//
você está lendo...
ARTIGOS

Notícias hoje: 11/03/2010 – O comissário Prost e mais sobre a asa da McLaren

IMAGEM: Mercedes GP/Divulgação — A FOTO DO DIA

Abaixo, uma breve coletânea do que andei lendo e vendo de mais bacana sobre a F1 hoje nessa véspera de abertura de temporada.

Prost auxilia FIA a tomar decisões de corrida

Há muita gente criticando Jean Todt, acusando-o de certa inanição na presidência da FIA, mas esse final de semana será a primeira vez que uma das medidas de Todt — oferecer mais credibilidade às decisões dos comissários em pista — será efetivamente posta em prática.

Alain Prost será o representante dos pilotos na junta de comissários que fiscalizará as ações em pista nesse final de semana. Sua experiência dará um viés mais técnico — e certamente muito mais credibilidade — às análises e posteriores veredictos dos comissários que tanto foram criticados nos últimos anos.

Sai, portanto, o lobbista Alan Donnely e entra Prost, um gigante do automobilismo.

Definitivamente, saímos ganhando.

LINK: http://bit.ly/98nx6E

Bruno Senna fala da expectativa para a estréia no Bahrein (áudio)

McLaren orgulhosa de inovação técnica

É muito provável que a “over” discutida asa traseira da McLaren — o principal tema de debate hoje no Bahrein — nem seja uma arma capaz de parar as favoritíssimas Red Bull e Ferrari na luta pela vitória nesse final de semana. Mas o fato é que a inventividade e inovação de todo o sistema desenvolvido pela equipe já é motivo de orgulho para os homens de Woking.

Falando para a Autosport, Martin Whitmarsh, Chefe da McLaren, não espera que nenhuma outra equipe proteste o sistema, mas que haja uma corrida para assimilação do sistema nos outros carros.

A grande dificuldade é que os monocoques esse ano fora homologados, o que sugere que não poderão ter mudanças tão significativas quanta as que o duto no MP4-25 pediriam.

Ele falou mais e você pode ler lá na Autosport:

LINK: http://bit.ly/9Yx3Sz

Ao invés de portesto, Red Bull escolhe copiar McLaren

Se vocês lerem a entrevista do Chefe da McLaren Martin Whitmarsh, verá que ele sugere que nenhuma equipe conseguirá copiar de imediato o conjunto aerodinâmico da asa traseira ou mesmo protestá-lo porque, simplesmente, ninguém ainda “realizou” como ele funciona.

Talvez por isso o Chefe de Equipe da Red Bull, Christan Horner — que pareceu um pouco irritadinho após a inspeçção da FIA — não veja alternativa senão partir para “o desenvovolvimento de sua própria versão” do sistema.

LINK: http://bit.ly/aHphsN

Alonso admite: ‘Schumacher é o melhor piloto da História’

Vocês lembram bem o porquê daquele site Espanhol mandar Felipe Massa calar-se? Se ninguém se recorda, foi simplesmente porque Felipe, vendo Schumacher de volta ao grid em 2010, lhe rendeu o tributo de “melhor entre os pares.”

Hoje, com essa admissão acima [no subtítulo] feita por Fernando Alonso na entrevista coletiva — que diga-se foi um gesto de simples cavalheirismo — talvez aquele jornalista tenha finalmente tomado um merecido ovo na cara.

A frase do dia para um entendiado Schumacher

Na mesma coletiva, Jenson Button e seu já conhecido senso de humor — bem inglês por sinal — produziu essa pérola:

“É muito bom ter Michael de volta porque posso me sentir jovem outra vez.”

Curioso que na mesma coletiva, Schumacher pareceu, pelas respostas curtas e sem imaginação, visivelmente entediado.

Discussão

19 comentários sobre “Notícias hoje: 11/03/2010 – O comissário Prost e mais sobre a asa da McLaren

  1. Boa a anedota do Button!!

    Publicado por Alexandre Gomes | 11/03/2010, 9:26 pm
  2. Lindo mesmo o C29, lembra uma orca, que são animais fantásticos.

    Se o Schumi e Hamilton querem ser o 007, na guerra entre o império britânico e contra a Alemanha. O Koba pode ser o mito maori do primeiro homem que vem do céu sobre uma baleia orca. Um sinal? Se eu acreditasse…

    Mas… Go, Koba!

    “Se a sorte está contigo, para que pressa? Se a sorte está contra ti, para que pressa?”
    Provérbio Afegão.

    Publicado por Alexandre Gomes | 11/03/2010, 9:52 pm
  3. Alexandre – eu achei tão bacana esses dois vídeos da Sauber — e concordo que o carro realmente é bonito — que fiz um post só para eles.

    Publicado por Becken Lima | 11/03/2010, 9:55 pm
  4. Becken,

    Esse não existir, do Schumacher, essa cara de enfado, dá até arrepios.
    Ser craque é sinônimo de ser imprevisivelmente mortal. É preciso estar 100% atento para não perder o bote que não sabemos de onde virá, nem quando virá – mas virá.

    É visível a materialização do desespero em “gritos” inúteis para exortar o fantasma.

    Não adianta acender a luz. Ele está lá e vai ficar.

    Abs.

    Publicado por Anselmo Coyote | 11/03/2010, 10:07 pm
  5. O campeão de 2010 está nessa foto com toda certeza.

    Publicado por Cosmo Seinfeld | 11/03/2010, 10:22 pm
  6. Becken, Claudemir e demais colegas do Blog,

    Li muita coisa sobre esse negócio da asa da Mclarem e do “snockel” e pode ter certeza que muita coisa falada e escrita não fecha e não faz o menor sentido lógico.

    Parece muito com as bobagens que foram escritas quando do difusor suplo. É chute tentando acertar.

    Sigam meu raciocínio e vejam se estou errado :

    1. O efeito da asa “inovadora” é diminuir o arrasto nas retas (no primeiro treino em Valência o Barrichello já falava que não conseguia acompanhar a Mclarem e nós achávamos que o problema era o motor cosworth);

    2. A forma encontrada no passado para conseguir isso era uma asa que “fletia” em alta velocidade. A Ferrari usou e foi foi proibido, e para isso a FIA criou um teste de torção da asa com pesos e colocou calços nas laterais das lâminas;

    3. O regulamento não permite que exista peça móvel através de acionamento mecânico ou comando eletrônico.

    4. As asas pelo regulamento só podem ter 2 elementos;

    5. Em 2009 a BMW criou uma asa com um terceiro elemento de 15cm de largura, usando uma brecha do regulamento;

    6. A tal barbatana de tubarão da Mclarem tem um canal que leva o ar frontal diretamente para o tal terceiro elemento legal da asa, conseguindo de alguma forma influenciar os elementos e reduzir o arrasto. Isso tem um efeito positivo nas retas, porém tira dow force nas curvas;

    7. Para usar esse mecanismo apenas nas retas, o canal dentro da barbatana tem uma “borboleta” que abre e fecha, estando o carro numa reta ou numa curva respectivamente;

    8. Como pelo regulamento não pode haver peças móveis controladas mecânica ou eletrônicamente, a Mclarem usa o ar que entra pelo “snockel” como elemento para executar o movimento da “borboleta” que está na barbatana de tubarão;

    9. O movimento de abre/fecha precisa ser acionado pelo piloto, e para facilitar o uso foi associado ao movimento da perna esquerda, que normalmente freia para entrar nas curvas.

    Não li nada disso junto dessa forma em nenhum lugar, mas é a forma lógica que consegui para entender essa polêmica e a ligação do “snockel” com o canal na barbatana de tubarão e com a asa e seu terceiro elemento.

    Dizer que o ar que entra pelo snockel vai para asa gerar dow force para mim não faz nenhum sentido. Porque isso ? Repito, não faz o menor sentido.

    O ar que vem e entra pelo tal snockel é o mesmo que passa um pouco acima e vai direto para a asa. Não faz sentido canaliza-lo dentro de um cockpit, passar por quase toda parte superior do carro e jogá-lo na asa, se isso pode ser feito diretamente.

    Um canal dentro da barbatana sendo usado como um venturi para acelerar o ar e criar a tal flexão na asa parece uma coisa lógica. Isso faz sentido.

    Gostaria de ouvir a opinião de vocês e de outros colegas do blog sobre isso.

    Um abraço,

    Sirlan Pedrosa

    Publicado por Sirlan Pedrosa | 11/03/2010, 10:32 pm
  7. Sirlan e amigos.

    Saiu uma Explicaçção detalhada pelo James Allen. Estou copiando traduzida por Google Translator, da para entender numa boa.

    Segundo a explicação detalhada dele, o buraco é tao mais embaixo que ninguem pode copiar para esse ano.

    utro ponto importante falar decorrentes dos testes de inverno é asa traseira da McLaren, que parece ter a capacidade de redução de resistência nas rectas, dando ao carro velocidade extra adicional. Em Barcelona, a McLaren foi 5 kmh mais rápido através da armadilha da velocidade do que o seu rival mais próximo.

    Isto é conseguido pela passagem de ar através de uma fenda na asa traseira (a linha preta na parte inferior da asa na foto à esquerda), que neutraliza a asa traseira, reduzindo o arrasto. Tal dispositivo irá também reduzir a pressão aerodinâmica global, o que seria uma coisa ruim. Então, ligá-lo de fora e, quando necessário nas rectas é a chave. É aí que a questão da legalidade vem dentro

    O modo como funciona é esta: há um buraco na cabine de um duto por onde o ar passa. O motorista decide quando abri-lo e ele o faz com o joelho. Air atira através do duto na tampa do motor sharkfin e sai através de uma fenda na parte inferior da asa traseira. Isso faz com que o fluxo de ar sob a asa de separar a asa e isso reduz o arrasto.
    Charlie Whiting da FIA inspecionou a asa na quinta-feira e está convicta de que é legal, por isso é algo que algumas outras equipes que não se esqueça de copiar. Eles estão todos trabalhando em suas próprias versões dele agora mesmo. O problema é que eles não podem fazer um buraco na cabine porque as regras dizem que você não pode modificar a célula de segurança uma vez que a temporada começou.
    Coroas, da Ferrari, roda
    Na mesma linha, a Ferrari também caiu em uma idéia inteligente que ninguém consegue copiar totalmente. Apêndices aerodinâmicos ligados às rodas, que ajudam a limpar o fluxo de ar, foram proibidos. Mas a Ferrari apareceu com uma idéia engenhosa, envolvendo duas coroas sobre as rodas, que fazem parte do trabalho da fiação costumava fazer.

    Eles são legais porque são feitos do mesmo material como a roda. Ferrari só colocá-los no carro na prova final de Barcelona. E o pulo do gato é que, como as rodas são um item homologados (junto com a célula de segurança e as estruturas de acidente), os outros times não pode mudar as rodas para adoptar esta solução!

    Publicado por Claudio CArdoso | 11/03/2010, 11:07 pm
  8. Cláudio,

    Eu entendi o que o James Allen falou.

    A questão é : Esse ar que flui pelo snockel até a asa traseira é suficiente para gerar esse efeito na asa ?

    Eu continuo achando uma coisa meio sem lógica. Acho que o ar do snockel vai abrir ou fechar algum duto dentro da barbatana. Esse duto sim sendo o responsável pelo impacto junto a asa.

    Inclusive a entrada de ar superior da Mclarem apresenta uma divisão, e nos testes de Valência ou Jerez andou inclusive com a parte superior fechada.

    Entretanto esses carros são tão sofisticados que pode ser que seja dessa forma mesmo que o James Allen falou.

    Só que enquanto eu não tiver uma resposta lógica, fico com minhas dúvidas, afinal esses jornalistas em geral entendem tanto de aerodinâmica quanto eu de gramática japonesa…

    Um abraço,

    Sirlan Pedrosa

    Publicado por Sirlan Pedrosa | 11/03/2010, 11:35 pm
  9. Claúdio,

    A divisão que falei na entrada de ar da Mclaren pode ser vista aqui :

    http://f1.gpupdate.net/en/photolarge.php?photoID=147434&catID=1102-4456

    Um abraço,

    Sirlan Pedrosa

    Publicado por Sirlan Pedrosa | 12/03/2010, 12:00 am
  10. Sirlan – Na verdade, ninguém, definitivamente, sabe como a traquitana funciona — a não ser a FIA e a própria McLaren, portanto, fique tranquilo.

    A Melhor explicação, eu diria até a melhor SUPOSIÇÃO de como todo o sistema funciona é de Craig Scarborough, consultor técnico da Autosport que vem cobrindo o tema de forma brilhante:

    How its done…

    The snorkel on the top of the chassis feeds a duct passing down inside the footwell, its position is some where around the pedals, most probably it runs down alongside the brake pedal\footrest so as to avoid the mandatory padding inside the cockpit. This duct has a ‘hole’ in it to ‘cool’ the driver inside the cockpit. However the duct continues inside the chassis, past the fuel tank and up and over the airbox (probably passing by the hatch fitted high up on the engine cover), then through the shark fin and into the rear wing flap.

    When the driver places his foot\leg over the ‘hole’ the flow is diverted into the rest of the duct and this feeds the slot on the rear wing flap. There is enough airflow through the convoluted duct to disrupt the airflow under the rear of the wing, effectively breaking up the flow around the wing. This is what F1 aerodynamicists term a ’stalled’ condition, although this is different to the term ’stall’ used in aeronautical aerodynamics. In this ’stalled’ state, the strong spiralling flows coming off the wing, that lead to the huge drag penalty a highly loaded F1 wing incurs, break up. With out these flows and their resulting drag penalty, the car is able to get to a higher top speed, by around 3-4kph.

    When the driver is ready to brake for the next corner, he releases foot\leg and the airflow passes back into the cockpit and the rear wing flow reattaches, creating downforce and its attendant drag. In this format the car can lap normally with its wings delivering maximum downforce.

    This set up is legal as the rear wing slot in itself is legal (used by McLaren, BMW Sauber last year). There is no specific working to prevent wing stalling in the rules. There are no moving aerodynamic parts, except perhaps for the drivers foot\leg. It’s a piece of interpretive genius, but perhaps as far removed from the spirit of the rules as you can get.

    Publicado por Becken Lima | 12/03/2010, 12:08 am
  11. Amigo….eu não leio inglês….risos

    Publicado por Sirlan Pedrosa | 12/03/2010, 12:11 am
  12. Becken,

    Desculpe…eu li essa explicação…através do google tradutor.

    Eu leio esse blog sistematicamente.

    Se esse é a melhor explicação…fico com minha convicção…risos

    Um abraço,

    Sirlan Pedrosa

    Publicado por Sirlan Pedrosa | 12/03/2010, 12:14 am
  13. Becken,

    Tem um comentarista lá no blog do Craig Scarborough, mandou inclusive esse desenho :

    Não seria uma “borboleta” mecânica, mas o conceito é exatemente o mesmo.

    Um abraço,

    Sirlan Pedrosa

    Publicado por Sirlan Pedrosa | 12/03/2010, 12:54 am
  14. ESTA COMPLICADO DE COMENTAR..
    creio que o Akismet esta bloqueando bastante…
    o que se pode fazer a respeito?

    abraço;Tomás

    Publicado por tomasf1 | 12/03/2010, 1:19 am
  15. Bom, agora consegui.

    Publicado por tomasf1 | 12/03/2010, 1:20 am
  16. Lima

    que é que o Massa fazia lá se era conferência para Ex ou Campeão do Mundo ele se acha Campeão?

    Publicado por SennaCeccotto | 12/03/2010, 7:49 am
  17. Sirlan.

    Fazendo um pensamento mais critico agora, e nao apenas lendo como eu estava, pensei o seguinte:

    Se funciona pelo fluxo de ar, e abre aquele buraco no aerofolio, a Aleta entao é Flexivel.

    Publicado por Claudio CArdoso | 12/03/2010, 12:08 pm
  18. Sirlan. Agora saiu um entrevista de mais um que tb acha a mesma coisa.

    Mike Gascoyne, diretor-técnico da Lotus, declarou que desconfia da legalidade das asas da McLaren, recentemente aprovadas pela FIA após as suspeitas de irregularidade levantadas pela Red Bull. O dirigente disse também que considera a aprovação uma perda de tempo e dinheiro.

    Para Gascoyne, a regularização vai fazer com que todas as equipes se adaptem à peça, fazendo elas gastem mais dinheiro para, no fim, não ter nenhum resultado prático. “Ainda acredito que seja uma peça móvel, pois a configuração do carro está mudando. [a aerodinâmica] Não é a mesma o tempo todo, então isso é um apêndice móvel”, protestou.

    “Nós sabemos como as regras são, mas essa é uma interpretação muito tola”, continuou Gascoyne. “Todo mundo fará isso, ninguém tirará vantagem, e nós gastaremos mais dinheiro. E para quê? Isso vai melhorar dois ou três décimos, mas todos vão usar essa peça, então é uma tremenda perda de tempo”, completou.

    Ross Brawn, chefe da Mercedes, disse que a escuderia alemã vai adequar suas asas traseiras de acordo com a que é usada pela McLaren. O inglês afirmou que já sabia dessa nova asa, que tem um pequeno espaço por onde o ar passa e que dá mais velocidade nas retas.

    “Teremos de fazer nossa própria versão, agora. A situação não estava clara, mas com a liberação da FIA, todos nós temos de correr nessa direção”, disse Brawn, que foi campeão mundial no ano passado com sua equipe própria – posteriormente vendida à Mercedes – que também teve seus carros contestados por outras equipes e aprovados pela FIA por conta do polêmico difusor duplo.

    O dirigente acredita que agora a Mercedes pode desenvolver o carro, pois o time já entendeu o conceito das asas da McLaren. “Tínhamos uma ideia de que eles estavam fazendo isso. Nós só não tínhamos entendido como eles fizeram. Mas agora já sabemos”, revelou.

    Publicado por Claudio CArdoso | 12/03/2010, 12:31 pm
  19. Sobre a foto, e a “licencinha” do Massa.

    Tão dizendo que o campeão “sai” daquela foto.

    =D

    Publicado por Alexandre Gomes | 12/03/2010, 11:05 pm

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: