemplo, sugerindo que o maior interesse da Scuderia jaz no dinheiro que a FOM distribui pelos, mas a pergunta retórica que deveria ser feita é: qual o “core business” — o principal negócio — da Ferrari? Sim, vender carros e não competir.

Competir na F1 é o grande anúncio da Ferrari, o show case onde a companhia projeta o valor inestimável de sua marca. Quanto mais marcas de prestígio duelando nessa arena com a equipe italiana, mais o “core business” da companhia — seus carros esportivos — será valorizado. Contrariamente, quanto mais equipes sem “pedigree” no negócio, menor valor de marca a F1 projetará para o público de forma geral.

Esta é, em suma, a essência do ataque da Ferrari a Max Mosley e o que está por trás da dura depreciação às novas e humildes equipes feita pelos homens de Maranello.

Discussão

10 comentários sobre “Branson responde à Ferrari

  1. Bom dia Becken :-)

    Saiu uma analise otima sobre o porque do comunicado da Ferrai. So nao lembro onde li. Vou procurar, se achar eu coloco aqui.

    No Ultimo paragrafo do comunicaco, fiquei com a impressao que é um texto seu, será que nao esta grafado no lugar errado um texto seu, ao inves do Branson ?

    Publicado por Claudio CArdoso | 27/02/2010, 11:17 am
  2. Sem dúvida Becken, pra Ferrari é muito mais jogo enfrentar e bater Toyota, BMW, Honda e Renault, do q Virgin, Campos, USF1, STR etc. Cada um puxa o salmão pro seu lado. É um ninho de cobra duca essa F-1. Da pra entender as duas partes, o LDM deveria se contentar pq a Ferrari vai competir contra a Mercedes, uma grande rival no campo dos super esportivos, q é sua principal imagem, do q contra a Brawn e ainda McLaren e Williams fortes, como a grande F-1 dos 80’s, além da Red Bull uma marca de alcance mundial, presente em todas as competições de carros do planeta.

    Já o Branson, q é a cara do Sabretooth, inimigo do Wolverine, se defende alegando q seu direito de disputar o mundial é legítimo, já q eles estão jogando dentro das regras das grandes, onde a limitação de testes os atingem muito mais.

    Como dizia Tim Maia, tudo é tudo e nada é nada…

    Publicado por Alex-Ctba | 27/02/2010, 12:33 pm
  3. Esta sua leitura, que parece ser a majoritária, sempre me soa profundamente ignorante da história e supervaloriza a última decada. Nem falo num sentido nostalgico, mas pratico mesmo. Durante um longo periodo (84 a 96), Ferrari jamais foi um contender sério e isto nunca afetou a imagem dos seus carros esportivos. Neste periodo as forças dominantes eram McLaren e Williams (que vale lembrar tinham menos tradição que Brabham e Lotus quando a seca começou) e eu diria que foi positivo para os negócios da Ferrari que a percepção era de quem a dominou foram elas e não Honda e Renault (as montadores dominantes do periodo). Para quem tem como negócio principal vender super esportivos o que é melhor ser batida por equipes identificadas exclusivamente com produzir carros de corrida ou por uma montadora responsável pelo Clio? Renault, Toyota e Honda são nomes conhecidos, mas eles estão longe de agregar o glamour que os advogados de defesa da Ferrari sugerem. E se está é a maior preocupação do Luca, o grande adversário dele é o anão e seu desejo de levar a categoria para quem paga mais, se algo atrapalha a imagem da categoria é correr no Bahrain no lugar de França ou EUA e não o Trulli andando 3 segundos mais que o Alonso.

    Publicado por Filipe Furtado | 27/02/2010, 3:00 pm
  4. Esse chilique de Montezemolo deve causar um grande mal-estar no ambiente esportivo.
    Competição automobilística – que é a razão de ser da F1 para o público afim, fanático ou não – se dá entre pilotos e equipes, não necessariamente entre marcas.

    Se em nome da categoria ele criticasse Max Mosley por causa do processo de seleção das novas equipes, seria digno de aplauso.

    Entretanto, Montezemolo prefere deixar de lado a origem da Ferrari, que um dia já foi como a Lotus de Colin Chapman – que também já construía e vendia seus carrinhos.
    O que vale, então, a Williams? E a Mclaren que só agora se aventura no ramo de construtores?

    Tá, tudo bem, não vamos ser românticos… A F1 “também” é um negócio e Montezemolo gostaria de estar se compararando com as grandes
    montadoras pra elevar o valor da marca dos carros Ferrari. Ele quer vender bem os seus carros, ok!
    Pois bem, se a F1 é um negócio, a nova Lotus também quer agregar valor a sua marca e vender bem os seus carros. Sendo a F1 um negócio, a Virgin também deseja agregar valor a sua marca e vender bem, seja lá o que for. Como já fez a Benetton, como anda fazendo a Red Bull…

    E aí? O que realmente quer Il capo da Ferrari?
    Estaria o grupo Ferrari sofrendo uma queda brutal nas suas vendas? Ou Montezemolo (e o grupo Ferrari) está marcando terreno para tornar-se Il capo di tutti capi, minando Eclestone e garantindo pra si o melhor da receita da F1?

    De qualquer forma, é legal ver Branson peitando il capo… vamos ver se o galego tem bala na agulha ou muitas ações no mercado.

    Publicado por Claudio Tavaresdemello | 27/02/2010, 3:03 pm
  5. Bem colocado, Filipe!

    “Nem falo num sentido nostalgico, mas pratico mesmo… Para quem tem como negócio principal vender super esportivos o que é melhor ser batida por equipes identificadas exclusivamente com produzir carros de corrida ou por uma montadora responsável pelo Clio?”

    Publicado por Claudio Tavaresdemello | 27/02/2010, 3:12 pm
  6. Eu COncordo com o Becken.

    Acho que a grande Cruzada que esta sendo liderada pelo Montezemolo é outra.. A Grande questao é que em 2012 o pacto acaba. A unica coisa que da poder ao Bernie Eclestone é que ele tem o direito de imagem das corridas e mais nada.

    Voces ja repararam, que ate o momento nenhum equipe grande se pronunciou ao contrario da Ferrari. Ta na cara que eles estao todos juntos no mesmo barco.

    E Realmente o que esta para acontecer, é a retomada do poder da categoria as equipes. A Fota é a prova disso, hoje se deram conta que nao precisam mais se curvar as maluquices que foram impostas ao longo dos anos por Max Mosley, e de nenhum outro que possa estar em seu lugar.

    Afinal quem faz o show ?

    QUem é que gasta a grana para estar la ?

    Sao eles. Nao precisam de ninguem inventando regras em que eles sejam obrigados a gastar mais dinheiro, pq alguem quer.

    A sim dinheiro. Bem quanto a isso, voces acham justo os caras gastarem dinheiro pra diabo na categora e a maior parte do bolo ficar para alguem que nao gasta com nada ?

    Esse é o motivo do comunicado da Ferrari e das equipes que nao apareceram. Equipes pequenas e que devem favor a Bernie, sao as equipes que precisam do Berni, e logo se a cotegoria estiver na mao dele, elas ficam sem força para um eventual racha.

    Publicado por Claudio CArdoso | 27/02/2010, 4:33 pm
  7. E outra coisa, todas essas que a Ferrari atacou, são votos do Bernie e também da FIA dentro da FOTA. Se ocorrer outro racha, o Luca já sabe que já terá mais 3 ou 4 equipes que votará segundo as vontades do Bernie.

    Publicado por Ffigueiredo | 27/02/2010, 5:21 pm
  8. Claro, que a disputa é pelo controle da F1.
    E é legítimo que quem faça o show receba mais e até mais do que quem gerencia e é certo que o modelo de Bernie já ultrapassou o limite do bom senso.
    Sim, é Bernie quem elege o presidente da FIA.
    Mas, também não é prejudicial pra categoria ficar sob o comando de duas ou três equipes? Afinal “quem parte e reparte” quer ficar com a melhor parte. Do ponto de vista esportivo, onde vai estar a insenção que possa, eventualmente, provocar ou estimular a ascensão das outras forças?

    É complicado…

    Publicado por Claudio Tavaresdemello | 27/02/2010, 7:50 pm
  9. O que a Ferrari não quer compreender que ela é a unica grande fabrica a permanecer nos anos bons e também nos anos difíceis na F1, as outras fabricas só querem permanecer enquanto estão no topo.
    Assim mesmo será que a Ferrari conseguiria fazer um carro competitivo sem um orçamento astronômico?
    A primeira grande fase da fabrica Honda cedendo motores, com seus milhares de engenheiros e técnicos, foi totalmente ofuscada quando a fabrica Renault conseguiu fazer um motor melhor com uma quantidade mínima de engenheiros e técnicos, a fabrica Honda com uma desculpa qualquer, colocou o rabinho entre as pernas e foi embora.

    Publicado por Luiz Sergio | 27/02/2010, 11:48 pm
  10. A Ferrari deveria ficar só na GT3 então…o Luca é muito abusado e mal acostumado aos tempos de Schumi / Todt na sua scuderia.

    Há um bom par de anos ele vem sendo envergonhado na F1, não por outros times, mas pela própria Ferrari que não conseguiu superar a saída do francês e patina a olhos vistos na gestão da equipe durante a temporada.

    Este ano não sei se será diferente e aí é bom já ir tendo um outro alvo para desviar os olhos da mídia do campeonato.

    Publicado por Will | 01/03/2010, 11:20 am

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: