//
você está lendo...
ARTIGOS

Preview GP da Austrália — estratégia

IMAGEM: Mercedes GP/Divulgação — A Brawn, que há um ano dominava o fim de semana na Austrália.

Eu imagino que você, assim como eu, teve uma sonora “brochada automobilística” depois da procissão que foi o GP do Bahrein. A não ser pela estupenda ultrapassagem de Alonso em Massa na largada e da solitária e eficiente volta voadora de Vettel nos estertores da qualificação no sábado, o GP do Bahrein ficou devendo — e muito.

Será que a prova em Melbourne, logo mais, será a redenção para uma temporada com essa rara constelação de estrelas a bordo?

O fato é que a pista semi-urbana de Melbourne — travadinha e sem pontos reais de ultrapassagens — contém todos os elementos para repetir o desapontador GP do Bahrein. A vantagem para a corrida passada é que são raras as vezes em que todo o pelotão passa ileso pela primeira curva do Albert Park. Esperem, então, que o “safety car” dê um temperinho no início de corrida, ou mesmo ao longo da prova, oferecendo às equipes mais ousadas e ágeis a oportunidade de mudar seus planos estratégicos ao longo da corrida.

Na transição da classificação para a corrida não esperem surpresas: o desgaste de pneus em Melbourne é de baixo para médio, o que significa que sem incidentes maiores, a estratégia segura será classificar-se com os macios e trocá-los pelos duros no meio da prova — igualzinho como no Bahrein, o que limitará o escopo estratégico em uma corrida sem incidentes.

Em termos de “set up,” o alto nível de downforce exigido pela pista significa que carros sem equilíbrio aerodinâmico podem aproximar-se das ponteiras Ferrari e Red Bull — os carros superiores no Bahrein.

Não será surpresa se uma Force Índia brigar por um pódio e uma McLaren pela vitória. Há rumores de que a equipe de Woking que descobriu o segredinho de Red Bul e Ferrari em como ajustar a altura da suspensão do sábado para o domingo, daí o otimismo de Lewis e Jenson nos últimos dias.

No fim, a batalha mais sangrenta de Melbourne, espera-se, será pela pole-position no sábado. Então, fiquem atentos aos mestres da classificação, eles podem mais uma vez fazer a diferença nesse final de semana.

Dados do circuito de Albert Park

  • Extensão da volta: 5.303km
  • Extensão da corrida: 58 voltas / 307.574km
  • Aceleração total: 65%
  • Pico de velocidade: 303 km/h
  • Trecho mais longo sob aceleraçâo plena: 10s / 735m
  • Desgaste de pneus: médio / baixa
  • Desgaste de freios: Alta
  • Nível de “downforce”: Alta
  • Mudanças de marcha: 60
  • Média de consumo de combustível por volta: 2.630kg/volta
  • Tempo de perda nos boxes: 19.6s

Discussão

34 comentários sobre “Preview GP da Austrália — estratégia

  1. No site da UOL tem a volta virtual no Albert Park com o depoimento do Massa, Senna e Di Grassi. Eles chegam a um consenso q a ultrapassagem é realmente difícil e q é uma pista técnica, fácil de cometer erros e perder tempo. Isso em teoria, na prática, geralmente tem ultrapassagens. A Previsão é de tempo seco, e chuva só talvez durante a corrida no domingo.

    Becken, qual a fonte desse tempo de perda nos boxes de 19,6s ? No site da Williams eles estimam em 17,9 sem troca de pneus. Jogando uma troca de 5 segundos, ficaria em 22,9. A conferir durante a corrida, algo entre 21 e 23 como um tempo bom.

    Publicado por Alex-Ctba | 25/03/2010, 12:10 pm
  2. “Eu imagino que você, assim como eu, teve uma sonora “brochada automobilística” depois da procissão que foi o GP do Bahrein.”

    Mas o Alonso já tem a solução!

    Não somos palhaços isso é um fato. Mas para o Alonso deviamos ir ver o Circo.

    “Estamos na F-1 e não no Cirque du Soleil. Quem quiser ver outro espetáculo, acidentes, o safety-car, chuva, que procure outro esporte. Aqui, estamos no mais alto nível técnico, com os carros mais rápidos, com a maior precisão”, disse o espanhol.

    É eu devia ter dado ouvidos aos que não gostam desse cidadão, ele só precisa de uma vitória e um microfone para se mostrar um idióta por completo, a humildade se foi e agora quer bater até em que faz dele um milionário.

    Publicado por Claudemir Freire | 25/03/2010, 12:11 pm
  3. Becken, qual a fonte desse tempo de perda nos boxes de 19,6s?

    Site da Williams também, mas dados de 2009…

    “Estamos na F-1 e não no Cirque du Soleil. Quem quiser ver outro espetáculo, acidentes, o safety-car, chuva, que procure outro esporte. Aqui, estamos no mais alto nível técnico, com os carros mais rápidos, com a maior precisão”, disse o espanhol.

    Esquisito porque ele foi o primeiro alertar para as corridas tediosas em 2010 depois do Bahrein…

    Publicado por Becken Lima | 25/03/2010, 12:13 pm
  4. Sem comentários, concordo totalmente com a avaliação.

    Talves a Renault seja outra surpresa, a equipe e os “engienes”.

    Publicado por Alexandre Gomes | 25/03/2010, 12:32 pm
  5. Becken;

    isto aqui serve para analisar bem as estratégias, só precisamos saber mais dos carros. Qual é o que tem maior acerto? Difícil saber, mas parece ser o F10.
    Seria interessante se vc adicionar ao seu post, só uma sugestão.
    abraço!

    aqui esta o resultado:

    Vamos então analisar o traçado, parte por parte:

    É interessante que depois das classificações, quando os carros já rodaram na pista, o pó desaparece e vemos que por baixo dele há uma pista suave e dócil com os pneus. Isso tem um valor enorme, já que a preocupação com ele é imensa. Porém este é assunto para depois. O circuito está em um parque temático, com uma pista lisa e rápida e sem curvas de 90 ° que possam “quebrar” a velocidade. A direita da pista temos um lago que deixa a paisagem muito agradável.

    Composta principalmente por várias curvas de velocidade média, com algumas chicanes rápidas, o traçado é um grande “inimigo” dos freios e famoso pelas intervenções no asfalto.

    A pista requer um alto nível de força aerodinâmica em sentido ao solo (a famosa downforce), e a baixa rugosidade da pista permite que as equipes usem pneus médios (macios). As curvas “para baixo” podem ser um problema, e os pneus dianteiros sempre mostram um grande desgastamento, que vai consumindo a borracha. As altas temperaturas são responsáveis por afetar a durabilidade dos compostos.

    Para analisar o circuito, contamos com este importante vídeo com o simulador da Red Bull, a comando de Mark Webber:

    Começando a volta, se acelera até cerca de 310 km/h na parte final da reta dos boxes, antes de freiar e baixar até a 3ª marcha para a primeira curva para a direita, na qual se chega perto dos 135 km/h. Logo depois se segue uma curva a esquerda, na que quase é uma chicane. Se acelera passando pela vértice a cerca de 200 km/h, 4ª marcha.

    Na curta reta que vem depois, o pé continua embaixo até os 300 km/h, subindo de velocidade até baixar aos 80, para uma curva de direita em 2ª marcha.Novamente, esta é seguida quase imediatamente por una curva a esquerda, porém a freada é leve, passando por ela a 145 km/h em 3ª marcha. Continuando, quase não há descanso depois de este trecho, já que se acelera por toda a fase seguinte até uma larga curva a direita, com, novamente, um leve toque sobre os freios ao tempo em que se entra a 215 km/h, em 4ª marcha.

    A reta seguinte é relativamente curta e se chega aos 281 km/h, para reduzir a velocidade em uma curva de 2ª marcha, a 130 km/h. Depois vem uma curva a direita que se passa com força. É aí onde o piloto sofre a maior força G, a cerca de 265 km/h em 5ª marcha. Finalmente se chega aos 285 km/h antes de freiar forte e reducir a apenas 100 km/h para a próxima curva em 2ª marcha a direita.

    Daqui, uma rápida mudança em uma larga curva a esuqerda requer alta concentração, e é om ser cuidadoso já que se entra a aprox. 180 km/h em 3ª marcha. Em seguida uma rápida e bem difícil chicane em 4ª marcha que se começa pela esquerda ou pela dierita a 210 km/h, para subir novamente a 300. A próxima curva é para a direita em 2ª marcha, a 1ª de duas complicadas, onde se freia bem justo, reduzindo a 120 km/h.

    Entre essa e a segunda das duas curvas para a direita, há um breve trecho de aceleração que aumenta a velocidade a 230 km/h para aumentar a 4ª marcha. Logo se reduzem 50 km/h para a curva seguinte, bem apertada a squerda, na qual se acelera até os 245 km/h antes de baixar a 2ª marcha.

    A última curva, quando se chega na reta dos pits, se entra a 150 km/h em 3ª marcha, e uma boa saída nesta curva é essencial para que se consiga um boa velocidade e, obviamente, se possa iniciar outra volta.

    *- O circuito tem uma longitude de 5,303 km, com 58 voltas e uma distância total de 307,574 km.

    *- Recorde de volta: 1:24.125 (Michael Schumacher, Ferrari, 2004)

    Agora, acompanhando o vídeo, curva por curva, os números:

    Curva 1- 145 km/h–3ª marcha- Força G=2.38
    Curva 2-200 km/h–4ª marcha- Força G=2.9
    Curva 3-092 km/h–2ª marcha- Força G=1.76
    Curva 4-145 km/h–3ª marcha- Força G=3.13
    Curva 5-239 km/h–6ª marcha- Força G=4.55
    Curva 6-134 km/h–3ª marcha- Força G=2.9
    Curva 7-186 km/h–4ª marcha- Força G=2.54
    Curva 8-255 km/h–6ª marcha- Força G=2.73
    Curva 9-115 km/h–3ª marcha- Força G=2.38
    Curva 10-251 km/h–6ª marcha- Força G=0.84
    Curva 11-226 km/h–6ª marcha- Força G=4.04
    Curva 12-233 km/h–5ª marcha- Força G=4.52
    Curva 13-138 km/h–3ª marcha- Força G=2.99
    Curva 14-205 km/h–5ª marcha- Força G=3.55
    Curva 15-084 km/h–2ª marcha- Força G=1.88
    Curva 16-180 km/h–4ª marcha- Força G=2.61

    o link do post é esse:
    http://theformula1.wordpress.com/2010/03/25/no-clima-de-melbourne-o-circuito/

    Tomás

    Publicado por tomasf1 | 25/03/2010, 12:38 pm
  6. Considerando (reformulando):

    1.Perda de tempo total no pit: 22 s;
    2. Volta com pneus duros em relação a volta com macios: 3 segundos mais lenta (no Bahrein chegou a 5s);
    3. Tempo médio de volta: 90 s com macio / 93 s com duro;

    Estratégia 1 (estilo Bahrein): 20 voltas com macio (Q3) + 38 voltas com duros -> 1h29min26s

    Estratégia 2 (estilo Will): 23 voltas com macios (Q3) + 10 voltas com duros + 25 voltas com macios: 1h28min23s

    A estratégia 2 seria quase 1 min mais rápida!

    Albert Park não tem pontos de ultrapassagem??? Para pilotos como Hamilton, certamente sim!

    Publicado por Will | 25/03/2010, 1:01 pm
  7. Nesse aspecto, concordo com o Webber. Não me importo tanto coma s ultrapassagens. Afinal, o melhor atualmente faz a pole e, se tiver mesmo o melhor carro, vai andar na frente o tempo todo, oras. O melhor tem que vencer, esse é o meu lema, nem que seja como na época do Schumacher.

    Publicado por Ylan Marcel | 25/03/2010, 1:19 pm
  8. Alguém se arrisca a dizer porque o Massa vai sempre tao mal nesta pista? Até em Mônaco ela esta melhorando.

    Outra coisa é que ele disse que nunca tinha começado um campeonato mas podemos creditar isto ao fato que o campeonato nunca tinha começado em Bahrein. Acho que dependendo do resultado dele me Melborne é que realmente poderemos ver o quanto ele esta evoluindo como piloto.

    Abraços, Pedro

    Publicado por PEDRO BARRIO | 25/03/2010, 1:43 pm
  9. Tem ainda a tal regra dos 55m q o KBK explanou no blog dele e q eu desconhecia. Não sei como vai ser no Albert Park, já q a extensão do Pitlane é uma das mais curtas do calendário, 280m .

    Outras curiosidades, tb tiradas do site da Williams:

    Barrichello é o único piloto q participou de todas as provas em Melbourbne, desde q esse circuito substituiu Adelaide em 1996. Esse Ano ele vai para a 15º largada em Albert Park.

    Dessas 14 provas, 10 vencedores foram campeões mundiais.

    Publicado por Alex-Ctba | 25/03/2010, 1:44 pm
  10. alguem tem mais explicacao em relacao a suspensao de sabado pra domingo?
    o parque e fechado, e e proibido suspensao ativa, entao?!

    Publicado por jaspion | 25/03/2010, 2:03 pm
  11. what ?

    Publicado por Alex-Ctba | 25/03/2010, 2:06 pm
  12. alguem tem mais explicacao em relacao a suspensao de sabado pra domingo?
    o parque e fechado, e e proibido suspensao ativa, entao?!

    O boato é que o ajuste seria feito no primeiro pit stop…

    Publicado por Becken Lima | 25/03/2010, 2:08 pm
  13. “alguem tem mais explicacao em relacao a suspensao de sabado pra domingo?
    o parque e fechado, e e proibido suspensao ativa, entao?!

    O boato é que o ajuste seria feito no primeiro pit stop…”

    entao nao ha vantagem nenhuma na primeira perna de corrida, o q tb supoe q Ferrari e RedBul farao o q3 com macios… certo?

    Publicado por jaspion | 25/03/2010, 2:11 pm
  14. Sobre Alonso:

    “Estamos na F-1 e não no Cirque du Soleil. Quem quiser ver outro espetáculo, acidentes, o safety-car, chuva, que procure outro esporte. Aqui, estamos no mais alto nível técnico, com os carros mais rápidos, com a maior precisão”, disse o espanhol.

    Não acho que ele falou nada demais, qual o interesse de que tenham esses fatores para o piloto, e ao mesmo tempo ele não defendeu o regulamento com essa decleração, isso ta com cara de reporter querendo vender, o cara deve ter perguntado sobre acidentes e saft car, na minha opinião acho que ele não falou nada demais.

    Publicado por Rodrigo Pedrosa | 25/03/2010, 2:11 pm
  15. Rodrigo – Eu estava lendo a reportagem original do Alonso na Autosport é é curioso como o tom dela me parece diferente dessa frase posta aqui acima pelo Claudemir. Há, inclusive, um tom de questionamento do Alonso:

    AUTOSPORT. You spoke about preparing to attack Vettel in Bahrain. Do you think that might have answered some critics that F1 has become boring?

    ALONSO: No, we need to be calm and wait some races to really see if the new rules have some impact in the show. I don’t think they have any change, last year in the first seven races Jenson [Button] won six. It was boring? Maybe yes, maybe no. This is Formula 1. Michael [Schumacher] won five consecutive championships. It was boring? Maybe yes, maybe no. this is Formula 1. So, if we want to see wet races, safety cars, all these things every race it will not be Formula 1 any more.

    This is about the knowledge, about how precise everything – drivers, engineering, everything – if people want extra show, maybe they need to reconsider if they want to watch Formula 1?

    Não sei, mas me parece que alguma coisa se perdeu na tradução…

    Publicado por Becken Lima | 25/03/2010, 2:15 pm
  16. “Não sei, mas me parece que alguma coisa se perdeu na tradução…”

    a culpa é do estagiário.. :P

    Publicado por Felipinho | 25/03/2010, 2:24 pm
  17. Acho que a opinião de Alonso, Schumacher e Kubica é pertinente sim. Gostaria de saber quando a formula foi esse espetaculo de ultrapassagens que os saudosistas cultuam? Nunca foi e nunca será. Talvez hoje, pela eficiencia aerodinamica dos carros, seja um pouco mais dificil, mas não muito diferente do que era tempos atras. Não se esqueçam das proprias regras da categoria, ou seja, os mais rápidos largam na frente, impedem as ultrapassagens, pois os mais rápidos largam na frente eles abrirão dos outros e se esses tiverem desempenho semelhantes, as ultrapassagens serão impossiveis, quase suicidas. Queremos corridas memoráreis, isso é certo. No entanto corridas assim, são raras e por isso mesmo lembrandas constatemente. E elas acontecem todos os anos, motivadas por fatores naturais, chuvas; ou circunstanciais, quando um carro rápido fica atrás de carros “muito mais” lentos. Se isso não ocorrer, independente da mudança de regras, a formula 1 sempre será essa procissão tecnológica.

    Publicado por Gunther | 25/03/2010, 2:34 pm
  18. Becken.

    Pode ser, mas dois veículos de informação não podem errar assim. E nem são do mesmo grupo.

    http://www1.folha.uol.com.br/folha/esporte/ult92u711765.shtml.

    http://esporte.ig.com.br/grandepremio/formula1/2010/03/25/alonso+afirma+que+quem+quer+show+extra+na+f1+tera+de+mudar+conceito+9438875.html

    E parece ser uma tradução tão distinta uma da outra, em que uma ele diz uma coisa e na outra é totalmente com o mesmo sentido e apenas palavras diferentes, parece até que são duas entrevistas, portanto, acho que é verdade o que ele disse, e não apenas um erro de tradução.

    Rodrigo Pedrosas

    Se ele pensa assim deveria correr autorama, porque sem ultrapassagens a F1 está a cada dia perdendo espectador mundo afora, veja como a Nascar cresce no Brasil mesmo sem passar em canal aberto mesmo passando no Speed TV que é muito ruim.

    Leve como exemplo o Boxe, é um esporte que está morrendo não tem glamour esta se acabando, aposto aqui que poucos sabem quem é o atual campeão mundial dos pesos pesados da AMB, e tome como exemplo o UFC (que é pior que o boxe na pancadaria) que cresce a passos largos e vem tomando o lugar do primeiro.

    Se a F1 continuar nessa toada (incluindo essas declarações ridículas de pilotos) terá o mesmo fim que o Boxe, porque não se moderniza, não tenta atrair novos fans de forma honesta (como eu fui a 30 anos atrás) e sim com marketing ou corridas em bibocas isoladas no mundo só porque pagam mais, sem ações reais, como internet, acesso a mais informações nos boxes e transmissão mais interativa, em poucos anos ela será decadente e em 30 anos talvez nem exista.

    Porque quem acorda as 3 da manhã (nós os que vamos ao circo ver palhaços) ver uma corrida modorrenta em que todos chegam em fila indiana sem se quer uma única ultrapassagem logo logo não acordaremos mais e nem mesmo perderemos 2 horas do precioso domingo para ver os “verdadeiros palhaços” na pista dando voltas e mais voltas.

    Então me perdoem, se esse é o sentido da F1, apenas chegar em 1º e acabou, sem emoção, sem show de pilotos, sem batidas, carro de segurança (galvenês) sinto muito porque não vai demorar para que eu pare de assistir.

    Publicado por Claudemir Freire | 25/03/2010, 2:50 pm
  19. “Estamos na F-1 e não no Cirque du Soleil. Quem quiser ver outro espetáculo, acidentes, o safety-car, chuva, que procure outro esporte. Aqui, estamos no mais alto nível técnico, com os carros mais rápidos, com a maior precisão”

    Alonso disse uma besteira enorme pra se livrar de uma pergunta já muito “batida”.

    Eu poderia responder dizendo que, se ele quer participar de um desfile de carros sem qualquer risco e sem disputa que vá procurar outra profissão. Isso aqui é a F1 e o público está dando um recado muito claro!

    Falta disputa direta entre os pilotos.

    Se é um esporte então é preciso confronto direto entre os oponentes, poucas pessoas se interessam por estratégias, e regulamentos que mudam a cada ano. As pessoas querem assistir aos pilotos se impondo uns aos outros, como em qualquer esporte.

    Ninguém quer obviamente um “circo romano” nem acidentes fatais e tragédias aos Domingos mas não adianta colocar dez super estrelas em seus carros numa prova chatíssima e tediosa como no Bahrein. É preciso um meio termo.

    Gosto muito de F1 mas posso desligar a TV ou deixar de ir ao autódromo com a maior facilidade.

    Publicado por Beatle Ed | 25/03/2010, 2:53 pm
  20. Enganchou meu comentário!

    Publicado por Claudemir Freire | 25/03/2010, 3:00 pm
  21. Becken, lhe parece?! Pra mim é óbvio que algo se perdeu na tradução!

    Comparação

    No Brasil:

    “Estamos na F-1 e não no Cirque du Soleil. Quem quiser ver outro espetáculo, acidentes, o safety-car, chuva, que procure outro esporte. Aqui, estamos no mais alto nível técnico, com os carros mais rápidos, com a maior precisão”

    Na Autosport (minha tradução):

    “Então, se alguém quer ver corridas na chuva, safety cars, e todas essas coisas em todas as corridas, [a Fórmula 1] não será Fórmula 1 mais.

    Isto [o esporte] é sobre conhecimento, sobre o quão preciso é tudo – pilotos, engenharia, tudo – se as pessoas querem um show extra, talvez eles deveria reconsiderar se eles querem assistir Fórmula 1?”

    Dei uma olhada no Q&A com o Alonso, usei ctrl+f e tudo mais, mas não consegui achar nenhuma menção ao Cirque du Soleil…

    Publicado por Guilherme Teixeira | 25/03/2010, 3:19 pm
  22. Ylan Marcel, voc~e concorda com Webber em quê?

    Publicado por Will | 25/03/2010, 3:21 pm
  23. Guilherme.

    Essa é exatamante a tradução feita pelo Grande Prêmio, mas é da mesma forma perniciosa com os amantes do esporte. Se é esse o sentimento dele para com os fans do esporte, sinto muito, mas acho que é ele que está no esporte errado, ele devia ir para o Curling.

    O que diz a respeito do Cirque du Soleil está na Folha de São Paulo e é uma matéria pinçada da agência France Press.

    “25/03/2010 – 11h11

    Fernando Alonso diz que Mundial de F-1 não é o Cirque du Soleil

    da France Presse

    O espanhol Fernando Alonso, da Ferrari, elogiou nesta quinta-feira a forma como é disputado o Mundial-2010 de F-1 e disse que quem não estiver satisfeito com a competição pode ir ver outro esporte, pois uma corrida não é um espetáculo do Cirque du Soleil. “

    Publicado por Claudemir Freire | 25/03/2010, 3:29 pm
  24. Para quebrar o gelo.

    Novo dispositivo da Mclaren para ver a evolução dos oponentes durante a corrida.

    Publicado por Claudemir Freire | 25/03/2010, 3:33 pm
  25. Bom talvez a única solução seja mesmo arumarmos algo melhor para fazer aos domingos,pois eu achava que só a FIA é que estava trocando os pés pelas mãos ao ignorar a competitividade…
    Me parece cômodo ao SR Alonso,dizer isso quando o mesmo está no melhor carro,afinal se você larga na frente e sabe que só uma coisa anormal vai lhe tirar a vitoria….
    Cada vez mais me pergunto o porque de tanta insistencia da minha parte como apreciador de corridas de formula 1,em acompanhar uma categoria que só faz é ficar mais chata ano a ano…

    Publicado por MAyko | 25/03/2010, 3:39 pm
  26. Sem contar as equipes novatas…..a diferença de RedBull e Ferrari para as do pelotão do meio como Sauber e Willians não chega a 1 segundo…

    o que é um segundo??????????

    Na Formula 1 é uma eternidade….é muita coisa…. o problema é a Tecnologia a aerodinâmica é os pneus é os engenheiros cada vez aperfeiçoando seus equipamentos é os pilotos cada vez melhores mais talentosos é carro e motores super confiáveis que na largada já sabem que seu combustível não chegará ao final.

    Mas ainda apesar de tudo isso o que mais atrapalha a F1 são as pistas…. interlagos ou spa por exemplo, vocês podem ter certeza, com a tecnologia que for sempre vai haver ultrapassagens nessas pistas, agora, Valencia????????????????????????

    Mas como agora o pessoal da FIA quer por algo artificial, então que coloque pneus para durar de 13 a 17 voltas que ai existirão muitas estratégias para a corrida e quando um carro estiver andando mais lento por causa do desgaste vai haver ultrapassagens.

    Com a tradução certa na minha opinião o Alonso está certo.

    Publicado por Marcelo (Cascavel) | 25/03/2010, 4:11 pm
  27. Com certeza a tradução não é coisa dos jornais brasileiros (aliás, para infelicidade nossa, os nossos jornais – não todos – cobrem a Fórmula 1 com tal desleixo que a credibilidade de qualquer informação é posta a prova, fazendo com todas as notícias tenham que ser averiguadas por nós fãs)…

    Se quiserem conferir:
    http://www.as.com/motor/articulo/alonso-carreras-aburridas-circo-sol/dasmot/20100325dasdasmot_1/Tes

    Publicado por Fernando M. | 25/03/2010, 4:44 pm
  28. Ok, vou assumir

    O que eu mais gosto em corrida são as batidas.

    Pronto, falei ;)

    Publicado por Costanza | 25/03/2010, 5:47 pm
  29. Ok, vou assumir

    O que eu mais gosto em corrida são as batidas.

    Meu filho também… ;)

    Publicado por Becken Lima | 25/03/2010, 5:48 pm
  30. Claudemir ->

    Viu so a Mclaren é uma equipe a frente em tecnologia mesmo.

    Ja colocaram até o 3o retrovisor. Eles realmente nao querem perder o Vettel de vista, nem quando ele estiver colocando 1 volta de retardo.

    Abraçoss

    Publicado por claudio cardoso | 25/03/2010, 5:58 pm
  31. é isso que me irrita no jornalismo brasileiro:

    Globo.com
    Nocaute surpresa. Schumacher: ‘Eu sonhava chegar aqui e dar uma surra, mas foram eles que me deram’

    Grandepremio
    Schumacher afirma que não esperava “dar surra” em pilotos após retorno.

    O que está acontecendo com nosso jornalismo? Essa coisa de ficar desvirtuando informação está me deixando pé da vida.

    Publicado por Galkadesh | 25/03/2010, 7:34 pm
  32. É purque nóis que falamu o ideoma brazileiru achamu dificio di intendê ingrêis. Capixu?

    Publicado por KBK | 25/03/2010, 7:56 pm
  33. E na entrevista original, na Autosport, ele disse:

    “…I wasn’t dreaming of coming here and kick everybody’s ass. Neither I got kicked, so quite okay…”

    Publicado por Becken Lima | 25/03/2010, 8:02 pm
  34. KBK,

    o problema é o despreparo de alguns profissionais, a falta de atenção e, algumas vezes,a vontade de se fazer manchetes sensacionalistas …

    Publicado por Galkadesh | 25/03/2010, 8:23 pm

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: