//
você está lendo...
ARTIGOS

Hermann Tilke confirmado como projetista do circuito da F1 nos EUA

Sim, é isso mesmo. O maior temor dos fãs da Formula 1 está confirmado lá no blog do Adam Cooper, veterano jornalista da Autosport.

Segundo o principal investidor do projeto, Tavo Hellmund, o arquiteto alemão já teria desenhado a pista no perímetro do aeroporto de Austin, e seria um circuito de alta velocidade com curvas inspiradas em Silverstone, Hockenheim e Spa.

Obviamente, alguém deve, rapidamente, explicar para nosso amigo Hermann que ninguém passa ninguém em Silverstone e Spa, circuitos eminentemente de alta velocidade.

O valor do projeto estaria estimado em US$ 200 milhões, financiado pela iniciativa privada e alavancado, principalmente, pela plataforma para desenvolvimento de combustíveis alternativos que a pista se tornará.

Discussão

16 comentários sobre “Hermann Tilke confirmado como projetista do circuito da F1 nos EUA

  1. paree claro à todos que Austin segue os preceitos de outros neocircuitos…

    Tilke; plataformas comerciais, intenção de provocar paixões enfiadas à baixo na goela, acordos para desenvolvimento de plataformas tecnológicas para a F1 (pelo menos um ponto bom) e um fiasco do ponto de vista logístico.

    Algo que me veio agora à cabeça: existe algum circuito novo que tenha sido mais financiado por dinheiro estatal do que pela iniciativa privada?

    Publicado por Ridson de Araújo | 26/05/2010, 10:56 pm
    • Na verdade, todos os circuitos novos— me corijam, por favor — têm dinheiro estatal.

      O segredo do avanço da F1 em direção ao oriente jaz exatamente na iniciativa estatal, já que a F1 é um evento esportivo que tem significativo impacto na receita turística de qualquer país — como acontece aqui com a prefeitura de São Paulo.

      Dizem que poderia haver algum incetivo do governo do Texas na pista de Austin, mas como está confirmando-se, lá — como é prática — a iniciativa privada vai tocar o projeto.

      Aliás, a F1 não se estabele ce nos USA também por que Bernie teria que ousar na promoção do evento em um ambiente onde a concorrência é duríssima e sem nenhum incetivo estatal.

      Publicado por Becken Lima | 26/05/2010, 11:31 pm
    • Vc tem razão, Becken, quando diz que todos tem dinheiro estatal, pelo menos os atuais sim… mas acho meio difícil que, mesmo em espaços como a Ásia, os circuitos novos sejam mais financiados pelo dinheiro estatal do que pelo dinheiro privado.

      O que me faz pensar que, mesmo na onda de movimentar a economia local, com o facilitamento de licitações, de geração de empregos e o escambau, a F1 é um esporte notadamente privado, burguês, antenado aos interesses capitalistas até o núcleo. Daí possuir suas vantagens e tb suas armadilhas.

      Sem dúvida, optar com correr em um novo tilkódromo, num lugar sem interesse para tal (isso qdo todos já sabem que os fãs odeiam os tilkódromos), tendo o Algarve todinho esperando uma só chance…

      Publicado por Ridson de Araújo | 27/05/2010, 7:31 am
  2. nnnoooooooooo!!!!!!!! this can´t be real!, mais um maldito Tilkomodro não.

    Publicado por joao | 26/05/2010, 11:29 pm
  3. do que adianta fazer mil mudanças todos anos para tentar fazer com que as ultrapassagens voltem se o pior problema esta nos traçados? se segui o mesmo caminho de traçado que estamos acostumados vai ser mais um para ficar dormindo.

    Publicado por Julio | 26/05/2010, 11:34 pm
  4. Becken….

    Vem cá, ninguém ultrapassa ninguém em SPA? Ta doido cara? E Silverstone, também, está muito longe de ser algo parecido como os verdadeiros circuitos feitos pelo Sr. Tilke.

    Pra mim se ele quer usar essas pistas como base começou bem… muito diferente do que ele fez em Abu Dhabi, …,…,… que sempre tem longas retas e curvas travadas ou sequências de curvas de baixa.

    De toda forma… que pena que ele será o responsável pela pista.
    Abraço!!

    Publicado por Carlos | 27/05/2010, 12:15 am
    • É… eu lembro que em Spa há boas brigas do bloco intermediário para trás, mas quando a corrda é no seco — como em 2007 ou 2009 — a coisa complica no bloco da frente onde as equipes são mais parelhas.

      Acho que pela tradição e oba-oba em cima da pista, ela deixa a desejar em termos de briga por posição.

      Publicado por Becken Lima | 27/05/2010, 12:26 am
  5. Alguém conhece o circuito de Portimão? Isso sim um circuito à antiga e com bons sítios pa ultrapassar, penso eu de que, e não foi feito por este senhor pelo que sei… Parece que todo o mundo anda cego, mas pronto…. Parece que aqueles que tentam mudar as regras nunca são apreciados na altura em que são novos, só com o passar dos anos e a saudade é que se lembram…. enfim!

    Publicado por André Correia | 27/05/2010, 12:57 am
    • E ainda assim GP2 em Porimão foi uma prova mediocre, com pilotos como Di Grassi reclamando que a pista não servia para gerar ultrapassagens na GP2.

      Publicado por Filipe | 27/05/2010, 3:32 am
  6. O ponto positivo é que a região onde o circuito se localiza é bem acidentada, então pelo menos o terreno deve colaborar para ser uma pista com mais personalidade que o tilkodromo habitual.

    Publicado por Filipe | 27/05/2010, 3:29 am
  7. Filipe, já li o contrário: o espaço é bem plano, vai poder fazer o que ele quiser.

    Acho que o maior problema dos tilkódromos é que as pistas são totalmente planas, sem graça pq não tem curvas de alta em subida ou descida. EW são justamente estas curvas que ajudam na graça da corrida, que selecionam pilotos e pilotagens, e que fazem uns ultrapassarem

    E não acho que o Di grassi seja medíocre: acho que se ele tivesse entrado na F1 em 2008 ou 2009, ele teria mais rumo do q agora.

    Publicado por Ridson de Araújo | 27/05/2010, 7:35 am
  8. Filipe, uma boa terraplanagem pode transformar qualquer terreno em uma mesa de bilhar… bem ao gosto dos Tilkódromos.

    Torço muito, mas muito, para que Tilke me “decepcione” e faça sua obra prima, mas duvido muito…

    Publicado por Vitor, o de Recife | 27/05/2010, 8:13 am
  9. Eu concordo em gênero, número e grau que a maioria dos ‘Tilkódromos’ é chata…

    Mas estamos exagerando em cima do senso comum – ‘Galvão Bueno Style’ – melhor aguardar para avaliar o circuito.

    Mr. Tilke e Mr. Ecclestone não são loucos de ignorar a ‘crise de ultrapassagens’ que assola a F1, vamos esperar e ver que teremos uma grande pista nos EUA.

    Publicado por Will | 27/05/2010, 9:10 am
  10. Tomara q seja um circuito de alta velocidade, com o q há de melhor no calendário: A Eau Rouge, o S do Senna, a curva 8 de Istambul, a Woodcote etc. Para se fazer réplicas da Eau Rouge e do S do Senna, a topografia acidentada é fundamental.

    Tilke já tem exemplos de sobra para saber o q funciona e o q não funciona em suas pistas, bem como deve estar atento as críticas dos fãs da categoria, para não repetir erros como Abu Dhabi.

    Vamos dar o benefício da dúvida ao Alemão nesse novo autódromo Yankee

    Publicado por Alex-Ctba | 27/05/2010, 9:39 am
  11. Espero que o circuito seja desafiador, pq seguro certamente será, com as áreas de escape de “estacionamento de supermercado”.

    Sobre a falta de ultrapassagens, isso é algo comum da F-1 desde os anos 90, com algumas exceções. Acredito que o principal problema é alta capacidade de frenagem destes carros. Hoje os pilotos já freiam muito “dentro” da curva e quando há disputa entre carros com rendimentos muito parecidos, somente um vacilo do piloto da frente ou um momento diferente de desgaste dos pneus que permite uma disputa.

    Logo, não considero que a pista seja a única vilã da falta de ultrapassagens, como muitos dizem. Já assisti (pela TV, obvio…) várias corridas em Monza, Hockenheim, Silverstone e outros circuitos “de verdade” bem monotonas.

    Acredito que se o “espaço de frenagem” fosse mais longo, isso permitiria mais ultrapassagens. Isso que acontece, basicamente, quando chove…

    Publicado por Daniel | 27/05/2010, 9:52 am
  12. Bons Dias Meus F1 Freaks Like Me

    A culpa não é tanto do Tilke é mais dos Sheiks Árabes e Marajás asiáticos que pedem “rapidity”; da igualdade dos bólides, da segurança que os circuitos oferecem, falta de Turbo, pneus como lapas, freios aero-espaciais e a bendita caixa automática, já alguém disse que agora não é conduzir é quase voar em piloto semi-automático,( só agora a Ferrari com o seu Asa-Duto afro-luso-brasileiro pôs emoção dentro do cockpit.. ah e o Robinho fugindo dentro dele..para não se juntar..

    Abraços

    Publicado por SennaCeccotto12 | 27/05/2010, 10:24 am

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: